Jovem Rico - O que me falta?


          O jovem rico pensara que amava a Deus até que Jesus lhe revelou seu ídolo e demonstrou-lhe que estava fazendo de suas posses um deus. Ele viera a Cristo para perguntar: "O que me falta?" A resposta foi: "Vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos Céus; depois, vem e segue-Me." Luc. 18:22“só lhe faltava desprender das coisas matérias, isto não significa que temos que ser pobres para servir a Jesus, mas que Jesus seja o primeiro em nossa vida ”

           É possível estar perdido dentro da igreja? Infelizmente é, sim. Existem os que, estão perdidos fazendo coisas erradas enquanto ninguém vê, mas existe outra classe de perdidos: aqueles que fazem tudo direito, cumprem aparentemente tudo que a igreja pede, vivem preocupados com detalhes de regulamentos e normas, mas estão igualmente perdidos.

           O jovem rico era um rapaz como qualquer jovem da igreja de hoje. Era membro de uma congregação cujos líderes se preocupavam muito com normas, leis e regulamentos. "Não pode fazer isto". "Não pode fazer aquilo". "Fazer isto é pecado". "Fazer aquilo também é pecado". Aquele jovem cresceu tendo um conceito errado de Deus. Imaginava-O sentado no Seu trono de justiça, ditando regras, com o rosto sério e uma vara na mão, pronto para castigar o desobediente. Desde pequeno seus pais e os líderes da igreja exigiram o fiel cumprimento de todas as normas. Eram líderes preocupados com a imagem da igreja. O que realmente importava para eles era que as pessoas cumprissem as normas, que fossem bons membros de igreja e nada mais.

          O jovem rico aprendeu desse modo a cumprir todas as normas e leis. Aparentemente era um jovem bem comportado, ativo na igreja, participava das programações e cultos, podia ser apontado como exemplo para outros, mas alguma coisa estava errada: não era feliz, tinha a sensação de que estava perdido apesar de cumprir tudo. Certo dia anunciaram a chegada de Jesus à sua cidade. A história está registrada no capítulo 10 de São Marcos. Os líderes da igreja, ainda preocupados somente com o cumprimento rígido das leis, foram os primeiros a sair ao encontro de Jesus. O registro sagrado narra assim: "E, aproximando-se dele os fariseus, perguntaram-lhe, tentando-o: É lícito ao homem repudiar sua mulher?" (Marcos 10:2). Você percebe a inquietude daqueles líderes? Sua grande preocupação era apenas com os detalhes.

           Seria possível que hoje os líderes também caiam no mesmo erro? "É pecado cortar o cabelo?" "É pecado orar assentado?" "É pecado ter um pátio de recreações ao lado do templo?" "É pecado ir à praia?"

           O Senhor Jesus não se deteve muito tempo a discutir com eles. Dirigiu-Se aonde estava um grupo de crianças, colocou-as no colo, com amor acariciou-lhes a cabecinha e beijou-lhes os rostinhos inocentes. O jovem rico ficou emocionado ao ver aquele quadro. Ele nunca poderia imaginar que Jesus fosse capaz de beijar e fazer um carinho. Não era essa a imagem que ele tinha aprendido acerca do Filho de Deus. Pela primeira vez na vida teve vontade de abrir o coração a alguém. Correu quando Jesus já estava saindo da cidade, ajoelhou-se perante Ele e disse: "...Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?" Ele estava dizendo na realidade: "Bom Mestre, que farei para ser salvo? Eu sinto que estou perdido. Não tenho certeza da salvação."

           Por que? Acaso não era um bom membro da igreja? Não cumpria todas as normas? Ah! meu amigo, cumprir mandamentos nunca foi sinônimo de salvação. Ser um bom membro de igreja não quer dizer estar salvo. É, de algum modo, possível obedecer a tudo e estar completamente perdido. Perdido, dentro da igreja!

           O Senhor Jesus tentou levar o jovem do conhecido ao desconhecido. O jovem conhecia a letra da lei, as normas, os regulamentos e Jesus lhe disse: "Tu sabes os mandamentos..." Mc 10:19 Este foi um tratamento de choque. "Ele, porém, respondendo, lhe disse: Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade" Mc 10:20 Mas a angústia não desaparece, o desespero aumenta, a sensação de estar perdido é cada vez maior". Jesus olhou para ele com ternura e o amou. 

           Pode ser que em algum momento de sua vida você sinta que ninguém gosta de você, que seus pais não o compreendem, que seus professores não reconhecem seu valor, que a vida lhe negou as oportunidades que deu a outros, que o mundo inteiro não o aceita. Pode até ser que você não goste de você mesmo. Tudo isso pode, de algum modo, ser verdade, mas Deus gosta de você, Ele o compreende. Tenha certeza de que Ele está bem perto de você, pronto a ajudá-lo, a socorrê-lo, a valorizá-lo.

