Lição 3 - Davi, o verdadeiro gigante / Subsídio da revista BETEL - 20 de Outubro de 2013



LIÇÃO 3 – 20 de outubro de 2013 – Editora BETEL

Comentarista: Pastor Dr. Abner de Cássio Ferreira

Davi, o verdadeiro gigante


TEXTO AUREO

“Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado”. ISm 17.45

VERDADE APLICADA

Existem casos em que a oração deve ser substituída pela ação. O que Deus espera de nós para realizar grandes milagres é apenas uma atitude.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

 Ensinar que Deus sempre nos observa como somos e não como as pessoas nos veem;
 Apresentar a dimensão espiritual na qual Davi estava mergulhado no momento da batalha;
 Mostrar que Davi tomou a atitude de enfrentar Golias.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

ISm 17.41 - O filisteu também vinha se aproximando de Davi; e o que lhe levava o escudo ia adiante dele.
ISm 17.49 - E Davi pôs a mão no alforje, e tomou dali uma pedra e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa, e caiu sobre o seu rosto em terra.
ISm 17.50 - Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; sem que Davi tivesse uma espada na mão.

Acerca de 26 km a sudeste de Jerusalém, e talvez a 16 km de Belém, nas fronteiras ao sul de Judá, Sucó e Azeca, a planície sul de Judá, entre essas cidades os filisteus acamparam-se em Efes-Damim (termo de Damim). Os israelitas, liderados por Saul, estavam em uma colina do outro lado do vale de Elá, um desfiladeiro ou vale estreito com laterais íngreme e largo.
Davi não ficava o tempo todo no acampamento com Saul, ficava o tempo que se fazia necessário com o rei, ou seja, sempre que rei o chamava, Davi deixava suas ovelhas com alguém de sua confiança, para atendê-lo.
As guerras daquele tempo não eram como as de hoje, onde tudo é bancado pelo Estado; naqueles dias funcionavam assim: as famílias enviavam seus filhos, e mantinham lá prestando a devida assistência. Por isso, Jessé que era avançado em idade, pai dos moços: Eliabe, Abinadade e Samá, enviou Davi ao acampamento israelita para levar mantimentos (um efa – aproximadamente um alqueire, cerca de 35 litros) e obter informação dos filhos e a guerra.
Enquanto isso, um homem de estatura gigantesca, Golias, de Gate, apresentou-se como um campeão dos filisteus, e desafiou um oponente do exército de Israel. Uma prática comum nas guerras antigas. Ele tinha mais de 2 metros e 80 centímetros de altura, usava uma armadura que pesava cerca de 68 kg, e a haste de sua lança era como um eixo de tecelão, cuja ponta pesava cerca de 9 kg.
Ouvindo, então, Saul e todo Israel, espantaram-se e temeram muito.
Os Israelitas sabiam que Saul, o homem mais alto e mais forte do exército, deveria ser o campeão de Israel. No entanto, o próprio Saul fez uma oferta generosa ao homem que se prontificasse a calar Golias: ele se casaria com uma de suas filhas, receberia muita riqueza e a casa de seu pai seria isenta de impostos. Saul esperava que com isso houvesse candidatos tentados a lutar e derrotar Golias, mesmo assim não houve candidatos.
Davi surgiu e reage com a mais completa aversão ao discurso de Golias. Quem era aquele incircunciso para blasfemar contra o Deus de Israel? Lembre-se que Davi era jovem demais para servir o exercito. Para Davi, Golias era apenas mais um “urso” que tentava amedrontar o rebanho de Deus.
Os irmãos de Davi não gostaram dessa conversa e reagiram contrariamente: somos soldados, e você é apenas um pastorzinho! Veio só assisti à batalha, volte para casa, vá cuidar de seu pequeno rebanho e deixe o combate por nossa conta.
Sempre que damos um passo de fé para lutar contra o inimigo, há alguém a nosso redor para nos desanimar, e, com frequência, essa resistência começa no próprio lar.
“Todos os gigantes de Deus foram homens fracos que fizeram grandes coisas para ele, pois contaram como certo que o Senhor estaria ao seu lado.” James Hudson Taylor.
Davi não conseguiu adequar às armas de guerra oferecidas por Saul. Preferindo ficar com seu cajado, sua funda de pastor e cinco seixos do ribeiro. O Dr J. B. Chapman usou isto para ilustrar o significado de ser “mais do que vencedor”. Se Davi tivesse usado todas as cinco peras em sua luta com Golias, ele ainda teria vencido. Mas da maneira com os fatos ocorreram, ele matou o gigante com uma, e estaria pronto caso quatro outros tivessem aparecido no horizonte.
Fontes: Comentários Bíblicos: Beacon e Warren W. Wiersbe

Introdução
Num dia como outro qualquer, sem saber o que poderia lhe acontecer, Davi é comissionado por seu pai para levar uma refeição para seus irmãos que estavam no vale do carvalho sendo afrontados pelos filisteus e seu campeão Golias (ISm 17.20). Os olhos temerosos dos israelitas estavam tão fitos no gigante, que nem se deram conta do momento em que seu pequenino campeão chegou. Foi um dia histórico, que mudou a vida de Davi para sempre.

