RESENHA DO LIVRO: TORTURADO POR AMOR A CRISTO - RICHARD WURMBRAND


Este desafio que aceitei de ler um livro por semana tem me proporcionado fortes emoções durante a leitura. Torturados por amor a Cristo, e um desses livros que arrancaram lagrimas do meu coração. Tanto, que vou postar para vocês alguns trechos do livro. Não tenho nem o que criticar. A minha atitude e se envergonhar de mim mesmo. Vendo que estou trabalhando para espalhar o evangelho de Cristo, mais ainda não e o suficiente.

Vamos para o Livro. No capitulo 1 o escritor fala da sua conversão ao evangelho, e de algumas experiencias marcantes em meio a missões  Você vai encontrar neste capitulo estrategias de evangelismo eficazes e eficientes em meio a uma nação ateia.





Olhe os trechos retirados deste capitulo 1 para vocês.

Um padre da Igreja Ortodoxa, muito amigo meu, telefonou-me e contou-me que um oficial russo o havia procurado para se confessar. Meu amigo, porém, não conhecia a língua russa. Sabendo que eu falava esse idioma, deu meu endereço ao oficial. No dia seguinte, ele veio ao meu encontro. Amava a Deus e O buscava, mas nunca havia visto uma Bíblia. Nunca assistira a trabalhos religiosos. (Igrejas na Rússia são muito raras).

Não tivera nenhuma educação religiosa, porém amava a Deus sem ter o menor conhecimento dEle.

Comecei a ler para ele o Sermão da Montanha e as parábolas de Jesus. Depois de ouvi-las dançou ao redor da sala com grande alegria, exclamando: "Que beleza maravilhosa! Como é que eu poderia viver sem conhecer este Cristo!" Foi a primeira vez que vi uma pessoa tão arrebatada de alegria no Senhor.

Prosseguindo, cometi um erro. Li para ele a narrativa da Paixão e da Crucificação de Jesus, sem tê-lo ainda preparado para tanto. Ele não esperava, e quando ouviu do sofrimento de Cristo, como foi crucificado e finalmente morreu, caiu em uma poltrona e começou a chorar amargamente. Havia crido em um Salvador e agora este estava morto.

Olhei para aquele homem e fiquei envergonhado por me haver chamado de Crente e Pastor, mestre do rebanho e nunca haver partilhado dos sofrimentos de Cristo, como este oficial russo agora fazia. Ao vê-lo, senti como se estivesse a ver Maria Madalena chorando ao pé da cruz, e mesmo quando Cristo já era cadáver no túmulo. Então li a história da Ressurreição. Ele não sabia que Cristo havia ressuscitado dos mortos. Quando ouviu tão maravilhosas novas, bateu em seus joelhos e proferiu palavras não muito dignas, porém, eu as considerei de grande valor, pois esta era a sua rude maneira de se expressar! Mais uma vez se alegrou. Gritou de alegria: "Ele está vivo!". Novamente dançou ao redor da sala, transbordante de alegria.

Disse-lhe: "Oremos!" Ele não sabia como orar. Não sabia as nossas frases sagradas. Ajoelhamo-nos e suas palavras foram: "Oh Deus, que camaradão Tu és! Se eu fora Tu e Tu fosses eu, nunca Te perdoaria os Teus pecados. Porém Tu és realmente um camaradão! Eu Te amo de todo o meu coração".

Penso que todos os anjos nos céus pararam para ouvir esta sublime oração de um oficial russo. O homem havia sido vencido por Cristo!

Missionários que foram à África, tiveram dificuldades em traduzir as palavras de Isaías, "Ainda que os teus pecados sejam vermelhos como a escarlata eles se tornarão mais alvos que a neve." Ninguém na África Central jamais viu neve. Não tinham palavra para neve. Tiveram que traduzir: "Vossos pecados se tornarão mais alvos que a polpa de coco seco".

