Eu Não Posso, Sou Homofóbica!? - Confissões de Mical á Davi e Jônatas


Eu não posso. Eu não consigo, eu não devo, eu não quero, mas eu te amo...

Eu não posso persistir em relacionar-me com Ele. Senão onde vai parar isso... Eu simplesmente não posso. Eu preciso seguir em frente. Mas, não consigo parar de amá-lo... Só que eu não posso. Eu preciso parar de amá-lo, porque não aceito o seu lado feminino. E o pior, estou me sentido horrível, porque eu não consigo esquecer-lo, nem por um minuto.

Eu não posso, porque o que aconteceu, literalmente, fez mal ao meu estômago. Não acreditei, quando o avistei aos beijos com o meu irmão. Então, eu não posso... Ele era a última pessoa que eu pensaria que fosse capaz... Eu nem quero pensar nisso, mas e inevitável...

Eu não posso, os sentimentos que surgi das minhas entranhas são homofóbicas e nostálgicas, pois ao mesmo tempo em que sinto ódio eu o amo. Isso é conflitante, eu sei. Por isso que não posso persistir em querer conquistá-lo. Neste instante eu queria matá-lo, exterminá-lo, espancá-lo, adverti-lo ou corrigi-lo.

Eu não posso, porque eu o vejo todos os dias e isso dói. Eu o vejo com o meu irmão e penso como será a convivência intima entre ambos. E só em pensar, eu sofro, e sei que o sofrimento ficará maior quando eu souber que foi ele que escolheu o meu irmão. E bem verdade que eu nem sequer sei se ele realmente escolheu. Eu não sei mesmo, porque ele é tão confuso e frustrante enquanto meu irmão faz tudo tão espontâneo e revelador, só que existe este segredo entre eles que eu abomino.

Eu não posso, e tenho certeza que ele me entenderá. A minha visão moralista é diferente da dele. Para mim, se um homem que ama outro homem tem o direito moral de enamorar-se, logo entendo que um homem que ame uma mulher (Normal), ou que ame várias mulheres (Polígamo) ou que ame um animal domestico (Bestialidade) tem o mesmo direito de enamorar-se. O que eu quero dizer é que as questões morais são as mesmas, embora eu exponha o caso de forma extremista. Mas não sei como fazer para esquecê-lo...

Eu não posso, por isso não me leve a mal, muitos querem ser moralista neste país que de moralidade pouco se tem. Eu poderia sentir-me ofendida e recusar responder na prova oral de anatomia, quando o professor me perguntou qual a parte do corpo humano que dilata até sete vezes o seu tamanho. Será que é imoral responder ou imoral é a questão em si... Não sei, as vezes, minhas atitudes se parecem homofóbicas, mesmo assim, não consigo ver você distante de mim, será que é imoral o meu amor por você...

Eu não posso, mesmo assim, eu passo os meus dias fantasiando a cena que um dia você irá me surpreender, aparecendo na minha porta, me dizendo que cometeu um erro. E não sei o porquê, de ainda desejar beijá-lo e querer sentir a sua respiração entre meus lábios.

Eu não posso, mesmo assim, penso que talvez ele ainda tenha sentimentos por mim. Vai que eu tenha uma chance ou que ele sofra uma metamorfose. Enquanto eu sei que tenho possibilidades, torna quase impossível deixar de pensar nele.

Eu não posso, mesmo assim, penso em estar nos seus braços a cada segundo, penso nos pêlos da barba dele se resvalando em meu rosto suavemente, penso em sentir o seu calor entre meus seios, penso na perfeição dos nossos dedos entrelaçados, semelhante ao que senti semana passada, ao pegar em minha mão, a sensação era quente, macia e amável.

Eu não posso, mesmo assim, penso que seriamos perfeito juntos. Eu sei que sim. E é muito difícil de lidar com isso.

Eu não posso, mesmo assim, tudo me faz pensar nele. Os cabelos, as tatuagens, os anéis no nariz, as túnicas, os livros. E cada vez que o vejo com meu irmão me sinto completamente arrasada.

Eu não posso, mesmo assim, eu começo a chorar no meio do nada quando ouço uma música tocada pelas harpas e que me faz pensar nele. E são várias músicas que me faz lembrar-se dele.

Eu não posso, mesmo assim, eu tentei esquecê-lo, mas não funciona. Eu quero parar com isso, mas pressinto que isso não vai acontecer.

Eu não posso, mesmo assim, eu não o vejo com outros homens. Eu evito o ver como homossexual. É como se eles não existissem para mim.

Eu não posso, mesmo assim, imaginei fazendo loucuras com ele, imaginei o nosso futuro, incrível, bonito e é tudo que eu mais quero. Eu pensei que isso realmente iria acontecer e agora a dor está me comendo por dentro.

Eu não posso, mesmo assim, eu quero mais dele do que eu sempre quis. Nada é comparado com este desejo em minha vida.

Eu não posso pensar nele, mesmo assim, eu não posso respirar. Eu não consigo controlar-me. Eu não posso ficar sem ele. Eu não posso ficar o resto de minha vida se perguntando como seria relacionar-me, enamorar-me, unir-me, noivar-me e casar-me com ele vivendo juntos eternamente.

Eu simplesmente não posso.

Mical (Filha de Saul e Irmão de Jonatas)

[Uma História de Ficção]
- Enrredo acontece antes de Mical casar com Davi e depois da aliança entre Davi e Jônatas.
Referências: Colocarei depois...
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.