OBJETIVO
 Ensinar que Deus sempre nos observa como somos e não como as pessoas nos veem;

1. Conhecendo o pastor Davi
Ao chegar ao vale de Elá e deparar-se com aquela cena aterrorizante, Davi resolveu dar um passo a mais em sua vida, enfrentar Golias em nome do Senhor. Na verdade, não temos posicionamento bíblico para afirmar de onde surgiu tal coragem, mas uma coisa é certa, a unção nos leva a fazer coisas que jamais seriamos capazes de raciocinar antes de fazê-las. Golias tinha tudo que geralmente impressiona e intimida, mas Davi revela que aparência nada significa quando vemos Deus como o maior de todos.

1.1. Davi, um herói sem aparência.
Deus escolhe os momentos e cria as oportunidades, e quando menos imaginamos, lá estamos nós no meio da batalha. Davi acordou de madrugada para atender ao pedido de seu pai, deixou as ovelhas com um guarda, e partiu, sem saber que ele era o herói que Deus estava enviando. Davi fascinou a todos, menos Deus que o havia escolhido. Aqui se cumpre literalmente o que disse Deus no momento de sua escolha: “o homem vê a aparência, Deus vê o interior.” Todos temiam Golias por sua aparência, mas o verdadeiro gigante estava na pele de um adolescente. Foi um dia comum, que Deus escolheu para escrever seu nome para sempre na história. Deus ainda continua o mesmo, entreguemos a ele as diretrizes de nossa caminhada.

1.2. Todo herói possui armas especiais
Antes da luta contra Golias, Davi apresenta a Saul um currículo obtido na solidão, vitórias que surgem em lugares que ninguém, a não ser o Senhor, poderia contemplá-las. A Bíblia nos diz que puseram em Davi as vestes de guerra de Saul. Mas o tamanho e o peso lhe impediam de caminhar, Davi retira aquelas vestes e lança mão de sua maior arma, a funda (ISm 17.38-40).Estamos sempre tentando colocar nossa armadura em alguém ou vestir alguém com nossa armadura. Infelizmente, ainda não descobrimos que não precisamos copiar ideias de outras pessoas, porque temos um Deus revelador, capaz de nos dar armas poderosas, que, por muitas vezes, pareçam surpreendentes. Lembre-se de que Davi não podia andar com a roupa de Saul. É por isso que não avançamos mais, porque em vez de usar nossas próprias armas, queremos inserir em nossas igrejas as revelações dadas a outras pessoas.

1.3. Cinco seixos do ribeiro
Olhando com lentes naturais, em quem você apostaria? Não havia ninguém que acreditasse em Davi, nem mesmo os israelitas. Mas Davi não precisava do apoio de ninguém a não ser Deus. Ele encara o gigante e não se intimida, mas antes faz uma coisa interessante, vai até o ribeiro e escolhe cinco seixos (pedras), dos quais usa apenas uma para abater o gigante (ISm 17.40). Onde Davi encontrou a arma para vencer Golias? No ribeiro (símbolo do Espírito Santo). Em ribeiro, não se mergulha, ajoelha-se ou se curva. Isso significa que para cada batalha de nossa vida, um gesto de humildade e reverência diante do Espírito Santo nos levará a grandes feitos.

OBJETIVO
► Apresentar a dimensão espiritual na qual Davi estava mergulhado no momento da batalha;

2. O impressionante Golias
Golias afrontava os exércitos de Israel, convidando-os para uma luta representativa, onde apenas duas pessoas se enfrentariam. De um lado, estava ele representando o exército filisteu, do outro, o escolhido de Israel. Quem ganhasse, o seu exército ganharia, quem perdesse, todo seu exército perderia (ISm 17.8.9). Assim o fazia todas as manhãs e todas as tardes, durante quarenta dias, até encontrar-se com Davi.

