É pecado usar maquiagens no rosto e pinturas nas unhas dentro da igreja?



Este é um assunto difícil de falar na igreja, pois se torna polêmico e pode ser prejudicial para a vida cristã, mas, se tratando de crentes convertidos passa a ser um assunto prazeroso para ser examinado nas escrituras sagradas, pois, tudo que é concernente a melhorar o nosso crescimento espiritual diante de Deus, é importante para a nossa vida cristã. Vale ressaltar também que essa norma não está escrita na Bíblia.

 E o mesmo vale para tantas outras recomendações comuns sobretudo entre algumas igrejas pentecostais: usar calça comprida, cabelo curto, etc. É uma indicação dada por algumas congregações para os seus fiéis, mas não tem fundamentação bíblica.

Pois bem, não podemos considerar um ato pecaminoso alguém cuidar da estética pessoal ao usar algum produto adequado, que ajuda a corrigir a imagem e a melhorar a autoestima.

Quanto ao uso da maquiagem, seria muito bom manter a prudência e o equilíbrio para saber diferenciar entre o exagero ou fruto da vaidade e o que é um simples cuidado da aparência pessoal.

“Afirmar que alguém que usa um pouco de maquiagem ou passa um brilho nos lábios é uma pecadora, é um julgamento que não cabe a nós fazer. Seria entrar na individualidade de alguém, procurando ser a consciência dessa pessoa”.


Outra coisa!!! Quando existe um grupo, seja ele eclesial ou social, é normal que existam leis que legislam o modo de comportar-se dos seus integrantes. Não é normal ver os soldados com o uniforme? E alguns padres com o clergyman? Há congregações católicas de religiosos que usam sempre o hábito, que não podem fumar nem beber. Invés outras não tem esses preceitos. Tudo isso pode ter à base um motivo lícito e, se você quer fazer parte desse grupo, tem que seguir tal determinação. Se, invés, crê que as razões que motivam tal costume não sejam congruentes, que não condiz com seu modo de ser é provável que não exista afinidade entre tal grupo e você, e, por isso, não é o caso que você seja um integrante dele.

Contudo nós aqui estamos falando de grupos eclesiais e, muitas vezes, os argumentos para defender certas práticas são buscados na Bíblia. Contudo digo com honestidade que não podemos, por exemplo, nos apoiar na Bíblia pra obrigar a uma mulher a usar somente saia, invés de calça comprida ou proibi-la de pintar as unhas. A Bíblia, escrita num tempo histórico, não lidou com tais questões, pois esses costumes não existiam naquele tempo. Como podia, então, legislar sobre isso?

Maquiagem corretiva e a maquiagem vaidosa

A primeira tem o objetivo de corrigir algumas imperfeições do rosto, para tornar a pessoa melhor apresentável. É muito usada para filmagens, como conhecemos nos programas e outras gravações de algumas igrejas. Essa forma de maquiagem, usada moderadamente, não podemos julgar pecaminosa.

Todavia, a maquiagem usada de forma exagerada ou simplesmente para adorno pode ser falta de modéstia, tornando-a pecaminosa. Mas será?


Pintura das unhas moderadas e as exageradas

Pintar as unhas da mesma cor corrigindo imperfeições ou ressaltar seu brilho com uma base não seria quebrar os princípios de modéstia? Mas pintá-las com cores fortes ou desenhos com o objetivo de enfeitar-se, se enquadra na mesma questão da tatuagem, seria uma “tatuagem” nas unhas?

A bíblia diz em 1João 3.19 e 20 que se o teu coração de condena, Deus e maior e vai te condenar também. Então não use. Mas se não condena, pode usar com moderação e modesta. Usar um pouco de maquiagem ou pintar as unhas, não vejo mal nisso. Mas devemos atentar ao fato de que ninguém deveria mudar a natureza que Deus criou. É como dizer pra Deus: Não gostei, acho que ficaria melhor assim. Viu Deus como posso fazer melhor que o Senhor!

Todavia não deixamos de lembrar as recomendações bíblicas, sintetizadas nas páginas de 1Timóteo, que valem para tudo o que fazemos: “Quanto às mulheres, que elas tenham roupas decentes, se enfeitem com pudor e modéstia; nem tranças, nem objetos de ouro, pérolas ou vestuário suntuoso; mas que se ornem, ao contrário, com boas obras, como convém a mulheres que se professam piedosas.” (1Timóteo 2,9-10). Como já disse em outra ocasião, esse texto é muito belo. A sua mensagem, em resumo, é que a mulher não vale pela aparência, mas pelas boas obras. Com certeza o mesmo princípio vale também para os homens e se Paulo escrevesse hoje os incluiria. O que distingue o cristão, homem ou mulher, é o comportamento caracterizado pelas boas obras.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.