Resenha do Livro: Os Caçadores de Deus - Tommy Tenney

Graça e Paz amados, este é o 2° livro de Tommy Tenney que leio neste ano. E é o 32° que inclui no Desafio Leitor Insano e o 98° Livro deste ano.

O livro tem o título instigante por nome “Os Caçadores de Deus” que é definido no livro sendo o indivíduo cuja fome excede sua capacidade de saciá-la. É aquele que busca o Senhor incansavelmente, que é impulsionado pela paixão de ter uma intimidade cada vez maior com Ele.

Existe pessoas que acham este livro ruim ou regular, para mim não foi, porque quanto mais eu lia, mais queria ler. Afinal, você fica apegado a leitura e familiarizado com algumas experiência que Tommy conta. Não chega a ser um livro teologicamente profundo, mas descobrimos nas entrelinhas o modo correto de buscar a Deus e ser achado por Ele.

O que não gostei foi o título dado ao livro, porque soa de forma pejorativa, como se nós estivemos atrás de um animal. Isso tira de Deus a Sua característica de um Deus ativo que trabalha por aqueles que o amam, que move o mundo, que procura por corações sinceros e contritos, que vem ao encontro do filho amado, que procura adoradores verdadeiros.

Parece que o título sugere que Deus fica numa atitude passiva a espera do ser humano. Nos esquecemos que é Ele quem nos chama pelo nome. Deus é tão ativo que Ele veio em carne e osso ao encontro do homem e se revelou plenamente na pessoa de Jesus.

Mesmo assim, devemos buscá-Lo para sermos achados por Ele... buscarmos através do arrependimento, fazendo uma verdadeira confissão dos pecados e se quebrantar na busca da sua presença.


Para finalizar minha resenha, eu recomendo que leia este livro, ele poderá mostrar algo que esteja oculto na sua mente e despertar você a ver a face de Deus.

Para fazer o Download do livro em PDF click aqui ====> Os Caçadores de Deus - Tommy Tenney

Separei alguns trechos do livro que achei interessante e também um erro de interpletação.

Jacó orou e, literalmente, lutou por uma bênção, mas recebeu uma "mudança". Seu nome, seu caminho e seu comportamento foram mudados.
Estou convencido de que, algumas vezes, Deus coloca um pequeno sinal de "morte" em nossos corpos (como na coxa de Jacó) para trazer uma mudança divina em nossas vidas. Algo morre dentro de nós cada vez que somos confrontados pela glória de Deus. É um canal que se estabelece em nosso corpo para a santidade. Assim como brasas vivas foram colocadas nos lábios de Isaías, recebemos o pão vivo da presença de Deus e nunca mais somos os mesmos. Quanto mais nossa carne morre, mais nosso espírito vive. Os primeiros seis capítulos da profecia de Isaías são dedicados aos "ais". Ele diz: "Ai de mim, ai de você, ai de todos." Depois que o profeta viu o Senhor no alto e sublime trono, começou a falar de coisas que só podem ser entendidas no contexto do Novo Testamento.

Somente o arrependimento pode nos conduzir a algum lugar.

Se eu nunca tinha escutado Deus, desta vez sabia que era Ele

Nós não sabemos o que é avivamento. Na verdade, não temos a menor idéia do que seja o avivamento genuíno. O avivamento que pregamos não passa de mensagens em outdoors, faixas que espalhamos pela cidade ou colocamos na entrada de nossas igrejas. Para nós, avivamento é um pastor persuasivo, músicas comoventes e a presença de uns poucos amigos que aceitam o convite para ir à igreja. Não! O avivamento real acontece quando as pessoas estão em um restaurante ou andando pelo shopping e, de repente, começam a chorar, olham para seus amigos e dizem: "Não sei o que está errado comigo, mas sei que tenho que me reconciliar com Deus."

O altar só existe com um propósito, pergunte àquele cordeirinho que era levado até lá. Não é um lugar de bênção, é um lugar de sacrifício, morte. Se admitirmos esta morte, talvez possamos ver a face de Deus.