2.1. O aterrorizante Golias
Charles Swindoll relata como era topar com Golias. “Os filisteus se preparavam para a batalha, usando uma roupa debaixo muito pesada, uma espécie de lona, entrelaçada com anéis de bronze sobrepostos. Esta cota ia do ombro ao joelho, cobrindo e protegendo o corpo contra armas inimigas. A armadura feita desse material e tamanho pesava cerca de 80 a 90 quilos. Golias usava também um capacete de bronze, caneleiras de bronze para proteger as pernas, e um dardo de bronze entre os ombros, só a cabeça da lança pesava de 9 a 11 quilos. À sua frente estava um escudeiro que portava um escudo do tamanho de um homem, o qual protegeria Golias das flechas inimigas.” (ISm 17.4-7). Enfrentar Golias não era para qualquer um, ele era tremendamente assustador. O povo temia tanto a ele que recuava, ele, porém, penetrava cada vez mais no arraial israelita. Assim são os gigantes em nossas vidas, eles não vêm apenas uma vez, e, enquanto não os enfrentamos, eles vão se apossando de nossos territórios.
Da encosta da montanha, Golias olha lá para baixo. Ele junta mente com seu bando de filisteus transformaram aquele vale em uma floresta de lanças; Ele ostenta os exércitos, que recuam e se encolhem amedrontados com sua destruidora aparência. Nosso Golias pode ser o desemprego, o abandono, o abuso sexual ou a depressão. O nosso gigante não desfila pelas montanhas; ele pode estar no escritório onde trabalhamos, em nosso quarto, na sala de aula. Ele traz contas que não podemos pagar; notas que não pode tirar pessoas a quem não podemos agradar, o pecado que não conseguimos resistir. Ele nos ostenta com um passado em que não podemos mexer e um futuro que não conseguimos encarar. Ele é vil, aterrorizante. Mas, em nome do Senhor, poderemos vencê-lo. Com apenas uma pedra ele se calará.

2.2. Golias surge, Deus desaparece.
Nossa geração não é muito diferente dos dias de Davi e Golias. Somos especializados em louvores que falam sobre provações como: abertura do mar, a porta e a exaltação de Deus, o deserto que iremos sair, o palco que estaremos vendo os inimigos na plateia, etc. Isto sem contar com as inúmeras pregações melancólicas que ouvimos. Parece que nunca estamos prontos, que a vida é uma eterna prova. Estamos acomodados como os exércitos de Israel, nosso maior discurso é Golias. Esquecemos do principal, Deus. Ele tem muito mais do que canções fúnebres e cultos sem vida para nos oferecer. As pessoas conheciam de cor os insultos de Golias, suas exigências, seu tamanho, seu andar altivo. Todos eram especializados em Golias. A única vez que se ouve falar de Deus é quando chega Davi. Ele viu o gigante, mas a grandeza que via em Deus ofuscava tudo o que se dizia a respeito a Golias. Mudemos nosso vocabulário, e derrubemos Golias.

2.3. Enfrente seu Golias
Já tentou imaginar por que nem mesmo o rei Saul pode enfrentar Golias? Será que já pensamos no fato de Golias ser uma etapa pela qual Davi deveria passar para avançar no plano de Deus? Como seria para nós enfrentar um Golias desse tipo apenas com os olhos de nossa fé? É na solidão do campo de batalha que aprendemos a confiar em Deus, e não há ninguém que possaenfrentar o Golias que Deus preparou para nós. Às vezes, buscamos quem nos ajude a carregar o fardo orando por nós, criamos campanhas, colocamos diversas coisas na frente para evitar o confronto. Mas nossos “Golias” são somente nossos e de mais ninguém. Não sabemos o que está do outro lado do vale, mas ele está lá por nossa espera. Não há como fugir dele. Tudo o que Deus espera é que, ao chegar onde ele está, o enfrentemos em seu nome, e tudo dará certo.
Enquanto todos viam Golias, Davi via a Deus. Davi aparece falando sobre Deus. Os soldados nada mencionaram sobre ele, os irmãos nunca falaram seu nome, mas Davi entra em cena e levanta a questão do Deus vivo. Ele faz o mesmo com o rei Saul: não joga conversa fora falando sobre a batalha ou fazendo perguntas sobre as chances de vitória. Ele traz somente um recado de Deus: “O Senhor que me livrou das garras do leão e das garras do urso me livrará, das mãos desse filisteu” (17.37).

OBJETIVO
 Mostrar que Davi tomou a atitude de enfrentar Golias.

3. Davi, o grande vencedor.
Ao chegar ao local onde seus irmãos estavam Davi observa o alvoroço, se inteira a respeito do que está acontecendo e por um momento esquece o que veio fazer e entra na briga. Ele também vê o gigantemas vê Deus com nitidez ainda maior. Observe o grito de guerra de Davi: “eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel” (17.45). Observe o substantivo no plural “exércitos” de Israel. Exércitos? Enquanto todos viam Golias e o exército filisteu, Davi via Deus e seu poderoso exército de aliados.

