Lição 12 - Perseverando na Fé - 17 de Dezembro de 2017 - EBD ADULTO - CPAD


Texto Áureo

Verdade Prática
"A que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono." (Ap 3.21)

A vida cristã exige perseverança, coragem e determinação. Há uma gloriosa promessa para quem perseverar até o fim.
. Paulo ainda diz que nós somos co-herdeiros de Cristo. Se quando Paulo escrevia aos gentios (Romanos) o seu conceito de filiação fosse o judaico, temos que considerar que no mesmo texto (v 29), Paulo diz que Jesus é o Primogênito entre muitos irmãos, e segundo a lei judaica o primogênito tem direito a uma porção dobrada da herança, Jesus teria esse direito, mas Paulo diz que nós somos co-herdeiros de Jesus, herdeiros com o mesmo direito de Jesus, do mesmo nível, ou seja, temos o mesmo direito do Primogênito. Ser filho com o mesmo direito do Primogênito já é quase inacreditável, e ter o mesmo direito do Primogênito mesmo sendo filho por adoção é ainda mais extraordinário!4. Leia Cânticos 2:16; 6:3; 7:101.
1. Alan Corrêa; ‘Herdeiros e co-herdeiros - Romanos 8’. Dispnível em. http://leidosentidocomum.blogspot.com.br/2010/12/herdeiros-e-co-herdeiros-romanos-8.html. Acesso em. 3 dez, 2017.

Leitura Diária
Segunda - Gl 6.9,10: Perseverando em fazer o bem
Terça - Tg 1.2-4: Quando a perseverança amadurece a nossa caminhada de fé
Quarta - Fp 3.13,14: Mantendo os olhos fixos em Cristo Jesus

Quinta - Mc 13.13: A promessa para quem perseverar até o fim
Sexta – Ap 3.11: Guardando o que tem para ninguém roubar a nossa coroa
Sábado - 2 Ts 2.16,17: Consolando o coração durante a caminhada da fé

Leitura Bíblica em Classe
2 Timóteo 4.6-8
6 Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo.
7 Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

8 Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.

HINOS SUGERIDOS. 25, 320, 539 da Harpa Cristã

Objetivo Geral
Mostrar que a vida cristã exige perseverança, coragem e determinação.

Objetivos Específicos
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

   I- Explicar que é preciso perseverar na fé cristã;
  II- Mostrar o perigo da apostasia;
 III- Compreender que em Cristo estamos seguros.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
A Bíblia nos revela a salvação em Cristo e a confirmação desse bem precioso por intermédio da testificação do Espírito Santo (Rm 8.16). A consequência dessa realidade espiritual é desfrutarmos de uma imensa alegria que só os salvos podem obter enquanto peregrinam como testemunhas de Cristo nesta vida. Entretanto, convém alertar que as Escrituras mostram a possibilidade de se perder a salvação em casos de apostasia da fé em Cristo. Por isso, o crente deve perseverar na fé. [Comentário. Interessante o colocado nesta introdução a respeito da possibilidade de se perder a salvação em casos de apostasia da fé em Cristo; aqui trataremos do tema: "segurança da salvação". Existem claras divergências entre os cristãos quando o assunto é a possibilidade ou não de se perder a salvação. Ao longo do tempo, desenvolveu-se uma teologia ampla desse assunto nos movimentos que surgiram durante e depois da Reforma Protestante. Atualmente, temos um vasto conteúdo teológico falando sobre a segurança da salvação. A visão pentecostal clássica acerca do assunto é que a possibilidade da perda da salvação é real para todos os salvos. Segundo o Pr. Raimundo de Oliveira, "Um maiores argumentos bíblicos, segundo o qual o crente pode perder a salvação, é a frequente menção do condicional "se", com respeito à salvação."; "O escritor da epístola aos Hebreus advertiu que é possível deixar o coração encher-se de descrença, ao ponto de perder a salvação: 'Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer um de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo'."; "Há uma exortação severa de João, que não deixa dúvida alguma quanto à possibilidade de alguém perder a salvação: 'O vencedor, de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte.' 'Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa'."2. Boa leitura! Vamos pensar maduramente a fé cristã?]
2. OLIVEIRA, Raimundo de. As grandes doutrinas da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2013.
PONTO CENTRAL
Em caso de apostasia da fé em Cristo existe a possibilidade de se perder a salvação.

