Vou Sentir Saudades - Confissões de Davi à Jônatas

O som de uma ruptura do coração não é poético. Ele é oco. É trágico. Ele chama para rituais - a negação, o choque, a raiva, a decepção, culminando na desesperança. Apenas como uma estrela branca encolhendo lentamente desmoronando por dentro, com as memórias extraídas cada respiração um golpe. É como morrer acordado.  Assim eu me sinto por não receber carinho que tanto necessito da minha esposa e por saber que você, o único que me doava carinho estará ausênte para sempre.

Por isso, durante alguns anos eu sentia atração por ti, sem deixar a masculinidade de lado. Difícil é entender, mais percebi entre as nossas conversas, que existia algo em comum entre nós. Reclamávamos da mesma coisa, da forma como nós éramos tratados pelas nossas esposas. Além de rolar o baixo astral do dia a dia, ao chegarmos à nossa casa não éramos mais confortados pelo amor das nossas esposas. Concordamos que as mulheres estão se colocando no papel do marido e dificilmente olham ou não percebem que todos nós somos carentes. Elas só queriam fazem sexo para se satisfazer e não percebia que também necessitamos de carinho.

Tudo no início era empolgante, más com o tempo fica desgastado. Não precisávamos ser afeminados para termos um ótimo relacionamento, pois nossas almas eram intimamente ligadas. Que percepção você tinha. Atento a mim, você me via de uma maneira diferente, enquanto isso a minha esposa era cegamente ocupada para me ver. Você percebia os mínimos reflexos dos meus gestos, éramos apenas nós dois em meio à multidão.

Quando eu via os problemas, você via as possibilidades. Soluções que eu só via problemas. Eu agradeço por tudo. Sinto saudades do seu ombro para se apoiar, da sua mão para apertar, da sua pessoa para amar. Ainda sinto o toque dos seus dedos entre as linhas que está na palma da minha mão. Sempre sentia um carinho imenso e cócegas através deste seu gesto.

Lembro da noite do pacto, você dizia: "O nosso destino estão entrelaçados para sempre." E eu acreditava em você. Não importava o que você dizia. Eu simplesmente acreditava. Essa foi à noite que você se despiu da sua túnica sem mangas que usava e me deu. Também as suas vestes, até mesmo sua espada, seu arco e seu cinto me deste. E mesmo ficando vulnerável a ponto de me assustar, você quis correr o risco por mim.

Houve o manifesto recíproco de deixar-se amar e ser amado...

Sinto aperto em meu coração, nunca irei ver e ouvir seu nome. É o sentimento que eu tenho sempre associado com o amor. E que eu ainda posso sentir-lo depois de uma vida inteira me fazendo acreditar em nós, acreditar no que nós somos para sempre.

Mas, hoje descobri que você faleceu, e isso veio como uma grande surpresa. Saiba quão importante era a sua amizade para mim. Eu sempre me lembrarei de você Jônatas. Lembrarei de todas as nossas confissões insanas e aventuras feitas ao longo dos anos e estaremos sempre juntos em meu pensamento.

Vou sentir saudades. ♥

David (Rei de Israel e amigo verdadeiro de Jônatas)
(Uma História de Ficção)

Referência do post usando a tradução Revisada e Corrigida:
I Samuel 18:1-4 "E aconteceu que, assim que Davi acabou de falar ao rei Saul, a alma de Jônatas (filho de Saul) se ligou à alma de Davi, e Jônatas começou a amá-lo como à sua própria alma”. “... Jônatas e Davi fizeram um pacto, pois aquele o amava como à sua própria alma. Além disso, Jônatas despiu-se da túnica sem mangas que usava e a deu a Davi, e também suas vestes, e até mesmo sua espada, e seu arco, e seu cinto".
I Samuel 20:41-42 - Quando Davi estava sendo perseguido: Davi saiu então detrás da colina, lançou-se com o rosto por terra e curvou-se três vezes; e começaram a beijar-se um ao outro e a chorar um pelo outro. E Jônatas disse a Davi: “Vai em paz. Quanto ao juramento que nós dois fizemos no nome do Senhor, que o Senhor seja testemunha entre mim e ti, e entre a minha descendência e a tua”.
II Samuel 1:26 - Do lamento de Davi na morte de Jônatas: “Tenho o coração apertado por tua causa, meu irmão Jônatas. Tu me eras imensamente querido. Teu amor me era mais precioso que o amor das mulheres”.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.