DÍZIMOS E OFERTAS - Fatos e Pontos Irrefutáveis - Por Sá de Barros

INTRODUÇÃO

Por que esses fatos são irrefutáveis

Por que não prioriza uma polemica infrutífera, e não fecha o assunto de forma cabal. Minha proposta não é “discutir”, consultei algumas externas e internas, assisti excelentes aulas sobre esse assunto, outras aulas os professores forçava o texto de todos os lados possíveis.
Minha intenção é continuar respeitando os pensamentos contraditórios, mas não deixando brechas para ele.
Os pontos que adiante serão apresentados, não se obrigam ser TEOLÓGICAMENTE fundamentados, obviamente que a maioria serão, mas possivelmente outros não. Acredito na maturidade literária dos que me acompanham agora neste estudo.

VEMOS NA BÍBLIA MUITAS PASSAGENS SE REFERINDO AO DINHEIRO E AOS SEUS CORRESPONDENTES.

São centenas de referências ao dinheiro, quando não o menciona diretamente, ela se utiliza de sinônimos, "ouro", "prata", "riqueza", "ricos", "herança", "dívida", "pobreza".
A primeira menção está na história de Adão e Eva, no segundo livro do Gênesis, versículos 11 e 12, falando da terra de Havilá "onde há ouro; e o ouro dessa terra é bom." A prata aparece pela primeira vez em Gênesis 13:2, falando que Abrão era muito "rico em gado, em prata e em ouro."

Isso mostra o quando Deus se preocupa com o homem, como um todo, e quando falamos “como um todo” nos referimos também à sua vida financeira

19 O banquete é feito para divertir, e o vinho torna a vida alegre, mas isso tudo se paga com dinheiro. Ec. 10:19 – N.V.I.
19 Para rir é que se dá banquete, e o vinho alegra a vida; e por tudo o dinheiro responde.   A.A.

Outra versão diz, “mas é com dinheiro que se paga tudo isso”.
Se você negar essa verdade, você vai tomar uma surra de bíblia de qualquer novo convertido de uma neo pentecostal.
Na A.A, diz, “o dinheiro responde por tudo”.
Tudo tem um preço, não há o que se faça que não se utilize dinheiro.

Concluindo este ponto “CONSIDERANDO ESSA NECESSIDADE DE TODOS NÓS, VEMOS NA BÍBLIA DIVERSAS REFERENCIAS BÍBLICAS ACERCA DO DINHEIRO”
A BÍBLIA NÃO INCENTIVA NINGUÉM A QUERER SER RICO

Provérbios 23:4-5 afirma: "Não te fatigues para enriqueceres; e não apliques nisso a tua sabedoria. Porventura fixarás os teus olhos naquilo que não é nada, porque certamente criará asas e voará ao céu como a águia."

Mas sempre incentivou o homem e a mulher a trabalhar, sendo que o próprio Jesus era um homem experimentado nos trabalhos (Is. 53). De tanto que era trabalhador, seus traços físicos eram de uma pessoa de idade mais avançada, tanto que com mais ou menos TRINTA anos, foi confundido certa vez com um homem de CINQUENTA anos ( Jo. 8:57)

O que vemos na bíblia são pessoas enriquecendo pelos mesmos motivos pelos quais as pessoas se enriquecem hoje. E os fatores são muitos, citarem apenas um, “espirito empreendedor”. Há pessoas que se você der R$10,00 para ela e abandoná-la num pais diferente, se você voltar lá um ano depois ela montou uma empresa. E há pessoas também que ganham 40 milhões na mega sena, e em um ano elas estão falidas!


 VEMOS NA BÍBLIA NÃO SOMENTE UMA GRANDE PREOCUPAÇÃO DE DEUS COM A VIDA FINANCEIRA DE SEUS SERVOS, MAS COM O MODO COMO SEUS SERVOS GASTAVAM O DINHEIRO.

“Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz?” Isaías 55:2

“Acaso é tempo de vocês morarem em casas de fino acabamento, enquanto a minha casa continua destruída?” Ageu 1:4 NVI 

E esse pensamento permeava o discurso de Jesus que deu dicas de investimento financeiro, e administração em algumas situações:

28 Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la? 29 Pois, se lançar o alicerce e não for capaz de terminá-la, todos os que a virem rirão dele, 30 dizendo: “Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar”
Lucas 14..