l - A PERSEVERANÇA BÍBLICA

1. Conceito bíblico de perseverança. Perseverar remonta a ideia de permanecer, resistir, em nosso caso, não desistir da fé cristã em tempos de tentação, aflição, angústia, provação e perseguição. Nosso desafio, mesmo vivendo tais dificuldades, é o de mantermo-nos inflexíveis e firmes na fé em Cristo, esperando pacientemente nEle em tudo. É uma capacidade divina para resistir ao dia mau (Ef 6.13). [Comentário. perseverança é uma qualidade daquele que persiste, que tem constância nas suas ações e não desiste diante das dificuldades. Perseverar é conquistar seus objetivos devido ao fato de manter-se firme e fiel a seus ideias e propósitos. Como por exemplo na frase "com talento e perseverança ele conquistou o cargo que sonhava desde criança". Um sinônimo para perseverança é persistência, assim como tenacidade e constância. A perseverança é uma qualidade que aparece frequentemente ligada à fé. Mais de um versículo bíblico fala nesta qualidade do fiel, e está ligado à evangelização e à prática da fé cristã, em que se acredita que ter perseverança é a qualidade de seguir Jesus mesmo diante das dificuldades e/ou tentações, e sempre fazer o bem3.]
3. Significado de Perseverança. Extraído de: https://www.significados.com.br/perseveranca/. Acesso em: 10 dez, 2017.