3.1. Davi venceu, porque vivia em outra dimensão.
A pior etapa da provação é quando nos acostumamos com a situação. Durante quarenta dias, Saul, os irmãos de Davi, e o exército israelita ouviam o mesmo discurso. Golias já estava tão acostumado a ostentá-los que já havia penetrado nos limites do exército de Israel, que apenas recuavam diante da situação. Nossas possibilidades ou derrotas são o resultado davisão que temos de Deus. O povo já não falava em Deus, já acostumara a ouvir Golias e suas afrontas. Mas Davi não. Ele vivia no pasto, compondo salmos de engrandecimento à pessoa de Deus, o seu Pastor-Mor; estava matando leões e ursos, sendo preparado, na solidão, para esse dia. Davi vivia em outra dimensão espiritual, ele sabia do que Deus era capaz, que Deus tinha um exército que poderia pulverizar Golias e suas tropas. Mas como Deus é grandioso demais, derrubou toda afronta com apenas uma pedra. A pedra é Cristo, o ribeiro é o Espírito Santo. Que tal ajoelharmos e nos curvarmos para começar a matar nossos gigantes?

3.2. Davi venceu, porque tomou uma atitude.
Em parte alguma da Bíblia, há registros que Deus mandou Davi lutar contra Golias. Deus não mandou. Davi tomou uma atitude. Quando a unção está na vida de uma pessoa, ela se encarrega de produzir coragem e decisões. Não precisamos ficar esperando profetas nos dizerem o que fazer ou aonde irA orientação de Deus pelas Escrituras nos destina a grandes conquistas. Porém, existem pessoas que “se enchem demais de Deus” para nada fazer. É tempo de tomar uma atitude, nem tudo é para orar e apresentar a Deus. Não há sequer uma oração ou clamor a Deus nessa passagem. Tudo que vemos é uma atitude de alguém que sabia quem era o Deus que estava com ele. Temos a unção, derrubemos o Golias.

3.3. A vitória de Davi estimulou um exército derrotado a lutar
O final da história é um incentivo para nossas vidas. Deus precisa que apenas uma pessoa acredite que é possível, depois, os outros serão renovados e fortalecidos por essa verdade. A luta se finda com a cabeça de Golias nas mãos de Davi, morto com sua própria espada, e os filisteus fugindo. Isso foi o bastante para que os exércitos falidos de Israel despertassem, alegrassem-se, e perseguissem os filisteus despojando seus arraiais (ISm 17.51-53). Aqueles homens devem ter pensado: “se um adolescente venceu o herói deles por que estamos aqui temerosos?” A Bíblia está repleta de maravilhas realizadas por Deus, e pra quê? Para que saibamos que Deus é o mesmo, e ainda realiza as mesmas coisas. Afinal, tudo é possível para aquele que crê (Mc 9.23).
A beleza dessa história é que aprendemos que Deus exalta seu nome quando somos fracos. Não precisamos ser eloquentes, fortes, de boa aparência, belos, brilhantes, ou temos todas as respostas para sermos abençoados por Deus. Ele honra a nossa fé, e tudo o que pede é que confiemos nEle. Não sabemos o que enfrentaremos do outro lado do vale, mas, se Deus nos enviou até lá, vamos com confiança que os gigantes cairão.

Conclusão
Davi enfrentou o leão e o urso, a incapacidade de Saul, o medo do povo, a crise de inveja de seu irmão mais velho, e Golias. Se você pensa que o único gigante enfrentado na batalha foi Golias, está indubitavelmente enganado. Toda grande vitória é seguida por etapas a serem superadas. Golias foi com certeza, a menor barreira enfrentada por Davi.

QUESTIONÁRIO

1. Qual foi o dia que Deus escolheu para escrever o nome de Davi na história?
R. Um dia comum, como outro qualquer.
2. O que os israelitas não viram enquanto contemplavam aterrorizados a Golias?
R. O seu herói chegar.
3. Quantos seixos Davi pegou no ribeiro?
R. Cinco.
4. O que aconteceu quando Golias surgiu?
R. Deus desapareceu.
5. Por que Davi venceu Golias?
R. Porque tomou uma atitude. Não há registros de que Deus o mandou lutar.

REFERÊCIAS BIBLIOGRÁFICAS:


Editora Betel 4º Trimestre de 2013, ano 23 nº 89 – Jovens e Adultos - “Dominical” Professor - Davi, a lâmpada de Israel - A incrível história de um rei segundo o coração de Deus




Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.