Como Sou Uma Pessoa Má... - Confissões da Rainha de Sabá à Salomão

“Eu tenho alguém que amo muito. Mas esta história não é sobre ele.”

Está história é sobre um homem que morava cerca de 1935 milhas de distância que de alguma forma acabou a poucos metros de mim no seu palácio real. Inteligente, atraente, divertido, tinha um jeito impar com as palavras, falava coisas que eu nunca ouvi antes. Torcendo palavras e frases para pintar belas imagens do mundo que eu bem conhecia. Eu via em minha mente as imagens que eu sempre imaginei, mas era muito mais colorido do que nunca. Eu sou uma menina inteligente e não sou facilmente impressionada, mas esse cara me capturou. Ele é tão especial, mas não posso tê-lo. Ele me diz que sou especial, mas não é a mesma coisa e eu não posso concordar com ele. Eu provavelmente nunca vou encontrar alguém como ele, mesmo se eu viver cem anos.

Um dia, encontrei-o em seu dormitório, ele me beijou. E eu não o impedi. A única coisa que eu disse foi: “Como sou uma pessoa má...” Ele perguntou “por quê?” E eu respondi que tenho alguém que me importo muito. Ele diz “não mente pra mim!” e eu não tive força de vontade para impedir o intenso amor que tivemos naquela noite. Isto aconteceu por mais quatro dias consecutivos. Eu finalmente disse que eu não podia continuar com isso, porque eu estava traindo a pessoa que eu me importo muito, muito, muito... Ele chorou e me senti a pior pessoa que já caminhou sobre este planeta.

Dias depois, Ele insistiu. Eu lhe disse que eu não conseguia mais enganá-lo, e a magia que ele sentia sobre mim se quebrou. Ele culpou as regras da sociedade e o jeito do meu pensar. Ele não me queria mais para sempre. Ele simplesmente queria uma paixão para compartilhar. Poder-nos-íamos até compartilhar, se eu não tivesse um namorado, enquanto isso a paixão acendia intensamente até a minha volta à Etiópia, que para mim duraria mais um ano. Mas tive que apressar a minha volta e abandonar este sentimento doentio que me consumia a cada dia.

Esta atitude egoísta e juvenil que tomei, foi como receber um tapa na minha cara. Eu sinto que este foi o meu teste. Muito parecido aos grandes romances juvenis, eu sabia que não passaria eternamente com ele, mas não deixei passar a oportunidade dos “instantes insanos” que me entreguei de corpo e alma.

Para o resto da minha vida, esta será uma lembrança, minha sina. Eu nunca pensei antes que trairia alguém, nunca se passou por minha cabeça. Essa lição me mostrou uma coisa, nem todos são de ferro, e sei que não existirá outra pessoa que me capture e me envolva tão perfeitamente como ele fez. Eu não vou encontrar semelhante a ele, mesmo que eu procure pelo resto da minha vida.

Eu o encontrei. Eu sei disso. E eu sei que falta loucura para agir, mas talvez eu morresse agindo, ele é o homem que um dia casará e não quero atrapalhar a sua decisão.

Eu nunca...
Nunca...
Levarei comigo...
Mas nunca esquecerei...
Só me restou, as marcas que ele deixou, para sempre...
Como testemunhas ocultas nos locais mais íntimos e delicados do meu corpo.

Essa é minha Confissão Insana...

Magda (Rainha de Sabá – Etiópia)
(Uma História de Ficção)
  
Referência: 1Rs: 10.1-13

1- E ouvindo a rainha de Sabá a fama de Salomão, acerca do nome do SENHOR, veio prová-lo com questões difíceis.
2- E chegou a Jerusalém...; e foi a Salomão, e disse-lhe tudo quanto tinha no seu coração.
13- E o rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela desejou...; então voltou e partiu para a sua terra...
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.