2. Provisão divina e cooperação humana. A ideia popular de que "uma vez salvo, salvo para sempre" não tem amparo concreto nas Escrituras, pois se fosse assim, não haveria necessidade de esforço e disciplina para uma vida de santidade frente às tentações e às provações, o que atestaria contrariedade à bondade de Deus em conceder aos seres humanos o livre-arbítrio (Sl 25.12; Pv 3.31; Mc 13.22). Assim, a perseverança da vida cristã é iniciada e garantida em Cristo (Fp 1.6), com o auxílio do Espírito Santo (Jo 14.26; Lc 11.13; Rm 8.26), juntamente com a cooperação e a sujeição do crente ao senhorio de nosso Senhor (2 Pe 1.10; Tg 4.7-10).[Comentário. É bom esclarecer o que foi colocado como idéia popular - "uma vez salvo, salvo para sempre": o 5º ponto da TULIP diz: ‘Perseverança dos Santos’ – Os eleitos não são apenas redimidos por Cristo e regenerados pelo Espírito; eles são mantidos na fé pelo infinito poder de Deus. Todos os que são unidos espiritualmente a Cristo, através da regeneração, estão eternamente seguros nEle. Nada os pode separar do eterno e imutável amor de Deus. Foram predestinados para a glória eterna e estão, portanto, assegurados para o céu. A perseverança dos santos não significa que todas as pessoas que professam a fé cristã estão garantidas para o céu. Somente os santos – os que são separados pelo Espírito – é que perseveram até o fim. São os crentes – aqueles que recebem a verdadeira e viva fé em Cristo – os que estão seguros e salvos nele. Muitos que professam a fé cristã desistem no meio do caminho, mas eles não desistem da graça, pois nunca estiveram na graça. A perseverança dos santos está diretamente ligada à santificação, que é o processo pelo qual o Espírito Santo torna os eleitos cada vez mais semelhantes a Jesus Cristo em tudo o que fazem, pensam e desejam. A luta dos crentes contra o pecado dura toda a vida e, às vezes, eles podem cair em tentações e cometer graves pecados, mas esses pecados não os levam a perder a salvação ou a afastar-se de Cristo.A Bíblia diz que o povo de Deus recebe a vida eterna no momento em que crê. São guardados pelo poder de Deus mediante a fé e nada os pode separar do Seu amor. Foram selados com o Espírito Santo que lhes foi dado como garantia de sua salvação e, desta forma, estão assegurados para uma herança eterna. (Jd 24; Ez 11.19,20; Ez 36.27; Dt 30.6; 1Pe 1.5; 2Tm 1.12; 2Tm 2.18; Sl 37.28; 1Ts 5.14; Jo 6.39; Fp 1.6; Jo 10.27-29; Rm 8.37-39)4; O 5º ponto da Remonstrancia afirma: ‘Perda da salvação ou queda da graça’ – Que aqueles que são enxertados em Cristo por uma verdadeira fé, e que assim foram feitos participantes de seu vivificante Espírito, são abundantemente dotados de poder para lutar contra Satã, o pecado, o mundo e sua própria carne, e de ganhar a vitória; sempre – bem entendido – com o auxílio da graça do Espírito Santo, com a assistência de Jesus Cristo em todas as suas tentações, através de seu Espírito; o qual estende para eles suas mãos e (tão somente sob a condição de que eles estejam preparados para a luta, que peçam seu auxílio e não deixar de ajudar-se a si mesmos) os impele e sustenta, de modo que, por nenhum engano ou violência de Satã, sejam transviados ou tirados das mãos de Cristo [Jo 10.28]. Mas quanto à questão se eles não são capazes de, por preguiça e negligência, esquecer o início de sua vida em Cristo e de novamente abraçar o presente mundo, de modo a se afastarem da santa doutrina que uma vez lhes foi entregue, de perder a sua boa consciência e de negligenciar a graça – isto deve ser assunto de uma pesquisa mais acurada nas Santas Escrituras antes que possamos ensiná-lo com inteira segurança5. Note que, aqueles que acreditam na segurança da salvação afirmam que perseveram na fé não pelo esforço próprio, mas pelo poder do Espírito Santo; aliás, a perseverança para eles, é o sinal de que são realmente salvos. Não pense que só os calvinistas acreditam na segurança da salvação, existem cristãos das mais diversas confissões teológicas que acreditam que nenhum daqueles que foram regenerados por Deus, perderão a salvação. Há até mesmo arminianos que partilham desse entendimento, como por exemplo, os chamados arminianos de quatro pontos.]
4. T.U.L.I.P - Os 5 Pontos do Calvinismo. Dispnível em. https://bereianos.blogspot.com.br/2008/02/tulip-os-5-pontos-do-calvinismo.html. Acesso em. 10 dez, 2017.
5. Cinco Artigos da Remonstrância. Dispnível em. https://pt.wikipedia.org/wiki/Cinco_Artigos_da_Remonstr%C3%A2ncia. Acesso em. 10 dez, 2017.

SÍNTESE DO TÓPICO I
É preciso permanecer em Cristo até o fim.

