Fuja das tentações da mocidade



1 Timóteo 6.11 – “Tu, porém, homem de Deus foge destas coisas; antes, segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão.”

Paulo está sugerindo a Timóteo fugir da tentação de algumas coisas que poderiam trazer dissabores para a sua vida espiritual. Os versos 9 e 10 estão falando da tentação da riqueza, que gera concupiscência, que trazem ruína e perdição. Se formos para outros textos, então haveremos de ver muitas tentações das quais temos de fugir. A fuga das coisas pecaminosas implica numa caminhada noutra direção. Paulo sugere o caminho oposto que é o da justiça, da piedade, da fé, do amor, da constância e da mansidão.

Se há alguma coisa sobre a qual o cristão tem de ter uma posição de “covardia” é a das coisas relacionadas ao pecado. Não há nenhum demérito do cristão em fugir daquilo que Deus manda fugir. Nesse caso a fuga é uma estratégia sábia.

1. A FUGA É NECESSÁRIA POR CAUSA DA FORÇA DA SAGACIDADE DO INIMIGO

Deus conhece perfeitamente o Inimigo de nossas almas. Desde o princípio do mundo ele vem atacando os homens com grande astúcia. Os seres espirituais an gélicos, bons ou maus, são seres superiores a nós em inteligência por causa da natureza com que foram criados. Não é uma cousa prudente argumentar contra o diabo quando ele está querendo entabular conversa conosco. Não é prudente fazer como Eva fez, porque ela foi enganada pela astúcia da antiga Serpente. Se nós não fugirmos das tentações, caminhando para o lado oposto, poderemos cair nas mesmas armadilhas feitas por Satanás.

Indiretamente, ele é chamado na Escritura de passarinheiro. O salmista diz que Deus “nos livrará do laço do passarinheiro” (Sl 91.3; cf. 124.7). O passarinheiro arma emboscadas para pegar seus pássaros de modo que estes só percebem quando estão presos pelo laço. Satanás atrai e seduz . Dessa forma, o passarinheiro de nossas almas com sua astúcia, arma laços e muitos têm caído nele, mesmo bons cristãos.

Esta figura aponta para a sua sagacidade. E Deus quer que nós fujamos da sagacidade dele. Temos que fugir da tentação por causa da astúcia de Satanás. Ele é mais inteligente que nós, e não é prudente enfrentá-lo cara a cara. Não tenha medo de fugir das tentações. Quando você foge delas, isso significa que você está pendendo para as coisas de Deus. Fugir da tentação é caminhar em direção à verdade de Deus.

2. A FUGA É NECESSÁRIA POR CAUSA DA FRAQUEZA DE NOSSA NATUREZA PECAMINOSA

Além da astúcia e da sagacidade de Satanás, Deus sabe que nós somos fracos. Ele conhece a nossa natureza ainda inclina para o mal. Ele ainda não terminou a obra de despoluição em nós. Ele ainda não retirou de nós aquilo que nos faz pecar, que é a nossa natureza corrupta. Portanto, a fuga da tentação é alguma coisa altamente recomendável em virtude da nossa fraqueza.

Porque não estamos imunes ao pecado não convém brincar com a tentação. Quem brinca com fogo certamente acaba se queimando. Se andarmos no terreno da tentação a probabilidade de cair certamente será muito maior. Por isso, é alta- mente recomendável que fujamos das tentações.

Muitos cristãos que confiaram na sua própria capacidade, que brincaram com
o pecado, acabaram desgraçando a sua família, a sua igreja e a sua própria reputação. Eles não levaram em conta a natureza pecaminosa que neles ainda era forte. Enquanto estivermos neste mundo, a melhor coisa é fugir do terreno da tentação, pois o velho homem sempre nos predispõe a pecar. Não confie nas suas próprias forças. Você haverá de ficar decepcionado consigo mesmo, mas aí poderá ser tarde demais.

3. A FUGA É NECESSÁRIA PARA SE CONSEGUIR A VITÓRIA

A vitória não se alcança simplesmente pelo ataque ao inimigo. Ele pode ser vencido pela inteligência de nossa estratégia. Em muitas batalhas a melhor maneira de se vencer o inimigo é fugindo dele. Na batalha espiritual a fuga da tentação implica no caminho de direção oposta que está ligado às coisas santas de Deus.

