Como os pinguins me ajudaram a entender Deus

Donald Miller não vem com nenhuma fórmula mágica para se tornar um cristão melhor, mas esse acaba sendo o resultado. Donald Miller não ensina nada, e por isso o livro é muito bom. Ele apenas escreve experiências que teve ao longo de sua vida cristã. Mas é um livro que nos fala das nossas fraquezas como cristãos e a forma de passar pela situação com muito bom humor.Parabéns ao autor e quem decidiu ter este livro na cabeceira.
       Ao longo das várias histórias, Miller mostra como o cristianismo começou a trazer-lhe a verdadeira paz, somente quando ele descansou, e quando o tornou a sua vida, não apenas uma parte dela. O conflito do autor, será identificado por muitos, que assim como ele, compartilham as mesmas experiências. As histórias são recheadas de bom-humor, verdades que não aceitamos, e muita sinceridade da parte de Donald Miller.

       Para vocês que não leram o livro, separei algumas frases relevantes. Olhe na seguência de mão beijada para todos.

"Na verdade eu não sei. Eu apenas me identifiquei com eles (os pingüins). (...) Tenho dentro de mim um radar que me diz para acreditar em Jesus. De algum modo, o radar pingüim os orienta perfeitamente bem. Talvez não seja uma completa tolice eu seguir o radar que há dentro de mim." Pág. 58

"Aceitar a gentileza e o amor desinteressado de Deus é algo que o diabo não quer que façamos. Se ouvimos, dentro de nós, uma voz dizendo que somos fracassados, perdedores, que nunca iremos chegar a nada, esta é a voz de Satã tentando convencer a noiva de que o noivo não a ama. Não é a voz de Deus; Deus dirige-se a nós com gentileza; ele muda nosso caráter com a paixão de seu amor." Pág. 87

"Seu problema não é que Deus não seja suficiente. Seu problema é que você é mimado." Pág. 93

"Se você acredita em algo de forma apaixonada, as pessoas irão segui-lo." Pág. 109

"Aquilo em que as pessoas acreditam é mais importante que sua aparência, suas habilidades ou seu grau de paixão. A paixão por nada é como colocar gasolina em um carro sem rodas. Não leva ninguém a lugar algum." Pág. 109

"Foi Andrew quem me ensinou que aquilo em que acredito não é o que digo acreditar; o que eu acredito é o que eu faço." Pág. 110

"A solidão é algo que acontece, mas eu acho que é algo de que podemos nos afastar." Pág. 167

"Acho que uma pessoa solitária deveria entrar para uma comunidade, se entregar a uma comunidade, se humilhar frente a seus amigos, criar uma comunidade, ensinar as pessoas a se preocuparem com as outras, a amarem as outras." Pág. 167
       Algumas pessoas podem não identificar o livro a partir do título em português, para os mais informados trata-se do best-seller que ficou 20 semanas na lista dos mais vendidos do New York Times.

Obs: Não deixe de ler as outras postagens. Algumas partes do texto foi retirado do Blog: http://cafecomlivro.wordpress.com/2007/09/29/como-os-pinguins-me-ajudaram-a-entender-deus/

Postado por Hubner Braz
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.