II - O PERIGO DA APOSTASIA

1. Conceituando apostasia. Apostasia (do gr. apostásis) que significa afastamento, remonta ao "abandono premeditado e consciente da fé cristã". É negar, renunciar e distorcer propositalmente o ensino das Escrituras Sagradas. A Palavra de Deus revela que o início da apostasia tem a ver com a "obediência" a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios ensinadas por homens mentirosos (1Tm 4.1) que torcem o conteúdo do ensino bíblico, negando a pessoa ou a obra de Cristo (Jd v.4; 2Co 11.13,14; 2 Pe 2.1). Aqui, é importante não confundirmos apostasia com o pecado acidental. Neste, o crente ainda pode alcançar graça e misericórdia de Deus — confessando-o e deixando-o (Pv 28.13; 1Jo 2.1,2); aquela, é decisão deliberada e premeditada, sendo impossível voltar atrás (Hb 6.4-6; 10.26,27). [Comentário. 1. Ação de rejeitar ou largar uma crença religiosa; 2. (Figurado) Ação de deixar determinado partido político ou ideal, trocando o mesmo por outro. (Etm. do grego: apostasía; do latim: apostasĭa)6. A fim de plenamente identificar e combater a apostasia, é importante que os cristãos compreendam as suas várias formas e os traços que caracterizam suas doutrinas e professores. Quanto às formas de apostasia, há dois tipos principais: (1) um afastamento das doutrinas fundamentais e verdadeiras da Bíblia em direção a doutrinas heréticas que proclamam ser "a verdadeira" doutrina cristã, e (2) uma renúncia completa da fé cristã, o que resulta em um abandono completo de Cristo7. Leia mais aqui.]
6. Apostasia; Disponível em: https://www.lexico.pt/apostasia/. Acesso em: 10 dez, 2017.
7. O que é a apostasia e como posso reconhecê-la? Disponível em: https://www.gotquestions.org/Portugues/apostasia.html. Acesso em: 10 dez, 2017.
2. A prática da apostasia. O Inimigo de nossas vidas, juntamente com as hostes espirituais da maldade, deseja pelejar contra nós (Ef 6.12). Entretanto, a prática do pecado é uma responsabilidade pessoal e intransferível do indivíduo (Ez 18.4,20; cf. Rm 6.23). Nesse sentido, a apostasia sempre será praticada de maneira consciente, deliberada e voluntária. Veja alguns exemplos de apostasia nas Escrituras: rejeição consciente e voluntária à obra de Cristo (Jo 13.25-27); pecado voluntário, consciente e maldoso (At 5.3-5; 8.20); ensino de doutrinas heréticas (2 Pe 2.1). [Comentário. Daniel B. Pecota, teólogo de tradição pentecostal, observa que no Novo Testamento encontramos apoio para a doutrina da segurança do crente, todavia não como querem os calvinistas extremados. Por exemplo, encontramos passagens bíblicas que mostram que nada de tudo quando Deus deu a Jesus se perderá (Jo 6.38-40). Que as suas ovelhas jamais perecerão (Jo 10.27- 30). Jesus orou para que Deus protegesse os seus seguidores (Jo 17.11). Somos guardados por Cristo (1Jo 5.18). Que o Espírito Santo é o selo de garantia da nossa salvação (Ef 1.14). O seu poder nos guardará (1Pe 1.5). Deus que habita em nós é maior do que qualquer coisa fora de nós (1Jo 1.4)8. A Bíblia de Estudo Pentecostal comenta que: "A Bíblia adverte fortemente quanto à possibilidade da apostasia, visando tanto nos alertar do perigo fatal de abandonar nossa união com Cristo, como para nos motivar a perseverar na fé e na obediência. O propósito divino desses trechos bíblicos de advertência não deve ser enfraquecido pela ideia que afirma: 'as advertências sobre a apostasia são reais, mas a sua realidade, não.' Antes, devemos entender que essas advertências são como uma realidade possível durante o nosso viver aqui, e devemos considerá-las um alerta, se quisermos alcançar a salvação final." 9. Na contra-mão desse pensamento, o Pr e escritor Calvinista R. C. Sproul afirma: “Não há dúvida de que cristãos professos podem cair, e caem radicalmente. Pensemos em homens como Pedro, por exemplo, que negou a Cristo. Mas o fato de que ele foi restaurado mostra que nem todo crente professo que cai ultrapassou o ponto em que não é mais possível retornar. Nesse particular, nós devemos distinguir uma queda séria e radical de uma queda total e definitiva. Os teólogos reformados têm notado que a Bíblia está cheia de exemplos de verdadeiros crentes que caem em pecados graves e, até mesmo, em períodos prolongados de impenitência. Então, cristãos de fato caem, e caem radicalmente. O que poderia ser mais sério do que a negação pública de Jesus Cristo por Pedro? Mas a pergunta é: acaso essas pessoas culpadas de uma verdadeira queda são irremediavelmente caídas e eternamente perdidas, ou essa queda é uma condição temporária que irá, em última análise, ser remediada pela sua restauração? No caso de um indivíduo como Pedro, nós vemos que a sua queda foi remediada pelo seu arrependimento. Contudo, o que dizer daqueles que decaem de modo definitivo? Acaso eles foram algum dia crentes verdadeiros? Nossa resposta a essa pergunta deve ser não. 1João 2.19 fala dos falsos mestres que haviam saído da igreja como nunca tendo sido verdadeiramente parte da igreja. João descreve a apostasia de pessoas que haviam feito uma profissão de fé, mas nunca haviam sido de fato convertidas. Além disso, nós sabemos que Deus glorifica todos aqueles a quem ele justifica (Romanos 8.29-30). Se uma pessoa tem uma verdadeira fé salvadora e é justificada, Deus irá preservar aquela pessoa.10.]
8. José Gonçalves, Uma vez que aceitei a Cristo, corro o risco de perder a salvação? Disponível em: http://cpadnews.com.br/geracao-jc/9890/uma-vez-que-aceitei-a-cristo-corro-o-risco-de-perder-a-salvacao.html. Acesso em: 10 dez, 2017.
9. STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995.
10. R. C. Sproul, Um Crente Pode Apostatar? Disponível em: http://www.ministeriofiel.com.br/artigos/detalhes/742/Um_Crente_Pode_Apostatar Acesso em: 10 dez, 2017.