Outra técnica também empregávamos para fazer chegar tal literatura às mãos dos russos. Os soldados russos estavam lutando havia vários anos e muitos deles tinham deixado crianças, às quais não viam por todo esse tempo. (Os russos têm grande afeição por crianças). Meu filho Mihai, juntamente com outras crianças de menos de dez anos, ia aos soldados russos nas ruas e parques, levando consigo muitas Bíblias, Evangelhos e panfletos religiosos em seus bolsos. Os soldados russos acariciavam-lhes as cabeças e com eles falavam carinhosamente, pensando em seus filhos que não viam por tantos anos. Davam chocolates ou doces e as crianças, por sua vez, davam-lhes alguma coisa: Bíblias e Evangelhos que eram recebidos com ansiedade. De fato, o que nos era muito perigoso fazer abertamente, nossos filhos faziam em completa segurança. Eles eram "pequenos missionários" a serviço dos russos. Os resultados eram excelentes.


NO CAPITULO 2 a historia desenrola com a descrição das torturas que o escritor e seus companheiros sofreram nas cadeias soviéticas por amor a cristo e a alegria por ser esbofeteado em pro a Jesus Cristo. Vai alguns trechos que separei do Capitulo 2

Torturas Indescritíveis
Um pastor, chamado Florescu, foi torturado com atiçadores de ferro em brasa, e com facas. Foi açoitado horrivelmente. Ratos famintos eram introduzidos em sua cela através de um cano grosso. Ele não podia dormir, pois tinha de se defender o tempo todo. Se descansasse um só momento, os ratos o atacariam.

Foi forçado a ficar de pé por duas semanas, dia e noite. Os comunistas queriam forçá-lo a trair seus irmãos, porém não o conseguiram. Por fim trouxeram seu filho de 14 anos e começaram a açoitá-lo na presença do pai, dizendo que continuariam a bater até que o pastor dissesse o que eles queriam. O homem, coitado, Já estava quase louco.

Suportou até onde pôde. Por fim, gritou para o filho: "Alexandre, tenho de dizer o que eles querem! Não posso mais suportar o que lhe estão fazendo!" O filho respondeu: "Papai, não me faça a injustiça de ter um traidor por pai! Resista! Se me matarem, morrerei com as palavras “Jesus é minha terra natal!”A fúria dos comunistas caiu sobre o menino, em quem bateram até matá-lo, vendo-se manchas do seu sangue pelas paredes da cela”. Morreu louvando a Deus. Nosso querido irmão Florescu nunca mais foi o mesmo, depois do que presenciou.

Eram colocadas algemas em nossos pulsos as quais tinham lâminas afiadas na parte interna. Se ficássemos totalmente parados, elas não nos cortavam. Mas nas celas muito frias, quando tremíamos, nossos pulsos eram cortados pelas lâminas.

Crentes eram pendurados em cordas, de cabeça para baixo, e açoitados tão severamente que seus corpos balançavam de um lado para o outro sob a força das pancadas. Eram colocados em refrigeradores, "celas refrigerantes", tão frias que se formava uma camada de gelo na parte interna. Eu próprio fui jogado em uma dessas celas, com bem pouca roupa. Médicos da prisão observavam-nos através de uma abertura, até verem sintomas de morte por congelamento. Nesse ponto davam sinal e os guardas nos tiravam e então éramos aquecidos. Quando já estávamos adquirindo calor, éramos imediatamente colocados de novo nas celas congeladoras, e isto repetidamente!

Descongelar depois congelar até um ou dois minutos antes da morte, e então descongelar novamente. Isso continuava indefinidamente. Até hoje algumas vezes não suporto abrir um refrigerador.

Fizemos um acordo — Nós pregávamos eles nos batiam!
Proibiram-me terminantemente de pregar a outros prisioneiros. Ficou entendido que quem fosse apanhado pregando, receberia uma tremenda surra. Vários de nós resolvemos pagar o preço do privilégio de pregar; portanto, aceitamos as condições deles. Era um acordo: nós pregávamos e eles nos batiam. Éramos felizes pregando. Estavam felizes em nos espancar. Por conseguinte, todos estavam felizes. A cena que vou descrever repetiu-se mais vezes de quantas me é possível lembrar: um irmão estava pregando a outros presos quando os guardas repentinamente entraram, surpreendendo-o na metade de uma frase. Arrastaram-no pelo corredor até a "sala de surras". Depois do que parecia uma surra que não acabava mais, traziam-no de volta e o jogavam — moído e sangrento — no chão do cárcere. Vagarosamente se reanimava. Doloridamente ajeitava a roupa e dizia: "Agora, irmãos, em que ponto estava quando fui interrompido?" E continuava a sua mensagem do Evangelho. Já presenciei coisas belas assim!


