LIÇÃO Nº 7 – OS DEZ MANDAMENTOS DO SENHOR – 16 DE FEVEREIRO DE 2014 – EBD – CPAD


INTRODUÇÃO
Hoje estudaremos o capítulo 20 do livro de Êxodo. É uma síntese concernente aos Dez Mandamentos que foram entregues por Deus a Moisés. Muitos pensam que os preceitos morais da Lei foram somente para o Antigo Pacto. Todavia, Jesus ressaltou, no Sermão do Monte, que os preceitos morais da Lei são eternos e imutáveis, por isso precisamos conhecê-los.

HINOS SUGERIDOS 262, 285, 306.

TEXTO ÁUREO

“Porque o fim da lei é Cristo para justiça , de todo aquele que crê” (Rm 10.4).

VERDADE PRÁTICA

A Lei expõe e condena os nossos pecados, porém, o Senhor Jesus Cristo, pelo seu sangue expiador, nos perdoa e nos justifica mediante a fé.

LEITURA DIÁRIA

Segunda       - Jo 1.16,17     A lei de Moisés e a graça de Deus
Terça            - Rm 1.16,17   O crente vive em Cristo a partir da fé
Quarta          - Gl 4.4,5          Cristo veio alcançar os que estavam sob a Lei
Quinta           - 1 Co 1.30,31 Cristo - sabedoria, justiça, santificação e redenção
Sexta            - Rm 10.8,17    A fé pela Palavra quando crida e obedecida
Sábado         - Gl 2.16           A justificação nos vem pela fé em Cristo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Êxodo 20.1-5,7-10,12-1 7
1 - Então, falou Deus todas estas palavras, dizendo:
2 - Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.
3 - Não terás outros deuses diante de mim.
4 - Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
5 - Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR, teu Deus, sou Deus zeloso [...].
7 - Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.
8 - Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.
9 - Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra,
10 - mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas.
12- Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.
13 - Não matarás.
14 - Não adulterarás.
1 5 - Não furtarás.
16 - Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
17 - Não cobiçarás a casa do teu próximo; não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

INTERAÇÃO

O Decálogo expressa o propósito de Deus para o povo de Israel: uma nação que andasse em justiça, odiasse o pecado e amasse a santidade. Caso seguissem esse estilo de vida, os judeus resplandeceriam como luz às nações vizinhas. Mas Israel falhou nesta missão e voltou-se contra Deus. Entretanto, a queda do povo judeu trouxe salvação aos gentios. Todavia, isso não deve orgulhar ou ensoberbecer a Igreja do Senhor, representante do Reino de Deus no mundo; pelo contrário, a comunidade dos santos deve temer a Deus e ouvir o conselho do apóstolo Paulo: "Porque, se Deus não poupou os ramos naturais [Israel], teme que te não poupe a ti também [igreja]’’ (Rm 11.2 i).

OBJETIVOS

Após a aula, o aluno deverá estar apto a:
Conhecer os propósitos dos Dez Mandamentos.
Compreender o conceito de cada mandamento.
Saber que os Dez Mandamentos referem-se a relação do homem com Deus e o próximo.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Prezado professor, utilize o esquema da página seguinte para concluirá lição. Os objetivos desta atividade são: recapitular os mandamentos estudados e analisar as duas relações humanas implícitas no Decálogo.
Explique à classe o quanto é óbvio que a interpretação dos quatro primeiros mandamentos se distingue dos outros seis, pois os quatro primeiros tratam do relacionamento do homem com Deus e os outros seis, do homem com o próximo. Conclua a aula afirmando que, além do aspecto espiritual, o Decálogo apresenta um caráter social da Lei cuja garantia da dignidade humana torna-se uma ordenança divina.

PALAVRA-CHAVE
Mandamento: Disposição escrita em que se determina a realização de um ato, de uma diligência; mandato.

1º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O AD Londrina ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.





2º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor Caramuru ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.


3º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor Fábio Segantin ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.


4º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor da CPAD ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.


5º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O TV Escola Dominical ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.


6º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor da CNPTVHD ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.


7º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor Natalino das Neves ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.



8º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor Luiz H. Silva ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.



9º Vídeo Pré-Aula - Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula: O pastor EBD FORA DA CAIXA ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical.