SÍNTESE DO TÓPICO II
A apostasia pode Levar à perda da salvação.


III-SEGUROS EM CRISTO

1. Cristo garante a salvação. Embora haja a possibilidade de o crente apostatar-se da fé, a fidelidade de Cristo nos garante a certeza de sermos conservados irrepreensíveis até sua vinda (Jd v.1; 1Ts. 5.23,24). Podemos nos sentir seguros em Cristo, pois Ele tem poder de nos manter livres de tropeços (Jd v.24). A oração sacerdotal de Jesus revela muito dessa segurança: "dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos" (Jo 10.28). [Comentário. Podemos ter plena certeza da nossa salvação? Podemos! Aqui seguem três motivos por que podemos saber com certeza que uma vez salvo, sempre sou salvo.
1. As promessas da palavra de Deus declaram a nossa salvação
A Bíblia, embora não nos dê lugar para presunção ou dúvidas, fornece muitas provas para que tenhamos plena confiança da nossa salvação.
a) João 3.36 – “Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna”. Jesus não disse: Talvez tenha a vida eterna, mas sim, tem a vida eterna agora ( Jo 5.24; 6.47; Rm 10.9-10).
b) João 10.28-29 – “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão…”. Nem Satanás pode nos tirar das mãos do Senhor.
c) 1 João 5.13 – “Estas coisas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”. Não é “talvez tenhais a vida eterna”. Sim, você pode saber que tem a vida eterna. Aleluia!
2. A perfeição da obra de Cristo assegura a nossa salvação
Quando Cristo morreu na cruz, pagou a penalidade de todo o nosso pecado – a Sua obra na cruz foi perfeita e completa. Isaías 53.6 diz: “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos” (Ef 2.8-9; Tt 3.4-7; Hb 9.26-28). Romanos 5.10 afirma: “Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida”.
3. O testemunho do Espírito Santo no íntimo confirma a nossa salvação
O terceiro garantidor, o Espírito Santo, acompanha-nos para verificar a nossa chegada segura nos céus. Ele pessoalmente está conosco para nos ajudar e opera em nós, preparando-nos para o céu e para ficar na presença do Pai. Fomos selados pelo Espírito, o que indica que pertencemos ao Senhor, e Ele é o garantidor “da nossa herança” (Ef 1.13-14). Romanos 8.16 diz: “O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”. Não seremos, mas sim somos. O Espírito Santo confirma a decisão no coração, porque conversão é obra do Espírito. E uma vez filhos, sempre somos filhos.
Mas que acontece quando a gente peca? Não perdemos a salvação? Não, de jeito nenhum! Quando um filho é desobediente, e mesmo chega a brigar com seu pai, que acontece? Ele continua sendo filho, mas o ambiente na casa fica carregado. É a mesma coisa em nosso relacionamento com Deus: quando pecamos, a nossa comunhão com Ele é afetada. Devemos, então, restabelecê-la, pedindo perdão, mas nunca deixamos de ser filhos11.]
11. Podemos ter a certeza da salvação? Disponível em: http://ultimato.com.br/sites/estudos-biblicos/assunto/vida-crista/podemos-ter-a-certeza-da-salvacao/. Acesso em: 10 dez, 2017.