NO CAPITULO 3 o povo de Cristo do Ocidente paga a sua fiança e ele e livre da prisão. E também existe o relato de mártires da fé.


Disseram-me: "Vá para o Ocidente e pregue Cristo tanto quanto queira, mas não nos moleste. Não diga nada contra nós. Aqui está o nosso plano a seu respeito, se contar o que lhe aconteceu durante estes anos: Em primeiro lugar, por apenas 500 libras podemos contratar Um 'gangster' para liquidá-lo, ou poderemos raptá-lo". (Estive na mesma cela com um bispo ortodoxo, Vasile Leul, que fora raptado na Áustria e trazido para a Romênia. Todas as suas unhas lhe haviam sido arrancadas. Estive também com outros raptados em Berlim. Recentemente romenos foram raptados em Paris e na Itália). Disseram-me mais: "Podemos também destruí-lo moralmente, espalhando uma estória sua com uma jovem, roubo ou algum outro pecado de sua juventude. Os ocidentais — especialmente os americanos — deixam-se enganar facilmente".

Odeio o sistema comunista, mas amo os seus homens. Odeio o pecado, mas amo o pecador. Amo os comunistas de todo o meu coração. Eles podem matar os crentes, mas o amor que estes têm por aqueles que os matam, esse amor eles não destroem. Não tenho o menor rancor aos comunistas, nem mesmo aos meus torturadores.


NO CAPITULO 4 temos mais relatos dos mártires de Cristo e trechos importantes sobre os ensinamentos comunistas refutados por cristãos. Leia algumas partes deste maravilhoso capitulo do livro.


Os judeus têm uma lenda interessante. Quando seus antepassados foram salvos do Egito e os egípcios se afogaram no Mar Vermelho, os anjos, juntamente com eles, cantaram louvores. E Deus disse aos anjos: "Os judeus podem alegrar-se por serem homens e alegram-se por estar livres. Mas de vocês espero mais compreensão. Não sãos os egípcios também minhas criaturas? Não os amo também Eu? Como então vocês se negam a sentir como Eu o trágico destino deles?”.

São Macário disse: "Se um homem ama a todos os demais com ardor, mas refere apenas um a quem não pode amar tal homem não é mais um cristão, porque seu amor não é universal". Santo Agostinho ensina: "Se toda a humanidade fora perfeita, mas apenas um homem for a pecador, Cristo teria vindo sofrer na cruz por esse homem, porquanto Ele ama cada pessoa individualmente". Os ensinamentos cristãos são claros. Os comunistas são homens, e Cristo os ama. Da mesma maneira agem todos quantos têm a mente de
Cristo. Amamos ao pecador, apesar de odiarmos o pecado.

Alguns diretores de Missões parece que estudaram muito pouca História Eclesiástica. Como foi a Noruega conquistada para Cristo? Conquistando-se o Rei Olaf.

A Rússia a princípio teve o Evangelho quando seu rei Vladimir foi ganho. A Hungria foi conquistada ganhando-se Santo Estevão, seu rei. O mesmo aconteceu com a Polônia. Na África, aconteceu que o chefe da tribo foi ganho para Cristo, toda a tribo o seguiu. Nós organizamos Missões para pessoas comuns, da plebe, que podem tornar-se muito bons crentes, mas que não têm influência para modificar o estado de coisas. Temos de conquistar dirigentes: personalidades políticas, econômicas, cientistas, artistas. São eles os engenheiros de almas. Ganhando-os, se ganha o povo que dirigem, e sobre o qual têm influência.

Do ponto de vista missionário, o Comunismo tem uma vantagem que não é encontrada em outros sistemas sociais. É mais centralizado. Se o Presidente dos Estados Unidos se convertesse ao Mormonismo, só por este fato a América não se tornaria mórmon. Mas se Mao Tsé-Tung se convertesse ao Cristianismo — ou Breshnev ou Ceaushescu — seus países inteiros poderiam ser conquistados. Tão grande é o impacto da influência dos Líderes.

