Maçonaria, o que penso - Por Rev. Eber Cocareli

A primeira coisa que desejo dizer é que lamento profundamente o fato de muitos irmãos se deixarem levar pelo brilho deste mundo e pela sedução dos mistérios e do poder. A Maçonaria não deixa de ser um exemplo perfeito destas armadilhas diabólicas. Entretanto, também afirmo que a melhor coisa a fazer pelos maçons é orar por eles, nos termos que a Palavra de Deus ensina quanto aos que estão totalmente cegados pela ação direta do inimigo: E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; instruindo com mansidão os que resistem, a ver se, porventura, Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade etornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em cuja vontade estão presos (2Tm 2.24-26 – grifo meu).

É bem verdade que a Maçonaria se arroga como sociedade benemérita, e vê-la assim não é de modo algum errado. Contudo, em que pese todo o benefício que a Maçonaria proporciona com suas boas obras, a filosofia que está por trás dessa organização conflita direta e inescapavelmente com a Palavra de Deus. Não tenho como esgotar o assunto aqui, mas basta considerar o fato de que os maçons são exortados constantemente, a cada grau a que são guindados nos vários ritos da Maçonaria, a transformarem o mundo por meio de seu conhecimento secreto e das obras de caridade. Nada tenho contra os maçons não cristãos, mas não dá para entender como aquele que conhece a Palavra de Deus e tem comunhão com o Deus da Palavra possa submeter-se aos rituais, votos e objetivos de uma organização que se declara ser a verdadeira luz que transformará o mundo e redimirá o homem. Ora, essa tarefa já foi feita pelo Único Criador do Universo (e não meramente seu arquiteto), pelo Único Deus verdadeiro, o Senhor Jesus, o qual, incrivelmente, na ordem maçônica, está no mesmo nível de Confúcio, Platão e Maomé, entre outras seis personagens da história humana (conforme as nove colunas, segredo de um dos graus do Rito Escocês, Antigo e Aceito). O único fato que justifique a adesão de cristãos à Maçonaria está nas inegáveis vantagens materiais, nas honrarias e nos muitos privilégios exclusivos que os maçons garantem a eles mesmos. A ideia de que o maçom é humilde e sem ambição é conversa fiada pra fazer profano dormir (profanos são os não maçons, segundo eles, é claro).

Já estou até ouvindo os crentes maçons dizerem que muito pouco sei acerca da Maçonaria, o que não deixa de ser verdade. Meu conhecimento do assunto vem de longa e antiga pesquisa literária, amizades e de envolvimento pessoal com alguns maçons, dentre os quais aqueles que instaram comigo para que eu fosse iniciado. Mas ainda que tudo que eu soubesse sobre a Maçonaria se baseasse apenas nos muitos livros que li, a acusação de ignorância não se sustentaria. 
Até hoje, nenhum cristão que leva a Palavra de Deus a sério e que tem vida no altar do Senhor publicou um livro sequer defendendo a Maçonaria e refutando os vários livros evangélicos que denunciam suas práticas ocultistas. Se, como alguns maçons alegam, tudo que foi publicado é "lenda", então por que eles mesmos não esclarecem tudo? A Bíblia diz que o filho de Deus anda na luz e que ela, a luz, mostra a verdade publicamente e sem medo. Os maçons se dizem iluminados pela “verdadeira verdade”, mas mantêm segredos a base de juramentos mortais e escondem o que aprendem e fazem na Loja Maçônica. Agem bem ao contrário do que ensinou o Senhor Jesus: O que vos digo às escuras, dizei-o a plena luz; e o que se vos diz ao ouvido, proclamai-o dos eirados (Mt 10.27).

Não tenho o direito de julgar o irmão que aceita fazer parte da Maçonaria, até porque essa, como qualquer outra decisão, vai depender da consciência, pois cada um responde por si diante do Senhor Deus (Rm 14.12). Quanto a mim, confesso que ponderei aceitar o convite que me foi feito insistentemente por alguns cristãos maçons, mas, após muita oração, resolvi que NÃO ME LIGARIA a tal sociedade. Enumero, resumidamente, minhas principais razões:

1. Não preciso dela para ser aperfeiçoado como ser humano, uma vez que, para isso, tenho a mais perfeita e absoluta ferramenta elaborada diretamente pelo próprio Criador, a Palavra de Deus: Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil  para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus  seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra (2Tm 3.16,17).

2. Não me submeteria a ser chamado de “profano em busca de luz” (conforme o ritual de iniciação para o grau de Aprendiz), uma vez que o próprio Senhor Jesus declarou que sou luz do mundo e sal da terra, isto é, como porta-voz do Evangelho eu é que tenho as respostas para os dilemas do ser humano, não a Maçonaria. Aliás, é meu dever como seguidor de Jesus deixar isso extremamente claro, tanto por palavras quanto principalmente por obras:
Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia  para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus. (Mt 5.13-16 – grifos meus).
[...] para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo[...] (Fp 2.15 – grifos meus).




3. Não me sentiria leal a meu Salvador, o Senhor Jesus, pois na ordem maçônica, Ele é igualado em todos os sentidos a outros líderes religiosos ou filósofos. Nas palavras de um de seus principais mentores (Pike), Jesus não é o único a levar à verdade. Ora, todo cristão sincero sabe muito bem que Cristo é o único e exclusivo Salvador, Redentor e Caminho para Deus, sem absolutamente nenhum outro paralelo neste mundo ou noutro:Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Paisenão por mim (Jo 14.6 – grifos meus). E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos (At 4.12 – grifos meus). Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse  que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai (Fp 2.9-11 – grifos meus).

4. Não almejo os benefícios que a Maçonaria confere a seus integrantes, a saber, prestígio, poder, favorecimentos (inclusive com injustiça contra não maçons) e a solidariedade dos iludidos com os encantos deste mundo. Prefiro fazer como ensinou o Mestre, acomodando-me às coisas humildes, pois: Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma(Mc 8.36 – grifos meus). Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança. Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós? Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. (Lc 12.13-15 – grifos meus). A seguir, o Senhor contou a Parábola do Rico Insensato, que assim termina: Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é o que entesoura para si mesmoe não é rico para com Deus (Lc 12.20-21 – grifos meus).

Espero que você pondere sobre essas coisas e tire sua conclusão somente à luz da verdadeira luz, o Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus e Salvador.
s com os encantos deste mundo. Prefiro fazer como ensinou o Mestre, acomodando-me às coisas humildes, pois: Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma(Mc 8.36 – grifos meus). 
Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança. Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós? Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem nãoconsiste na abundância dos bens que ele possui. (Lc 12.13-15 – grifos meus). A seguir, o Senhor contou a Parábola do Rico Insensato, que assim termina: Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus (Lc 12.20-21 – grifos meus).

Espero que você pondere sobre essas coisas e tire sua conclusão somente à luz da verdadeira luz, o Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus e Salvador




Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.