OS CRENTES QUEREM “ENTENDER” O ASSUNTO

Em tempos de abundância de informação, é preciso cuidado com as fontes das informações que se recebe.
Muitos intelectuais absolutamente bem informados confessadamente DESIGREJADOS, colocam-se por motivos escusos como inimigos de toda e qualquer forma de institucionalização da igreja. Por conta disto e por conta de outros motivos particulares que somente os céus revelarão, estas mesmas pessoas fazem uso de um discurso absolutamente raivoso acerca da recepção de recursos financeiros pela igreja na atualidade (mas isso aqui já é um “outro” assunto a ser tratado em outro tempo).
Tratarei dentro do espaço que me é destinado do que considero o sumo desta tão importante questão. Discordarei de alguns pontos por motivos que serão explicados, e não finalizo em hipótese alguma o tema proposto. Minha mente continua aberta para possíveis esclarecimentos e aceitando toda e qualquer discordância que RESPEITOSAMENTE vier acontecer.

            AS IGREJAS EVANGÉLICAS, DITAS TRADICIONAIS, NUNCA LEVARAM ESSE TEMA TÃO À SÉRIO...

            E além de não levar o tema a sério, ignoramos espontaneamente o assunto e passamos a considerar “outros” temas como mais importantes do que esse.
            - Ser batizado pelo Espírito Santo, não que isso não seja importante, mas qual vantagem falar em línguas e ficar recebendo cobranças de contas atrasada por todo lado? Que avivamento que é esse?
            - Muitas vezes irmãos “devendo” valores para outros irmãos, o outro olha e fala olha lá, o irmão pregando poder e unção de Deus e devendo aquele dinheiro pra gente!
            - Falamos sobre crise nas famílias, criticamos os divórcios, mas não buscamos saber suas causas... 1º lugar: infidelidade, e em 2º crise financeira.
            - Ou deve valores para alguém e posta no face que comprou algum bem material, uma mulher perdeu benefício do INSS por causa disso, vide a reportagem, “O INSS cortou o auxílio-doença de uma mulher que recebia o benefício por depressão grave após ela ter postado fotos de passeios do Facebook. De acordo com o Conjur, em 2013 um perito atestou que ela apresentava depressão grave e a declarou incapaz de trabalhar. O lado foi reafirmado em abril de 2014, por outro médico que estendeu o benefício por mais três meses.
Durante este período, entre abril e julho de 2014, a trabalhadora postou no Facebook fotos de passeios em cachoeiras, acompanhadas de frases como "não estou me aguentando de tanta felicidade" e "obrigada senhor, este ano está mais que maravilhoso".
As fotos foram utilizadas pela Advocacia-Geral da União como prova de que o estado de saúde da segurada não correspondia aos sintomas da depressão. Diante das fotografias, o perito reviu o laudo e o benefício da trabalhadora foi retirado.
"Entendemos que uma pessoa com um quadro depressivo grave não apresentaria condições psíquicas para realizar passeios, emitir frases de otimismo, entre outros. Portanto, consideramos que a paciente apresentou cessada sua incapacidade após o exame pericial", declarou o perito em comunicado.

            Nós praticamente só falamos de oferta, ou lemos algo a respeito na hora de RECOLHER as ofertas, (não diga “tirar” oferta) e ao fazer o pastor pega o que tiver mais perto e o resto você já sabe, Malaquias 3:10 pra cabeça de todo mundo, como se esta fosse a única referência bíblica a respeito de oferta que tivéssemos no Antigo Testamento.

            Por que nós somos assim? Por causa do SEXTO PONTO.


COM O ABANDONO DOS EVANGÉLICOS TRADICIONAIS, CHEGARAM OS NEOPENTECOSTAIS E SE APROPRIARAM DO TEMA.

Foi uma porta que deixamos aberta.

Talvez por receio do que os outros possam pensar, temos o péssimo costume de NÃO FALAR sobre algo que consideramos sacramentado. O “não falar” envolve também o não “replicar”, ou ainda “não explicar melhor” algum ensinamento bíblico que compartilhamos.