É necessário estratégia no trabalho missionário. Do ponto de vista da salvação todos são iguais; do ponto de vista da estratégia missionária, nem todos são iguais. É mais importante ganhar um homem de grande influencia que poderá levar depois milhares ao conhecimento do Evangelho, do que falar a um silvícola, assegurando, para ele só, a salvação. Por esta razão Jesus não escolheu um lugar obscuro onde encerrar Seu ministério, e sim Jerusalém, o centro espiritual do mundo. Por esta mesma razão Paulo fez tanto esforço por estar em Roma.

A Igreja Primitiva trabalhou às ocultas e ilegalmente, porém triunfou. Devemos mais uma vez aprender a trabalhar desta maneira.

Até que chegasse o Comunismo, nunca entendi por que tantas pessoas do Novo Testamento eram chamadas por sobrenomes: Simão, chamado Niger, João, chamado Marcos, e outros. Usamos nomes secretos em nosso trabalho, hoje, nos países comunistas.

Nunca entendi antes por que Jesus, quando mandou preparar a última Ceia, não deu um endereço, mas declarou: "Ide à cidade e vos sairá ao encontro um homem trazendo um cântaro de água". Agora entendo. Também damos senhas, sinais convencionais de reconhecimento na Igreja Subterrânea. .

Este livro está sendo escrito não tanto com tinta mas com o sangue de corações que sangram

Como nos tempos de Daniel os três jovens que foram colocados na fornalha depois que de lá saíram não cheiravam a fogo, da mesma maneira os crentes que estiveram em prisões de comunistas não têm qualquer ressentimento contra eles. Uma flor, que o leitor esmague sob os pés, recompensa-lhe dando seu perfume. De igual medo os crentes torturados pelos comunistas, recompensam-nos com amor.

As lições da História são ignoradas.
Nos primeiros séculos houve uma Igreja florescente no norte da África. De lá procederam Santo Agostinho, São Cipriano, Santo Atanásio e Tertuliano. Os crentes de lá apenas negligenciaram uma coisa: conquistar os maometanos para Cristo. O resultado foi que os maometanos invadiram o norte da África e de lá extirparam, durante séculos, o Cristianismo. A África do Norte ainda hoje pertence aos maometanos, que são considerados, pela missão evangélica, como "bloco dos Inconversíveis".

Aprendamos essa lição da História.
Na época da Reforma, os interesses religiosos de Huss, Lutero e Calvino coincidiram com os interesses dos povos da Europa, os quais ansiavam verem-se livres do jugo papal que. na época, representava opressão política e poder econômico. De igual modo hoje, o interesse da Igreja Subterrânea em divulgar o Evangelho entre os comunistas e suas vítimas coincide com o vital interesse de todos os povos livres por continuarem livres.

Hya Ehrenburg, escritora soviética, diz que se Stalin durante toda a sua vida não tivesse feito outra coisa senão escrever os nomes de suas vítimas inocentes, sua vida teria sido curta para concluir essa tarefa. Kruschev afirmou no XX Congresso do Partido Comunista: "Stalin liquidou com milhares de comunistas honestos e inocentes... Dos cento e trinta e nove membros e candidatos do Comitê Central, que haviam sido
escolhidos no XVII Congresso, noventa e oito, isto é, setenta por cento, foram mais tarde presos e fuzilados".

Agora imaginem o que ele fez aos crentes!

Existe apenas uma força que pode derrubar o Comunismo. É a mesma que fez com que os Estados Cristãos tomassem o lugar do Império Romano pagão, força que transformou em cristãos os selvagens teutões e os "Vikings", e que desbancou a sangrenta Inquisição. Esta força é o poder do Evangelho, representado pela Igreja Subterrânea existente em todos os países comunistas.

A Igreja Subterrânea já tem conquistado vários líderes comunistas para Cristo. Gheorghiu Dej, primeiro Ministro da Romênia, morreu crente, depois de confessar seus pecados e modificar sua vida pecaminosa. Nos países comunistas existem membros do governo que são crentes às ocultas. Isto pode propagar-se. Então poderemos esperar grande modificação na política de alguns governos comunistas — não modificações como aquelas de Tito e Gomulka, depois das quais o mesmo sistema ditatorial de um partido ateu e cruel continuaram — mas uma modificação em favor do Cristianismo e da liberdade.

