Você tem Inimigos? - Os inimigos de Jesus

“Todos sentenciaram que ele era réu de morte” Marcos 14, 64

           Como é possível que Jesus tivesse inimigos, quando passou a vida a fazer o bem?

           Como é possível que aquele que proclamou as palavras sublimes das bem-aventuranças seja tão rapidamente ameaçado de morte? Jesus veio para que as pessoas tenham vida e os seus inimigos querem tirar-lhe a sua vida. Manifestou a sua solidariedade com as vítimas e ele próprio se transformou em vítima.

          Mas quem são esses inimigos que pretendem suprimi-lo?

          É difícil identificá-los: não têm rostos. Nem traços particulares. Avançam ocultos por máscaras. São grupos de homens, designados por “judeus”, “fariseus”. Ao passo que os amigos de Jesus têm um nome, um rosto, uma história. Aprecia-se a sua humanidade. São Marta e Maria, o irmão delas, Lázaro, o discípulo que Jesus amava, Pedro, João Baptista…

          É certo que Jesus ultrapassou várias vezes os limites, demarcando-se de uma obediência servil às tradições e à lei: “Foi dito… Eu, porém, digo-vos…”. Assim, não receia afirmar que o Sábado foi feito para o homem e não o inverso. Senta-se à mesa daqueles que a sociedade abandona. Zanga-se no Templo de Jerusalém, que se transformou numa casa de comércio e tráfico. Luta sem ódio, continuando a amar até ao fim. Sobretudo afirma, em termos novos, a sua proximidade inaudita com Deus.

          Jesus era um homem livre Em todos os seus atos, Jesus revela-se um homem livre, que não tem medo de ninguém; nem das autoridades, nem daqueles que andam sempre com a palavra “lei” na boca. Agita as consciências e contesta as maneiras de viver.

          As pessoas livres metem medo, porque perturbam. São vistas como subversivas pela autoridade, como perigosas para a ordem estabelecida. Para as silenciar, é necessário afastá-las e, se possível, eliminá-las.

          Os inimigos de Jesus compreenderam isso muito bem. Jesus não pode continuar a agir e a falar assim. Tem de morrer. No Conselho "todos sentenciaram que ele era réu de morte”. Mc 14, 64

          Temos inimigos? Certamente. Quando se tenta conduzir a vida seguindo Jesus e o Evangelho, sem procurar agradar aos detentores do poder. Quando se fazem escolhas que manifestam a nossa solidariedade com o ser humano em perigo. Quando se luta pela justiça.

          Mas uma vida sem luta, sem empenho, sem riscos corridos pelos mais desfavorecidos, não tem possibilidade de se desenrolar como um longo rio tranquilo? Mas será que, então, a consciência também fica tranquila?

Hubner Braz
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 Milhões de Confessos:

  1. Amigo,

    Não precisamos ser maus para temos inimigos, sabemos disso através do que passou o próprio Cristo! Mas devemos vigiar sempre, o inimigo que habita muitas vezes em nós, esse é o que devemos nos preocupamos verdadeiramente. Mais um bom texto!

    Que Deus lhe abençoe

    ResponderExcluir

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.