Esta é a estratégia sábia. Veja os conselhos da Escritura sobre essa estratégia sábia, a fim de conseguir vitória:

1 Coríntios 6.18 – “Fugi da impureza! Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer, é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo.”

Os membros do corpo de Cristo não poderiam dar lugar ao diabo, praticando imoralidade de espécie alguma. A imoralidade mencionada acima é sexual. Conhecendo a astúcia de Satanás, e a fraqueza da natureza pecaminosa, a Palavra de Deus nos diz para fugirmos da imoralidade. “O imperativo presente do verbo grego indica a idéia de fugir continuamente, e manter-se em fuga até que o perigo passe. Quando estamos em perigo de tal imoralidade, não devemos argumentar, debater, ou explicar, e certamente não devemos racionalizar.

Não devemos considerar a tentação como um desafio espiritual a ser enfrentado, mas uma armadilha espiritual da qual devemos fugir. Devemos fugir o mais rápido que podemos.Portanto, a melhor maneira de ser vitorioso sobre a tentação é fugir dela!

1 Coríntios 10.14 – “Portanto, meus amados, fugi da idolatria.”

É importante você observar que este verso está diretamente relacionado ao contexto que trata das tentações sobre a imoralidade, murmuração e idolatria. Todos os homens são tentados a ter esses pecados. O verso imediatamente anterior que trata claramente da tentação (1Co 10.12-13). Se você quiser ser vencedor sobre a tentação você tem que fugir dela. As tentações mencionadas logo acima não devem sequer ser recebidas e acolhidas pelos cristãos. Eles devem fugir delas, especialmente da idolatria, que é um pecado extremamente abominável ao Senhor. A falsa adoração era um perigo a que os cristãos de Corinto estavam constantemente expostos. Pois o conselho de Paulo era para fugir dessa espécie de tentação, pois o ambiente ali favorecia o aparecimento dela na igreja. A melhor maneira de vencer a tentação de uma adoração errônea (como ensinam os versos subsequentes) seria fugir dela. Se você quer ser vitorioso da vida cristã aprenda esta estratégia, pois não somente Satanás é astuto como você também é fraco.

2 Timóteo 2.22 – “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.”

As “paixões da mocidade”freqüentemente são acompanhadas de fortes tentações da carne. A palavra grega é epithumia, que pode ser um desejo forte num sentido bom ou mal, legítimo (cf. Lc 22.15) ou pecaminoso (cf.1Ts 4.5). A palavra paixões de qualquer modo indica “desejos fortes”. O sentido aqui no texto é de um desejo pecaminoso. Esta ordem é significativa porque o obreiro a quem Paulo se dirige era também jovem. Timóteo não devia permitir-se à exposição de desejos fortes da mocidade. Ele deveria fugir de tudo quanto pudesse ser pecaminoso.

A sua atitude deveria ser a de percorrer o caminho contrário, que é o caminho da justiça, da fé, etc., o caminho da vitória sobre a tentação. A melhor maneira de se vencer o mal é fugir dele.

2 Timóteo 3.4, 5 – “... traidores, atrevidos, enfatuados, antes amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando- lhe, entretanto, o poder. Foge também destes.”

Nestes versos Paulo está estimulando Timóteo a fugir das más companhias. Estes, via de regra, são veículos de tentação para muitos jovens. As paixões da mocidade em geral são instigadas pelas más companhias “que corrompem os bons costumes”. Como “bom ministro de Cristo Jesus”, Timóteo deveria fugir dessas más companhias, o que indiretamente significa fugir das tentações, a fim de você vitorioso sobre as paixões da mocidade. A vitória sobre a tentação não vem com o enfrentamento dela, mas com a fuga dela. Não pise em terreno perigoso, a fim de que você não seja traído por ele.

Se você quiser permanecer uma pessoa limpa, e viver vitoriosamente, procure fugir das coisas em que você pode sentir-se tentado.

Pb. Hubner Braz
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.