Confissões Insanas Sobre a Bienal do Livro


A Bienal do Livro é uma oportunidade única para os novos escritores, de cara quero destacar os escritores brasileiros que estão desbancando nesta década, para mim os melhores da atualidade. Aprendi muito, até no modo de escrever, lendo os livros de Ciro S. Zibordi, Eduardo Spohr, Fabrício Carpinejar, Thalita Rebouças, Sá de Barros, Severino P. da Silva entre outras.
Não sei por que as pessoas persistem ficar sem leitura. A vida por si é uma escola, mais não deixamos de aprender também nos bancos, rudes ou agradáveis dos livros. A gente vive aprendendo lições diárias que entram pelos olhos, sentem na carne e marcam na alma.
A grande preocupação são com o subnutrido cultural, eles sim precisam de cuidados. Eles são os analfabetos que veem seus horizontes como regra, eles usam cabrestos que impossibilitam de olhar para os lados. As suas cabeças é bastante vazia e tem por tamanho uma caixa de fósforos.
“Não sejais como o cavalo ou a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio, ou não virão a ti”. – Salmo 32:7-8
Ciência, cultura e saber são importantes degraus na escala da vida. E na grande competitividade atual, fica a pergunta: Quem são os mais sábios, os especialistas de um assunto ou os donos de uma cultura geral?
Olhando a vida do “Especialista” vemos que eles conhecem cada vez mais em relação a cada vez menos, até chegar à perfeição de saber quase tudo sobre nada...
E o Generalista onde fica? Bem, eles conhecem cada vez menos em relação a cada vez mais, até saber praticamente nada sobre tudo...
Baseado nisso, vemos que a fábrica de escritores nunca parou, temos filósofos, literatos, poetas... O saber é constante frui como ribeiro ao encontro do mar, para virar cotas de chuva e torna a nascente novamente.
O filósofo “seu” Albuquerque na simplicidade confessou:
- Quando casamos minha mulher e “seu” fizemos um trato. Eu decidiria nas coisas importantes e ela, nas segundarias.
- E deu certo o trato? – perguntou-lhe o vizinho.
- Deu, sim. Até agora nada aconteceu de importante...
Agora imagine filósofos dialogando no saber existencial:
- O seu filho já pensou na carreira que vai abraçar?
- Por enquanto, ele só pensa em abraçar as namoradas!
As opiniões dos literatos são diferentes, mergulhando a pena na tinta fala o escritor Mário da Silva Brito:
- Saber é um debater-se e um ferir-se contínuos contra as dúvidas, incertezas e contradições. Essa luta para o encontro da verdade, ou, pelo menos, da momentânea verdade é que os tranquiliza a mente, que nos supre a necessidade de algum conhecimento mais estável. Mas resta, sempre, a convicção de que vivemos num tempo em que todas as ideias e conceitos são provisórios.
Já nas opiniões dos poetas sobre o saber, trouxe um texto de Cecília Meirelles, porque nos poetas existem antenas finas que capitam sensivelmente as sutilezas que os comuns mortais jamais descobriram.
- Tudo palpita em redor de nós, e é como um dever de amor aplicar o ouvido a vista, o coração a essa infinidade de formas naturais ou artificiais que encerram seu segredo, suas memórias, suas silenciosas experiências. A rosa que se despede de si mesma, o espelho onde pousa o nosso rosto, a fronha por onde se desenham os sonhos de quem dorme; tudo, tudo é um mundo com passado, presente, futuro, pelo qual transitamos atentos ou distraídos.
Sei que ainda faltam muitas opiniões, mas deixarei vocês darem seus palpites sobre o assunto. Afinal de contas, Confissões Insanas é interatividade, cultura e informação.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

19 Milhões de Confessos:

  1. lembrando nosso amigo éder, gostei dos "recortes"... rsrs...

    ResponderExcluir
  2. Que bom Amana, você ter gostado... lembra o "Recortes" mesmo... kkkkk

    Bjss

    ResponderExcluir
  3. hubinho, desde que terminei o seminário há uns 10 anos que eu não vou a bienal. nessa época eu gastava roldo de dinheiro com livros, principalmente teológicos, coisa que não dá mais para fazer hoje....rs

    gostei muito da postagem, inclusive, copiei o pensamento do mário da silva brito e colei lá meu blog caminhos da teologia. falando nele, aparece lá, estou querendo publicar temas teológicos ou devocionais(que falem de espiritualidade e vida e não "crentinisse" rs) com a colaboração de alguns amigos, inclusive, com textos do levi. se quiser participar, é só falar ou mandar algum texto seu para o meu e-mail: eduardo42@ig.com.br aí eu analiso e se for bom(mas tem que ser bom, garoto!!!!)eu posto lá...rs

    abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi,Hubner!Adorei o post, nossa essa bienal deve ser fantástica tenho muita vontade de ir, um ano ainda pego umas férias e torro toda mniha grana na bienal.
    Adoro ler.Lendo seu post não teve como não lembrar do sábio velhinho Quintana que disse "Os livros não mudam o mundo. Quem muda o mundo são as pessoas.Os livros mudam as pessoas."
    Boa semana!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  5. Dudu,

    Nesse tempo nem sabia que existia bienal... Rsrsrs Mais agora que sei, irei no ano que vem aqui em Sampa.

    Quanto o texto que pediste, vou escrever um e te mandar em breve. Me sentirei honrado.

    Sobre a frase, concerteza o Mário S. Brito irá gostar de você usar as frases dele.

    dando um pulo no seu blog agora...

