O Amor Traz Felicidade e Também a Dor - Reflexão Confessa


Enquanto o amor pode ser expresso através de atos físicos... O amor não é físico e sim emocional.

Numa noite conheci uma garota e começamos a namorar. Curiosamente, ela queria trocar histórias sobre cicatrizes. Ela apontou para o seu joelho, e me contou como seu irmão jogou um bumerangue e provocou
aquela cicatriz. Quando chegou minha vez eu apontei para um lugar próximo ao meu braço.

Ela gritou: “Não há cicatriz aí!” Eu lhe disse: “Sim, há... mas não é aquela que você pode ver”.

Na minha memória veio à lembrança de um relacionamento do passado que me causou muita dor e foi aí que expliquei a ela que, “as cicatrizes mais dolorosas não são as únicas que você pode ver, elas são emocionais, invisíveis, abstratas”.

Então ela apontou para outro local, sem uma cicatriz e perguntou: “É aqui?”. Aí falei a história da primeira noite onde fui procurado por uma linda mulher, mas no final houve uma grande decepção por ela não ser o que aparentava ser. E continuei... “Sim, é aqui. E o mesmo vale para a felicidade, podemos vê-la expressa fisicamente através de ações, mas não podemos pegar a emoção. Por isso a lição fica para podermos carregar essas grandes memórias e compartilha com os outros por aí”.

Vale notar que as memórias mais lembradas são aquelas ligadas a grandes emoções. Por isso que o amor nos afeta tão profundamente. Nós somos humanos, nós experimentamos a alegria, tristeza, o riso e dor... Com o tempo nós curamos e olhamos para frente e independentemente disso, nós ainda amamos.


Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.