ESBOÇO Nº 7
LIÇÃO Nº 7 – OS DEZ MANDAMENTOS DO SENHOR
                        No Sinai, Deus fez um pacto com Israel.
INTRODUÇÃO
- Na sequência do estudo do livro de Êxodo, estudaremos os capítulos 19 e 20.
No Sinai, Deus fez um pacto com Israel.
I – ISRAEL CHEGA AO MONTE SINAI
- Após a partida de Jetro para a sua terra, o povo de Israel prosseguiu a sua jornada rumo ao Monte Sinai, tendo ali chegado no terceiro mês da saída do Egito (Ex.19:1). Os comentaristas judeus entendem que os filhos de Israel chegaram ao Sinai no início do terceiro mês, que é o mês de Sivã (Et.8:9). Como eles haviam saído do Egito no dia quinze do mês primeiro, mês que tem 30 dias, peregrinaram durante os 29 dias do mês segundo ( o mês de Zive ou Ijar – I Rs.6:1,37, que tem 29 dias), perfazendo, portanto, um total de 44 dias de peregrinação.
- Os israelitas partiram de Refidim, onde haviam perdido a oportunidade de receber a promessa de Abraão, após terem tentado ao Senhor, uma clara demonstração de incredulidade, que corresponde a uma apostasia, ou seja, um desvio espiritual que sempre caracteriza o término de uma dispensação, este período de tempo em que Deus age de uma determinada maneira junto ao homem com vistas à sua salvação.
O povo, que havia crido em Deus e O adorado quando da chegada de Moisés ao Egito (Ex.4:31), deu demonstrações de incredulidade mesmo depois da manifestação do poder de Deus com as pragas no Egito e na própria libertação do povo, demonstrações estas que foram em número de sete, mostrando, assim, um coração resistente para crer no Senhor.
OBS: “…Como resultado de sua transgressão (Gl.3:19), os israelitas foram agora colocados sob a disciplina precisa da lei. A lei é clara sobre: 1) a espantosa santidade de Deus (Ex.19:10-25); 2) a extrema pecaminosidade do homem (Rm.7:13; I Tm.1:8-10); 3) a necessidade de obediência (Jr.7:23,24); 4) a universalidade do fracasso do homem (Rm.3:19,20) e 5) a maravilha da graça de Deus ao prover uma maneira de aproximar o homem de si por meio de sangue de sacrifícios – que era tipológico – olhando para o futuro, para um Salvador que seria o Cordeiro de Deus para tirar o pecado do mundo (Jo.1:29), manifestando ‘a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas’ (Rm.3:21)…” (BÍBLIA  DE ESTUDO SCOFIELD. Com. Ex.19:1, p.82).
Como resultado desta descrença, Israel não estava preparado para receber o Senhor em seus corações, para ter pautado o seu relacionamento com Deus com base na fé, assim como havia ocorrido não só com Abraão mas com os outros patriarcas (Hb.11:10-16), de sorte que haveriam de receber uma outra maneira de tratamento, qual seja, a lei, que serviria de aio, de condutor até a realização da promessa da redenção, que se daria apenas com a posteridade de Abraão, a saber, Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (Gl.3:17-24), Aquele que seria anunciado pelo próprio Moisés em sua despedida do povo (Dt.18:15-18).
OBS: Por sua biblicidade, reproduzimos aqui o Catecismo da Igreja Romana: “As teofanias (manifestações de Deus) iluminam o caminho da promessa, dos patriarcas a Moisés e de Josué até às visões que inauguram a missão dos grandes profetas. A Tradição cristã sempre reconheceu que, nestas teofanias, o Verbo de Deus Se deixava ver e ouvir, ao mesmo tempo revelado e «velado», na nuvem do Espírito Santo.Esta pedagogia de Deus manifesta-se especialmente no dom da Lei (. Ex 19-20 Dt 1-11 Dt 29-31). A Lei foi dada como um «pedagogo» para conduzir o povo a Cristo (Gl.3:24). Mas a sua impotência para salvar o homem, privado da «semelhança» divina e o conhecimento acrescido que ela dá do pecado (Rm.3:20) suscitam o desejo do Espírito Santo. Os gemidos dos Salmos são disso testemunho.” (§§ 708 e 709 CIC)
- No entanto, ao chegarem ao monte Sinai, algo importante aconteceu aos filhos de Israel. As Escrituras dizem que eles acamparam no deserto, defronte ao monte. O texto é elucidativo: diz que os filhos de Israel acamparam-se no deserto, mas que Israel acampou-se defronte ao monte. Esta expressão de que “Israel acampou”, depois de dizer que “os filhos de Israel acamparam-se”, dá uma demonstração de unidade, que era, assim, restaurada, depois dos lamentáveis episódios da peregrinação até o Sinai.

Do quinto ao décimo mandamento, o Decálogo apresenta leis que tratam da relação do homem com o próximo.

CONCLUSÃO

A Lei expõe e condena os nossos pecados, porém, o Senhor Jesus Cristo, pelo seu sangue expiador, nos perdoa e nos justifica mediante a fé.
RESUMO DO DECÁLOGO
1 ° Mandamento................................... Não terás outros deuses diante de mim
2° Mandamento................................... Não farás imagens de escultura.
3o Mandamento.................................... Não tomarás o nome de Deus em vão.
4o Mandamento.................................... Lembra-te do sábado, para o santificar.
5o Mandamento................................... Honra o teu pai e a tua mãe.
6o Mandamento................................... Não matarás.
7o Mandamento................................... Não adulterarás.
8o Mandamento.................................... Não furtarás.
9o Mandamento..................................... Não dirás falso testemunho.
10° Mandamento.................................... Não cobiçarás.
Texto adaptado da obra “Manual do Pentateuco". editada pela CPAD.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de janeiro: CPAD, 1 995.
HAMILTON, Vitor P. Manual do PentateucoGênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. I.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
COHEN, Armando Chaves. Comentário Bíblico Êxodo. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1 998.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.