2. A alegria da salvação. Uma das maravilhosas consequências que alcançamos quando aceitamos a Cristo é a alegria da salvação (SI 51.12; Is 12.3; Lc 15.22-25,32). Agora não temos mais o peso da culpa e da condenação, pois somos aceitos e amados por Deus, assim, o efeito prático disso é vivermos uma vida cheia de alegria (Lc 10.20). [Comentário. “No tocante a mim, confio na tua graça; regozije-se o meu coração na tua salvação.” (Sl 13.5). A vida é cheia de perigos. Somos ameaçados por forças visíveis e invisíveis, atacados por pessoas e circunstâncias. Somos tentados por espíritos malignos e por pensamentos indignos. Muitas vezes esses inimigos tentam prevalecer sobre nós. Se tirarmos os olhos de Deus, tombaremos; porém, se nos voltarmos para ele, triunfaremos. Davi, quando estava ameaçado pelo inimigo, sorvendo o cálice da tristeza, voltou-se para o Altíssimo e disse: “No tocante a mim, confio na tua graça...”. A graça de Deus é um favor imerecido. Deus nos concede seu favor quando somos merecedores de seu juízo. A graça de Deus é uma âncora firme nas tempestades da vida. É um refúgio seguro no temporal. Quando confiamos na graça de Deus, marchamos resolutos diante dos inimigos e vencemos todas as turbulências da nossa alma. Como resultado, podemos nos regozijar na salvação de Deus. É do alto que brota a nossa cura. É de Deus que vem o livramento. É do céu que emana a nossa salvação. Em vez de nos capitularmos ao medo e ficarmos esmagados pela tristeza, podemos nos alegrar na salvação que vem de Deus. É impossível experimentar essa exuberante alegria sem ter a salvação; porém, há pessoas salvas que se privam dessa alegria. Você já está desfrutando da alegria da salvação?12]
12. A ALEGRIA DA SALVAÇÃO. Disponível em: http://www.ipb.org.br/blog/21/api-view?status=3&page=23&blog=866. Acesso em: 10 dez, 2017.

3. A certeza da vida eterna. O nosso fundamento na certeza da vida eterna não está firmado no mérito próprio, mas única e exclusivamente no mérito da obra salvífica de Cristo Jesus (Hb 9.27,28). Embora tenhamos o livre-arbítrio para tomar decisões, o Espírito Santo age para nos converter do caminho errático (Jo 16.8). Ainda que falhemos em alguma coisa, nosso Senhor nos "prende" por meio dos laços de amor, trazendo-nos de volta ao aprisco (Lc 15.7; cf. 1Jo 5.13). [Comentário. No texto de João 3:16, Jesus, conversando com um dos principais da Sinagoga, chamado Nicodemos, afirmou isso ao dizer que todo aquele que Nele crê tem a vida eterna. Deus, na Sua Palavra o diz, e Ele não pode mentir (Números 23:19). Se Ele o diz, então posso ter esta certeza. Ele não diz que pode chegar ter a vida eterna, mas sim, que já tem, já possui, a vida eterna. A vida eterna é o presente que recebemos no momento da conversão. Ela é automática. Uma vez que reconheço o meu estado de pecador e que Jesus Cristo é o Filho de Deus, o salvador do mundo, e o aceito como meu salvador, já tenho a salvação garantida. Como a vida eterna é um presente, uma vez que recebemos, já é nosso, ninguém o pode tirar uma vez que é dado. Em João 10:28 Jesus dá a vida eterna e ninguém a pode arrebatar das Suas mãos, nem o Diabo o pode fazer. A vida eterna é real, não é só uma esperança, ela é uma garantia13.]
13. Como posso ter certeza da vida eterna? Disponível em: https://www.respostas.com.br/como-posso-ter-certeza-da-vida-eterna/. Acesso em: 10 dez, 2017.