Vivíamos felizes e ditosos com tudo que tínhamos recebido como herança acerca do dízimo. Líamos o bom e velho “Malaquias 3” em alguns segundos de exposição falávamos da “maldição para os que não dizimavam”, e pronto. As pessoas levantavam suas mãos para as salvas e entregavam “seus” dízimos e ofertas, nós pedíamos, as pessoas traziam e tudo ficava lindo, perfeito e maravilhoso até o dia em que a “serpente” entrou em nosso “jardim” os tempos mudaram.

A gente fica constrangido sem motivo, lembro-me de um dia em que eu estava expondo meus livros na frente de uma igreja, PRIMEIRO QUE EU AINDA ME SINTO CONSTRANGIDO de fazer isso. E um rapaz veio e falou “o irmão não sabe que não se deve fazer comercio na casa de Deus?”  E ainda leu Mateus 21:13, ”E repreendeu-os: “Está escrito: 'A minha casa será chamada casa de oração'; vós, ao contrário, estais fazendo dela um 'covil de salteadores'”.


A ATUAL SITUAÇÃO POLÍTICA DE NOSSO PAÍS, AUMENTA A PRESSÃO SOCIAL ACERCA DA TRANSPARENCIA DE TODO TIPO DE ADMINISTRAÇÃO.

A igreja precisa ser o exemplo no que tange a “transparência” na administração de seus recursos.


BENÇÃOS EXPLICITAS E IMPLICITAS

“9 Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; 10 os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho.” Pv. 3

“38Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês” Lucas 6

BENÇÃOS IMPLICITAS:

“Equilíbrio financeiro”

“Melhor dar” (At. 20:35)., o fato de “poder contribuir”. Vejamos um exemplo, o pastor diz, “vamos levantar uma oferta para ajudar o irmão Fulano”, responda, de que lado você quer estar, no lado dos que vão ajudar, ou você prefere “ser o Fulano” que será ajudado.

“Deus é o Senhor dos senhores”, é o senhor de tudo e isso inclui o nosso “bolso”.

10 Davi louvou o Senhor na presença de toda a assembleia, dizendo: Bendito sejas, ó Senhor, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade a eternidade.
11 Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o reino; tu estás acima de tudo.
12 A riqueza e a honra vêm de ti; tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos.
13 Agora, nosso Deus, damos-te graças, e louvamos o teu glorioso nome.
14 Mas quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos contribuir tão generosamente como fizemos? Tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos.  (1º Crônicas 29:10-14)

1.1.          Deus é o nosso Pai.
10 Davi louvou o Senhor na presença de toda a assembleia, dizendo: Bendito sejas, ó Senhor, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade a eternidade.

Na ótica de Davi, a oferta é dada sob uma ótica filial.  Não é uma expressão tão comum no Antigo Testamento. Reflita sobre isso... você já “deu” dinheiro pra seu pai (ou mãe) alguma vez?

1.2.         Deus é Senhor de tudo, e isso inclui nossa vida financeira.
11 Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o reino; tu estás acima de tudo.

1.3.         A riqueza que nos interessa é a que vem das mãos de Deus.
12 A riqueza e a honra vêm de ti; tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos.
Como um rei, Davi poderia muito bem enriquecer de modo ilícito, mas não, ele preferia a riqueza que vinha das mãos de Deus.

1.4.          
14 Mas quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos contribuir tão generosamente como fizemos? Tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos. Somos administradores


O DÍZIMO É IDEIA DE DEUS, E ESTÁ REGISTRADO NO AT.

- Malaquias 3

Gostaria de me dar ao luxo de não expor muitos motivos acerca do dízimo no Antigo Testamento.
Apenas corroborar seu fato, sua realidade, fato e aprovação de Deus, em algumas passagens.

10º DÍZIMOS E OFERTAS NO NOVO TESTAMENTO

Há quem diga que não há menção do dízimo no Novo Testamento. Será?
Mateus 23:23 / Lucas 11:42 Lucas 18:12 / Hebreus 7:2 / Hebreus 7:4 / Hebreus 7:5 /  Hebreus 7:6 /Hebreus 7:9.

Sim mas tem referência negativa quanto ao dízimo, leiamos mateus 23:23:
"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.”

