Eu Estarei Lá - Confissões de Maria Madalena à Jesus de Nazaré

Em minha caminhada encontrei você, era noite e eu estava triste por não conseguir me guiar em meio a tanta escuridão, a estrada era de difícil acesso, e a todo o momento eu caia. Derrepente, você apareceu e pegou a minha mão. Daquele momento em diante passamos a caminhar juntos, de mãos dadas e a cuidar um do outro sem nos preocuparmos com mais nada, devido aos buracos e pedras, a estrada ficava árdua. E por isso parávamos sempre para aliviar a dor e o cansaço, sem contar que nossa bagagem era pesada demais, mesmo assim eu estava feliz, porque quando tropeçava, ou até mesmo caia, você estava lá ao meu lado e sempre me envolvendo em seus braços dizendo: “não solte a minha mão, não quero te perder”.

E seguíamos de mãos dadas... Sempre! Ao longo de nossa caminhada, acabei me entregando a você de corpo e alma, aprendi muito com você, “quando nossas mãos se soltavam devido às circunstâncias, eu temia não encontrá-lo mais, e você lá de longe gritava: “não pare, alcançarei você, não quero te perder”. Nesse momento meu coração ficava aflito, era como se faltasse um pedaço de mim, assim mesmo seguia estrada afora, e quando o sol começava a se por, você aparecia dizendo, voltei! E me envolvia em seus braços, me possuindo por inteiro, eu era sua, inteiramente sua, por isso seguia ao seu lado de mãos dadas a você.

Há um determinado ponto da estrada, percebi que sua bagagem só aumentava você não parava de acrescentar coisas á sua mochila, para tentar ajudá-lo, comecei a eliminar o que era inútil na minha bagagem, e minha mochila ficava mais leve. E durante muito tempo, nossa caminhada foi assim, eu esvaziando minha mochila, e você enchendo a sua. Mesmo assim eu caminhava ao seu lado, de mãos dadas a você. Até que uma noite, tudo ficou confuso, haviam pessoas indo e vindo na estrada, parecia uma festa, de repente suas mãos soltaram as minhas, e fiquei desesperada! Gritei seu nome, mais não obtive resposta, por alguma razão, você me abandonou na estrada, tinha perdido você.

Foi horrível! Tive que seguir sozinha... Depois de tanto tempo, voltei à mesma estrada, e mesmo sabendo que você não estará lá, eu estarei, para lembrar-me daquele, que Deus me fez amar. E gostaria de te encontrar, para dizer a você que suas mãos eu jamais iria soltar! Eu estarei lá, eu estarei lá.

Com amor,
Maria Madalena
Textos Baseados: (Livro Evangelho de Maria Madalena) - Não considere este texto uma verdade apenas o veja como ficção, pois se fosse verdade, Seria uma grande HeReSia! 
Mateus 27:56; Marcos 15:40; Lucas 23:49; João 19.25
(Uma História de Ficção)
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.