Lembrei-me de Santo Antônio, o Grande. Passou trinta anos no deserto. Tinha abandonado completamente o mundo, passando a viver em jejum e oração. Quando, porém, ouviu a respeito da luta travada entre Santo Atanásio e Ario em torno da divindade de Cristo, deixou a vida contemplativa e foi a Alexandria ajudar a verdade a triunfar. Lembrei-me de São Bernardo de Clairvaux. Era também um monge, que vivia  no alto das montanhas. Tendo porém ouvido a respeito da insensatez das Cruzadas, em que cristãos matavam árabes e judeus e irmãos na fé, pertencentes a outra confissão, a fim de conquistarem um túmulo vazio, deixou seu mosteiro e desceu daquelas Alturas para pregar contra as Cruzadas.

Alguns dizem-me: "Pregue somente o Evangelho!" Isto me faz lembrar que a Polícia Secreta comunista também me disse que pregasse a Cristo sem falar no Comunismo. Será que aqueles que são pelo chamado "Evangelho Puro" são inspirados pelo mesmo espírito dos que pertencem à Polícia Secreta Comunista?
Não sei o que seja o chamado "Evangelho Puro". Seria pura a pregação de João Batista? Não somente disse: "Arrependei-vos porque o reino de Deus está perto", como também disse: "Tu, Herodes, és mau". Foi decapitado porque não se restringiu ao ensino abstrato. Jesus não pregou apenas o "Puro" Sermão da Montanha, porém o que alguns líderes da Igreja atual chamariam de sermão negativo. "Ai de vós escribas e fariseus hipócritas... Raça de víboras!" Foi por causa de tal pregação "impura" que Ele foi crucificado. Os fariseus não se teriam incomodado com o Sermão da Montanha.

Há, porém, uma força que não dorme: a dos comunistas. Entretanto no Oriente os comunistas estão desapontados e desiludidos, no Ocidente o Comunismo tem permanecido virulento. Os comunistas ocidentais simplesmente não crêem em todas as más notícias a respeito das crueldades, misérias e perseguições nos países do bloco comunista. Espalham sua fé com incansável zelo por toda parte, nos salões da alta sociedade, nos clubes de intelectuais, nos colégios, nas choupanas e nas igrejas. Nós, crentes, muitas vezes ficamos parcialmente do lado da verdade integral, enquanto eles estão totalmente e de todo o coração do lado da mentira.

O escritor mosaico Claude Montefiore disse que a atitude de Jesus para com os escribas e fariseus, a acusação pública que lhes fez, foi contrária ao Seu mandamento de amarmos nossos inimigos e abençoarmos aqueles que nos amaldiçoam. O Dr. W. R. Mathews, Deão da Igreja de São Paulo em Londres, conclui que tal atitude é uma incoerência e contradição em Jesus. Dá a desculpa de que Jesus não era um intelectual! A impressão que Montefiore tinha de Jesus era errada. Jesus amou aos fariseus, apesar de os denunciar publicamente. Eu amo aos comunistas, tanto quanto aqueles que na Igreja são instrumentos deles, apesar de acusá-los.


NO CAPITULO 5 Ele critica severamente a posição de algumas igrejas do ocidente e relata vidas de pessoas que morreram por amor a Cristo.  Confira alguns fragmentos. 


A fiel Igreja Subterrânea tem milhares de membros em tais posições. Promovem reuniões secretas em porões, sótãos, apartamentos e lares.

Na Rússia ninguém lembra mais os argumentos a favor ou contra o batismo de crianças ou adultos, nem a favor nem contra a infalibilidade papal. Não são pré nem pós-milenistas. Não são capazes de interpretar profecias, nem discutem sobre elas, porém muitas vezes fiquei pasmado ante a facilidade com que podiam provar aos ateus a existência de Deus.