11º JESUS, OS DÍZIMOS E AS OFERTAS

1.1.          Jesus mostrou-se a favor da organização financeira.
“(28) Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la? (29) Pois, se lançar o alicerce e não for capaz de terminá-la, todos os que a virem rirão dele, (30) dizendo: 'Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar' Lucas 14.


1.2.         Jesus mostrou-se a favor do dízimo, mas não só do dízimo.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. Mateus 23:23

   “23,24. O quarto "ai" descreve o cuidado escrupuloso dos fariseus nas   questões menos importantes e a sua negligência nos deveres mais importantes. O dízimo das diversas ervas baseava-se em Lv. 27:30. Hortelã, endro, e cominho eram plantas de hortas, usadas para temperar alimentos. Justiça, misericórdia e fé. Essas obrigações éticas e espirituais (cf. Mq. 6:8) são o mais importante da lei e são portanto de importância primária, embora aquelas (o dízimo) também são próprias do povo de Deus. Através de tal prática os fariseus tinham escrupulosamente coado o mosquito (inseto leviticamente imundo que poderia cair no copo), mas engoliam um camelo (o maior dos animais imundos da Palestina; Lv. 11:4).
(INSTITUTO BÍBLICO MOODY DE PESQUISAS)
1.2.1.       Nesta citação de Jesus em Mateus 23:23  vemos que ele não é a favor do “dizimo nú e cru”, dízimo pelo dízimo. O dízimo nã pode ser requisito único para aprovação ou reprovação de alguém, como muitas igrejas fazem hoje em dia.
1.3.         Jesus não era um homem miseravelmente pobre, embora muitos já o sacramentaram como sendo assim.

1.3.1.       “Sendo rico se fez pobre por amor de vós” 2 Co.8:9
1.3.2.      “Os presentes dos magos” Mateus 2
1.3.3.      “Suas vestes não tinha costura, os carrascos lançaram sortes par ver quem ficava com suas vestes” Sl. 22:18
1.3.4.      Tinha um contador particular.
1.3.5.       Não estou falando que ele era milionário, mas um pobre e miserável ele com certeza não era.

12º DÍZIMO É DOUTRINA?

De certa forma sim, se oferta é, dizimo também é, “POIS DÍZIMO É UMA OFERTA. Sistemática e de valor fixo.” (Augustus Nicodemus)
Os “inimigos do dízimo” creditam sua anulação, sua eficácia e sua necessidade pelo GLAMUROSO fato de no Novo Testamento não haver um mandamento explicito quanto a sua prática no seio da igreja.
Mas e daí?
Poderíamos argumentar também o contrário, já que não há mandamento não há também proibição.
Porém o desenrolar da discussão poderíamos ser empurrados covardemente para a necessidade de cumprirmos determinados mandamentos da lei pelo mesmo motivo.
Sugeriria que seguíssemos outro caminho, vejamos.
Jesus edificou a sua igreja, e a Igreja não é um mero plano, ela é o fruto de um projeto que Deus tinha desde “antes da fundação do mundo” (Ef. 1:4), era da vontade de Deus que a igreja fosse constituída de dois aspectos, sendo eles um aspecto espiritual, invisível, místico (cuidado com esta palavra, a uso aqui com sua aplicação correta), e o outro físico, material, terreno.
Se no primeiro ela é o Corpo Perfeito de Cristo, a imaculada Noiva do Cordeiro, no segundo, ela é extremamente limitada e carente de diversas coisas.
Obviamente que Jesus sabia que sua ideia, humanamente falando careceria de recursos por assim dizer financeiros. Seria muito estranho se ele PROIBISSE que as pessoas ofertassem, contribuísse, dizimasse. Algo tipo “não oferteis, confiais pois em mim, e eis que farei cair dinheiro do céu para que todas as responsabilidade da igreja sejam sanadas!”, esse versículo não existe.
Agora o que encontramos é uma gama enorme referências acerca de dinheiro em pleno Novo Testamento. E quando a alusão não é explicita ela é subliminarmente aceita, como no caso dos mantimentos das viúvas em Atos. Ali não fala de dinheiro, mas os alimentos eram obviamente “comprados” e depois ofertados.