SÍNTESE DO TÓPICO III
Se permanecermos fiéis a Cristo estaremos seguros até o fim.

CONCLUSÃO
O perigo da apostasia é uma realidade, mas a certeza da vida eterna é uma dádiva tão gloriosa que suplanta esse perigo. Não há o porquê de procurar contradição quanto à relação entre a soberania de Deus e o livre-arbítrio do homem. Deus é poderoso para, em Cristo, nos guardar até o dia final a fim de que perseveremos nEle em meio às provações da vida (2 Tm 1.12).[Comentário. A vertente clássica do Pentecostalismo nunca adotou para si o conceito de que uma vez salvo, alguém nunca perderá a salvação. Embora creiam na possibilidade da perda, os pentecostais não diminuem a segurança dos salvos ensinada pela Bíblia. O objetivo dela nunca foi lançar dúvida na mente dos cristãos sobre sua salvação, mas de alertar acerca de um perigo real. Graças a Deus que podemos estar convictos da nossa salvação já que estamos Nele e Ele em nós. A capacidade de perseverar continua sendo de Deus e também é Ele quem opera poderosamente nos salvos, mas não de forma irresistível conforme alguns defendem. No Pentecostalismo, não há compulsão na perseverança, antes, a perseverança é sincera e voluntária da parte do salvo. Os salvos que, com os poderes fornecidos pelo Espírito Santo, vencem as barreiras espirituais, são aqueles que têm seus nomes escritos no livro da vida. Sendo assim, vale a pena continuarmos nos pés do Senhor, prosseguindo com justiça, andando em verdade e praticando a santidade até que um dia, o Senhor nos chame para seu lar celestial14.] “... corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus ...” (Hebreus 12.1-2),
14. Everton Edvaldo; "Perda da salvação." Uma perspectiva pentecostal. Disponível em: http://esquinapentecostal.blogspot.com.br/2016/12/perda-da-salvacao-uma-pespectiva.html. Acesso em: 10 dez, 2017. Francisco Barbosa Campina Grande-PB Dezembro de 2017

PARA REFLETIR

A respeito de perseverando na fé, responda:

• Qual é o conceito bíblico de perseverança?
Perseverar remonta a ideia de permanecer, resistir, em nosso caso, não desistir da fé cristã em tempos de tentação, aflição, angústia, provação e perseguição.
• Aponte alguns meios promotores de perseverança.
Alguns meios são: cultivar a vida de oração; submeter-se ao senhorio de Cristo no enfrentamento das provações; manter o coração e a mente protegidos sob o escudo da fé para desfazer as investidas de Satanás; cultivar a humildade que livra da queda e do tropeço; em tudo dar graças pela vontade de Deus; e, por fim, cultivar a esperança, mantendo os olhos na eternidade, aguardando o nosso Salvador voltar.
• O que é a apostasia?
Apostasia, do gr. apostásis, que significa afastamento, remonta ao "abandono premeditado e consciente da fé cristã".
• O que garante a certeza de sermos conservados irrepreensíveis?
A fidelidade de Cristo nos garante a certeza de sermos conservados irre­preensíveis até sua vinda.
• Em que está firmado a nossa certeza da vida eterna?

O nosso fundamento na certeza da vida eterna não está firmado no mérito próprio, mas única e exclusivamente no mérito da obra salvífica de Cristo Jesus.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.