Suas respostas aos ateus são simples: "Se vocês fossem convidados a uma festa, onde houvesse todos os tipos de boas iguarias, creriam que ninguém as havia preparado? Ora, a natureza é um banquete preparado para nós! Temos tomates, pêssegos, maçãs, leite e mel. Quem preparou estas coisas para a humanidade? A natureza é cega. Se vocês não crêem em Deus, como explicam que a natureza cega conseguiu preparar exatamente as coisas de que necessitamos, com tanta abundância e variedade?"

Podem provar que existe a vida eterna. Ouvi um deles argumentando com um ateu: "Suponha que pudéssemos falar com um embrião no seio materno e que você lhe dissesse que a vida embrionária é muito curta, seguindo-se a ela uma vida real e longa. Que responderia o embrião? Diria exatamente o que vocês, ateus, nos respondem quando falamos sobre o paraíso e o inferno. Diria que a vida no seio materno é a única vida e que tudo o mais é insensatez religiosa. Todavia se o embrião pudesse pensar, diria a si mesmo: "Aqui estão braços crescendo em mim Não preciso deles Nem ao menos posso estirá-los! Por que crescem? Provavelmente para um futuro estágio em minha existência, no qual terei de trabalhar com eles As pernas crescem, mas tenho de conservá-las dobradas sobre o peito. Por que crescem? Provavelmente haverá uma vida em um mundo vasto, onde terei de andar. Os olhos crescem, apesar de estar eu em - completa escuridão e de não necessitar deles. Para que eu quero olhos? Provavelmente um mundo de luz e cores virá depois deste'. Assim, se o embrião pudesse refletir no seu desenvolvimento, saberia a respeito de uma vida fora do seio materno, sem vê-la. O mesmo acontece conosco. Enquanto somos jovens, temos vigor, porém, não fazemos ideia de como usá-lo corretamente. Quando, com o passar do tempo, crescemos em conhecimento e sabedoria, o carro fúnebre espera-nos para nos levar ao túmulo. Então, por que foi necessário crescer em conhecimento e sabedoria, se não mais poderemos usá-los? Por que crescem os olhos, as pernas e os braços em um embrião? É por causa do que vem depois! Tal é o que nos acontece aqui. Agora crescemos em conhecimento e sabedoria para usá-los no que vem depois. Estamos assim preparados para servir em um plano mais elevado que se segue à morte".

A Igreja Oficial, Igreja dos que colaboram com os comunistas, tem uma longa história.

Começou, imediatamente depois da Revolução Socialista Russa, com a "Igreja Viva", dirigida por um padre chamado Sérgio. Essa "Igreja Viva" proclamou abertamente, naquele tempo, em Moscou: "Nossa
intenção não é reconstruir a Igreja, porém aboli-la e erradicar toda religião". Belo programa para uma Igreja!... Em todos os países temos tido Sérgios assim.

Na Hungria, entre os católicos, foi o padre Balogh. Ele e alguns ministros protestantes ajudaram os comunistas a assumir todo o controle do Estado. Na Romênia, os comunistas subiram ao poder com a ajuda de um padre ortodoxo, chamado Burducea, ex-fascista, que teve de indenizar os vermelhos pelos seus pecados passados, tornando-se ainda mais "vermelho" do que seus chefes. Esse padre postou-se ao lado de Vishinski, Secretário soviético de Estado, e sorriu num gesto de aprovação quando aquele declarou na inauguração do novo governo comunista: "Este governo construirá um paraíso terrestre, e vocês não precisarão mais de um celestial".

Venceremos porque toda a herança cultural do nosso povo está do nosso lado. Os russos podem proibir todos os escritos dos modernos cristãos. Há, porém, os livros de Tolstoi e Dostoievschi; o povo acha a luz do Evangelho neles. Da mesma forma se dá com Goethe, na Alemanha Oriental, Szienkiewicz, na Polônia, e outros. O maior escritor romeno foi Sadoveanu. Os comunistas publicaram o seu livro A Vida dos Santos sob o título A Lenda dos Santos. Entretanto, mesmo sob esse título, o exemplo da vida dos santos inspira.

Eles não podem excluir as reproduções de Rafael, Miguel Ângelo, Leonardo da Vinci, da história das artes. Esses quadros falam de Cristo.