13º FATORES QUE DESMOTIVAM

FATORES DESMOTIVADORES
1.1.          Desvio de recursos (roubo)

1.2.         Não investimento.
Nos momentos bíblicos de maior arrecadação de ofertas eram tempos de maior investimento material com Moises, e mais tarde com Salomão no templo, o que motivava os ofertantes era elas verem o recurso sendo bem investido. Essa regra não mudou.


14º CONTINUANDO A MUDAR A MENTALIDADE EVANGÉLICA

Fulano é abençoado!
Há pessoas abençoadas ganhando bem menos do que a gente pensa.

15º ESTABELECENDO PRIORIDADES PESSOAIS QUANTO AO DÍZIMO E AS OFERTAS

Prioridade sugerida
1º Dízimo

2º Ofertas durante um culto, e elas fazem parte do culto, obviamente que se você não tem como ofertar financeiramente teu Deus te entende, mas a palavra de Deus para seu povo foi:
“Observarás a festa dos Ázimos: durante sete dias, no mês das espigas, como o fixei, comerás pães sem fermento {foi nesse mês que saíste do Egito}. Não se apresentará ninguém diante de mim com as mãos vazias.” Ex. 23:15

3º Oferta missionária

4º Outras coisas precisam ser de acordo com sua condição, não faça para agradar! Em detrimento do seu bolso e seu equilíbrio financeiro! Se não vigiar fica seu pagamento inteiro na igreja e você ainda vai deixar pessoas chateadas com você.




16º FAMÍLIA RICAS JÁ MUDARAM A MENTALIDADE TRADICIONAL E JÁ ENSINAM SEUS FILHOS A QUESTÃO DA ADMINISTRAÇÃO DO DINHEIRO.

1.3.         Um pai resolvido passeia com seu filho de 7 anos num shopping.

1.4.         Pais que dão tudo nas mãos dos filhos.

1.5.         Jovens e adolescentes mal acostumados.

1.6.         Que tipo de mundo vamos deixar para nossos filhos? Mario Sergio     Cortella responde, “o tipo de mundo eu vamos deixar para nossos filhos, depende e muito do tipo de filhos que vamos deixar para o mundo

1.7.          Mãe colocado sardinha no feijão com farinha e dando para o filho comer.

1.8.         Li recentemente de um pai, de classe média na revista Istoé, que abriu a parte financeira para sua filha adolescente AJUDAR nas decisões das despesas da casa!!! Sabe o que aconteceu? Ele percebeu que as coisas ficaram melhores, e ele ficou mais rico do que já estava. A menina vinha com umas ideias e como ela estava a par da condição exata da condições financeiras da casa, cessou os pedidos por futilidades


1.9.         As famílias ricas colocam seus filhos em escolas particulares, e estas já trataram de colocar ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA em suas atividades.
Você se lembra de como eram suas aulas de matemática quando você estava na escola? Lembra dos famosos “problemas”? Há escolas particulares que dão uma lista de compra para seus alunos e vão com eles para um supermercado e eles fazem “cotação”, “pesquisa de preços”.

PERGUNTAS E RESPOSTAS RÁPIDAS

1 — A gerenciamento do dízimo no At era tarefa de quem? Do dono? Do ministro?
            No caso de uma igreja institucionalmente organizada, haverá uma presidência legalmente eleita, bem como um corpo administrativo que o administrará naquela que seja sua necessidade maior.
            O dizimista precisa “confiar” (no sentido de entregar, e acreditar) na aplicação do recurso que foi recebido.
2 – Ao ofertar devo colocar meu nome no envelope? Sim, é uma manifestação de sua vontade de onde você deseja que aquele dinheiro seja investido.
3 — A questão 10% é cerimonial?
            No nosso caso, acredito ser um princípio. Explicito e implícito nas passagens bíblicas, como em Marcos, 4:8, “trinta, sessenta e cem”.

4 — Como a prática deve ser executada no novo pacto.
5 — Quem é o agente legal para a recepção das contribuições?
6 — Quem é o agente legítimo de distribuição, o ofertante ou a instituição?
7 — Posso dar meu dízimo para qualquer necessitado, viúva, órfão que eu quiser?
8 — Como destruir o pé de coelho, que se transformou esta prática?

9 — Devo entregar meu dízimo em um sistema eclesiástico desorganizado, ruído?

Escrito por Sá de Barros.


Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.