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Esse sábio velhinho... minha Flor!!! Sempre me surpreende com os seus textos que não são poucos.

    Valeu pela visita assídua,

    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Cara, creio que precisamos desencanar desse corporativismo de gueto que só incentiva a leitura de livros evangélicos, e começar a ler gente que pensa nas mais variadas matizes de conceitos.

    Só assim nós evangélicos deixaremos de ser tão medíocres (de médio) para podermos aprender com gente que pensa diferente contribuindo com nosso crescimento.

    Velho, tem um amigo meu que hoje é pastor penteca o "Cabeção", que uma vez surtou quando um daqueles ônibus da árvore da vida fez uma para na minha cidade.

    O maluco comprou na época a 14 anos atrás, R$1.000,00 de livros, enquanto eu gastei míseros R$10,00.

    Depois de um tempo ele ficou tão decepcionado com o exclusivismo tendencioso dos escritores evangélicos, que passou a comprar até livro de "física quântica" que ele não entende bulhufas, só para se dar o direito de ponderar sobre outras formas de pensar.

    Leitura é muito bom e eu sou a favor, mas se ficar limitada e seletiva, se torna viciada e consequentemente instrumento de regressão nunca de progressão.

    Eu por exemplo, leio até mesmo livros infantis da editora Ática, só para viajar e absorver o insight que motivou o escritor a compor. É o maior barato!

    É isso meu nobre Penteca Insano! rsrsrs

    ResponderExcluir
  8. franklim e hubinho,

    eu aprendi a ler com gibis do recruta zero. ainda bem que minha mãe à época, ultraconservadora-assembleiana, não impedia que meu pai me trouxesse as revistinhas que eu tanto adorava. nunca mais parei de ler. de tudo. leio até bula de remédio....kkkkkkkk

    ah, e ainda leio HQs(os assim hoje chamados gibis)e as coleciono. meu filho vai se fartar com tantas aventuras, fantasias e imaginação que tanto nos faz expandir nossa consciência.

    abraços

    ResponderExcluir
  9. Quero manter a mente aberta, ser sempre capaz de criar, me permitir experimentar vários estilos sem ser generalista nem especialista.

    Pode assim?

    ;)

    Beijoca.

    ResponderExcluir
  10. Claro que pode Luna,

    Se você notar dos escritores que citei, o único evangélico conhecido é o Ciro e tem o Sá de Barros.Os outros são seculares.

    O carpinejar é poeta,
    A Thalita é escritora focada nos adolescentes,
    O Eduardo é focado na melhor ficção brasileira que já li.

    Então sim!!! é ótimo variar a leitura.

    Bjsss

    ResponderExcluir
  11. Flankin,

    Eu concordo contigo, pra se ter uma ideia sou um frequentador nato de Sebos. Sempre compro livro seculares por lá.

    E destacarei está sua frase:
    "Leitura é muito bom e eu sou a favor, mas se ficar limitada e seletiva, se torna viciada e consequentemente instrumento de regressão nunca de progressão".

    Também sou fã em literatura infantil.

    Valeu por vim aqui!!! Abração!!!

    ResponderExcluir
  12. Dudu,

    Pelo seu conhecimento,gostaria de saber qual é o final da fênix no X-Man. Rsrsrs

    Até hoje não sei que fim deu a ela.

    Blz maninho!!!

    ResponderExcluir
  13. Então Herege-Mor e Nobre Penteca rsrsrs, sou leitor fissurado na Série Vagalume da Editora Ática.

    Viajo nas estórias do Marcos Rey da Lúcia Machado entre outros. Show de bola!

    Já fui leitor viciado de bula também, mas hoje me libertei rs.

    Edu, tu já era contraventor religioso desde criança cara?! rsrsrs

    ResponderExcluir
  14. Olá e ai como vai?
    Gostei do post ^^
    e não sei como as pessoas vivem sem ler :(
    Atualmente ando lendo "Sherlock Holmes - o cão dos Baskerville" e adoro mangás *---*

    Abraços parceiro e obrigado pela visita.
    Tenha uma excelente semana

    ResponderExcluir
  15. A bienal é mesmo uma viagem, eu adoro e sempre vou qdo tem (menos esse ano) kkkkk
    Os belos escritores tiveram boas inspirações, não imagino o mundo sem livros, a galera monta livro virtual, mas não é a mesma coisa, né..! rs.. naaada melhor que pegar velho, ai lembra das emoções que as pessoas que leram sentiram.. ou aqueles livros novinhos com cheirinho de editora morrendo de vontade de ler, vai lá entender, né.

    rsrsrs..)...
    Beijo, boa semana!

    ResponderExcluir
  16. Sandro,

    Ótimo livro que escolheu para ler, O "Sherlock Holmes - o cão dos Baskerville" e um livro que prende você até descobrir a real pista dos crimes em questão.

    Valeu pela visita aqui, abraços maninho.

    ResponderExcluir
  17. Tali,

    Acho que os livros impressos nunca perderam a essência, é bom folhear, viajar nos infidaveis mundos que eles nos proporcionam.

    É sempre bom ler.

    Bjkas e ótima semana pra ti tbm.

    ResponderExcluir
  18. Hubner, me senti plenamente analfabeta...Mas prendi o folego para não perder tempo rsrs

    Beijo amigo.

    ResponderExcluir
  19. Grande Guiomar,
    `
    É uma honra ter a sua presença neste humilde espaço.

    Bjss

    ResponderExcluir

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.