Milênio e as Doutrinas Milenistas.


           Inicio o QUARTO estudo escatológico neste mês de Abril, iria iniciar em maio, mas algo me incomondou. Pois bem, e é o capítulo 20 de Apocalipse que vamos dá início do estudo sobre o milênio e a ressurreição dos mortos. Parece difícil negar a idéia de “milênio”, pois a expressão “mil anos” é citada várias vezes em Ap 20.3-7. Em virtude da diversidade de interpletações deste texto, surgem três correntes milenistas.

          A primeira é o Amilenismo, segundo esta corrente a vinda se dará “sem” ou “independentemente” do milênio. É um sistema baseado em negativas. Eles afirmam que o texto que baseamos é cheio de símbolos e de figuras e não tem fundamento essa idéia milenar. O Amilenismo ensina que haverá um desenvolvimento paralelo e contemporâneo do bem e do mal (Semelhante ao pensamento do Zoroastrismo) isto é, do reino de Deus e do reino de Satanás até a volta de Cristo, ocasião em que se dará a ressurreição final e jugamento e logo em seguida será estabelecida a ordem eterna das coisas – o Reino perfeito de Deus.

          Para os amilenistas, o milênio é apenas um símbolo do período que se situa entre a encarnação e a volta de Cristo.

          A segunda é o pós-milenismo, onde diz que o milênio está ocorrendo nessa dispensação do Evangelho, ao fim da qual, Cristo voltará. Há duas espécies de pós-milenistas: o primeiro chama-se de Afirmação da primeira, e o sugundo Afirmação Discordante. O número de adeptos desta corrente teológica atualmente é bem menor, apesar de no passado ter sido apoiada por grandes vultos da Teologia.

          A terceira é o pré-milenista, que crê que Jesus vem pessoalmente à terra exercer o juízo sobre o mundo, mas primeiro estabelecerá o seu reino milenário, como uma pré-condição para o juízo que acontecerá no fim do Milênio. Quando Cristo vier, ocorrerá a ressurreição de todos os crentes mortos, os quais juntamente com os crentes vivos serão arrebatados até as nuvens e, depois de um certo período de tempo, voltarão à terra com Cristo que então estabelecerá o seu reino milenário. Nesse período os salvos reinarão espiritualmente com Cristo e a Igreja será fortalecida com a presença visível de Cristo e dos milhões de crentes ressurretos. Satanás estará preso e o bem prosperará de tal modo que haverá praticamente uma extirpação do mal e paz haverá sobre a Terra.

          Depois dos mil anos Satanás será derrotado e será o fim da ordem mundial. Então haverá o Juízo Final e terá início a ordem eterna das coisas. Há uma grande variedade de correntes pré-milenistas, no entando, as mais antigas e difundidas são designadas por: pré-milenismo histórico e pré-milenismo dispensacionalista.

          O texto foi longo, e apesar de ser um resumo, quero concluir com está observação: “A expressão “mil anos” não pode ser figurada, porque então tudo que há no texto teria que ser figurado também, inclusive Satánas, ressurreição, etc., e isso seria uma incoerência pois contraria outros textos bíblicos que afirmam as realidades dos referidos fatos.

          Que Deus abençoe a sua vida e revele os mistérios do Seu Trono a ti.

          Hubner Braz
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.