NO CAPITULO 6 ele traz a lume relatos escritos dos jornais comunistas, falando sobre a religião que leva a morte. Destaquei esses trechos do livro.


Esses crentes da Igreja Subterrânea estariam com medo? Não! Outros imediatamente arriscaram outra vez sua liberdade, publicando o Manifesto que temos diante de nós, no qual contam a história do que aconteceu, dizendo que a eles "foi concedida a graça de não somente crer em Cristo, como também de sofrer por Ele" (Fil. 1:29). Exortam os irmãos "a fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações, porque vós mesmos sabeis que estamos designados para isto" (I Tes. 3:3).

Um juiz indagou: "Por que você atrai gente para a sua seita proibida?" Uma irmã respondeu: "Nosso alvo é conquistar o mundo todo para Cristo". "Sua religião é anti-científica", disse o juiz, escarnecendo em outro julgamento, ao que uma jovem acusada — estudante — respondeu: "V. Excelência conhece mais ciência do que Einstein ou Newton? Eles eram crentes. Nosso universo tem o nome de Einstein. Aprendi no Ginásio que se chama Universo Einsteiniano. Einstein escreveu: "Se limparmos o Judaísmo dos profetas e o  ristianismo, como Jesus o ensinou, se os limparmos do que surgiu neles depois, especialmente da astúcia padresca, teremos uma religião que pode salvar o mundo de todos os males sociais. É dever santo de todo homem fazer tudo que puder para levar essa religião ao triunfo'. Tenha na lembrança o nosso grande fisiologista Pavlov. Não dizem os nossos livros que ele foi cristão? Até Marx, no prefácio do seu livro 'Das Kapi-tal', disse que o 'Cristianismo, especialmente em sua forma protestante, é a religião ideal para reconstituir caracteres destruídos pelo pecado'. Eu tinha um caráter destruído pelo pecado. Marx ensinou-me a tornar-me cristã, a fim de refazê-lo. Como podeis vós, marxistas, julgar-me por isto?"

É fácil compreender por que o juiz permaneceu calado. A mesma acusação de ter uma religião anti-científica, um crente respondeu diante de um tribunal: "Estou certo, Sr. Juiz, que o Senhor não é tão grande cientista como Simpson, o descobridor do clorofórmio e de muitos outros medicamentos. Quando lhe perguntaram qual das suas descobertas considerava a maior, respondeu: "Não foi o clorofórmio. Minha maior descoberta foi saber que sou pecador e que posso ser salvo pela graça de Deus'", A vida, o sacrifício pessoal, o sangue que eles estão prontos a derramar por sua fé, este é o maior argumento em favor do Cristianismo, apresentado pela Igreja Subterrânea.

Isso constitui o que o renomado missionário da África, Albert Schweitzer, chamou "a comunhão sagrada daqueles que têm as marcas da dor", comunhão à qual Jesus, o Varão de Dores, pertenceu". A Igreja Subterrânea está unida por um laço de amor ao seu Salvador. O mesmo laço une os membros da Igreja uns aos outros. Ninguém no mundo pode derrotá-los.


Capitulo 7 Ele traz cartaz de pessoas que foram presas e não negaram a fê crista. Veja trechos deste capitulo.


Dois camponeses muito sujos um dia chegaram à minha casa. Tinham saído de sua vila para conseguir trabalho como paleadores de terra gelada durante todo o inverno, a fim de adquirirem algum dinheiro, com a leve esperança de poderem comprar uma Bíblia velha e rota para a sua vila. Porque eu tinha recebido Bíblias da América, pude dar-lhes uma Bíblia nova, e não uma velha e estragada. Não podiam crer no que seus olhos viam! Quiseram pagar-me com o dinheiro ganho no trabalho. Recusei. Apressaram-se a voltar à sua vila com a Bíblia. Alguns dias depois recebi uma carta em que demonstravam incontida e extasiada alegria, agradecendo-me as Escrituras. Assinavam-na trinta residentes do lugar. Cuidadosamente dividiram a Bíblia em trinta partes, que eles permutavam entre si.

Download do Livro E-Book em PDF: Torturados por Amor a Cristo.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.