           "Vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos Céus; depois, vem e segue-Me." Luc. 18:22 A Bíblia diz que o jovem, "...pesaroso desta palavra, retirou-se triste..." Mc 10:22 Que tragédia! Estava mais pronto a guardar mandamentos do que amar o Senhor Jesus. Por quê? Talvez porque é mais fácil aparentar que se é bom do que entregar o coração a Deus.

          Qual deveria ser a nossa primeira preocupação, amar a Jesus ou guardar normas? Às vezes, estamos mais preocupados que os jovens obedeçam as normas e não que amem a Jesus. O interesse de Jesus é diferente: "Dá-Me, filho Meu, o teu coração", diz Ele enquanto bate à porta do coração humano.

           Há algo que nunca deveríamos esquecer: é possível de alguma maneira cumprir normas sem amar Jesus, mas é impossível amar Jesus e deixar de cumprir as normas. Então, qual deveria ser o nosso primeiro interesse, o nosso grande objetivo? Se o ser humano amar a Jesus com todo seu coração, será incapaz de fazer algo que magoe o seu Redentor. Sua vida, em conseqüência, será uma vida de obediência.

           Todas as normas da igreja, todas as coisas que tenhamos que abandonar, tudo que tenhamos que aprender terá algum significado unicamente quando o amor de Cristo constranger nosso ser. A nossa primeira oração não devia ser: "Senhor, ajuda-me a guardar Teus mandamentos", mas, "Senhor, ajuda-me a amar-Te com todo meu ser".

           O jovem rico partiu triste e não voltou mais. Estava pronto a ser um bom membro de igreja, mas não a entregar o coração ao Mestre. Alguma vez você já se perguntou porque está na igreja? Você acha que Cristo veio a este mundo para que as igrejas cristãs estivessem cheias de pessoas tentando portar-se bem ou Ele veio para que as pessoas fossem realizadas e felizes?

           Neste momento, embora você não possa vê-Lo, Jesus está aí perto de você com os braços abertos dizendo: "Venha a mim, Filho."

Foto: (Jovem Rico - Michael Belk.)
Post: Hubner Braz
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

8 Milhões de Confessos:

  1. Realizadas e felizes, com certeza!
    Isso tudo na Presença dEle!
    Eu costumo dizer que Igreja é um conjunto,
    contudo, mais que o conjunto, Deus preza o seu individual, o seu íntimo com Ele.

    Amei o post, Beijos (:
    Deus te ilumine mais e mais.

    ResponderExcluir
  2. Olá Hubner,
    Vi seu comentário lá no Blog, e tentarei responder o mais rápido possível.
    Aproveitei a visita pra ler seu último post e me identifiquei bastante com o que você disse...
    O período da minha vida em que estive "desviado" (seja lá o que isto relamente signifique no nosso mundinho evangeliquês) foi dentro da Igreja, fazendo as mesmas coisas que sempre fazia.
    Alias, descobri que é bem mais fácil desviar dentro da própria Igreja, com outros(as) que estão lá também...
    Ótimo post, parabéns !!
    Graça e Paz !!!

    ResponderExcluir
  3. Hub, mais um belo texto devocional e necessário. Creio que a pior maneira de nos relacionarmos com Cristo é pondo a moralidade e o moralismo como senhores e norteadores da nossa vida. Eu sempre achei que por trás de todo moralista tem um devasso em potencial.

    ResponderExcluir
  4. Raquel,

    É gratificante saber que tem jovens compromissados com o Senhor dos senhores. E você é uma delas... Por isso também estou seguindo o seu Blog.

    Fiquei feliz em saber que você tem uma banda.

    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Wilson,

    Você resumiu o verdadeiro sentido do texto, muitos são como Dragmas, perditos dentro da igreja e isso dói a nossa alma.

    Deus cuide de cada um deles, e que eles desperde o mais rapido possivel.

    Abraços amigão,

    Hubner Braz

    ResponderExcluir
  6. Edu. M.

    Entendi o seu ponto de vista, na realidade, esse ponto de vista indentifica com o comentario de Paulo a igreja em Roma. Onde ele diz: "As coisas que não quero fazer essa eu faço"

    A duas naturezas dentro de cada ser... a carnal e a espiritual.

    Teremos que atentar a nossa espiritualidade.

    Obrigado por mais um comentario.

    Abraços fraterno ao des-gailodo.

    ResponderExcluir
  7. Cativante e edificante seu blog. Senti-me abençoado e com a alma rejuvenescida ao deparar-me com belas mensagens. Continue assim. São meus sinceros votos. Já estou seguindo-o.
    www.josiasalmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Obrigado Pr. Josias,senti-me feliz por sentir motivado... Deus lhe abençoe sempre. Volte sempre.

    Abrcs

    ResponderExcluir

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.