Uma vez por ano, o sumo sacerdote de Israel teria que deixar sua casa e, com o coração apertado, dizer à família: "Não sei se voltarei. Não tenho certeza, mas acho que fiz tudo que deveria fazer. Minha estola sacerdotal está em ordem?" Os judeus eram tão cuidadosos, que não permitiam que o sumo sacerdote dormisse na noite anterior à sua entrada no Santo dos Santos! Os outros sacerdotes o mantinham acordado lendo a lei, para que ele não se contaminasse acidentalmente através de um sonho.
Quando chegava a hora da verdade, o sumo sacerdote, cuidadosamente, molhava seu dedo no sangue do cordeiro e o colocava na ponta das orelhas e nos polegares das mãos e dos pés. Por quê? Simbolicamente, trazendo traços de morte, ele representava um homem morto e, assim, poderia aproximar-se da glória de Deus e sobreviver.
Uma vez aplicado o sangue, o sacerdote respirava fundo, dava uma última olhada ao redor, checava a corda no tornozelo e tomava o incensário. Este pequeno recipiente, ligado a uma corrente, tinha brasas quentes em seu interior.
O sacerdote tomava um punhado do santo incenso e o colocava sobre as brasas, criando uma espessa nuvem de fumaça perfumada. Ele introduzia o incensário após o véu, balançando-o de forma que o Santo dos Santos ficasse completamente coberto pela fumaça. Então, com muito cuidado, levantava a orla do véu e engatinhava para dentro do Santíssimo Lugar com temor e tremor, esperando que pudesse retornar com vida. A melhor forma de entrar no Santo dos Santos é de joelhos.

Quanto mais arrependimento (morte) diante de Deus, mais próximo Ele poderá chegar

Ainda existem muitos "bebês de colo" nos bancos das igrejas "Crentes de incubadora” não criam raízes

"A sombra que cura" se encaixa nesta categoria. Não era a sombra de Pedro que curava as pessoas (Veja Atos 5:15,16.), era a sombra d'Aquele com quem Pedro andava que estabelecia uma zona de cura, uma área livre da interferência maligna! Os hebreus acreditavam que a unção se estendia até onde a sombra alcançasse. Eu acredito que a glória se estenderá até onde a sombra de Deus alcance! Cubra a terra, Senhor!

De acordo com W.E. Vine, uma legião romana no tempo de Jesus consistia em "mais de cinco mil homens". Muitos acreditam que havia somente cerca de dois mil demônios naquele homem porque pediram ao Senhor permissão para invadir os corpos de dois mil porcos; mas, talvez, muitos deles tenham tido que "somar" seus esforços para escapar da dor esmagadora e do terror que sentiram diante da presença do Senhor

Como eu disse antes, o Salmo 103.1 ainda diz: "Bendize, ó minh'alma ao Senhor...", mas praticamos o "Oh, Senhor, bendiga a minha alma!”.
Qual seria a nossa definição de herói? Provavelmente não é a mesma usada por Deus. Veja o que o Senhor disse sobre a mulher "pecadora" que quebrou um vaso de alabastro para ungi-Lo com óleo. Se o céu tivesse uma "galeria da fama", posso dizer-lhes um nome que estaria no topo da lista: Maria, a mulher do vaso de alabastro. O mais espantoso é que os discípulos ficaram tão embaraçados e constrangidos com o ato daquela mulher que quiseram mandá-la embora, mas Jesus fez daquele ato um monumento eterno à adoração desinteressada! E não foi por causa do talento ou da beleza de Maria, nem por seu "esforço religioso", mas pela sua singela adoração. Os discípulos disseram: "Para que este desperdício?" (Mateus 26.8b) e Jesus respondeu: "Isto não é desperdício, é adoração."


Lá estava a nuvem de novo. Era quase como "Oh, oh! Se os discípulos acordarem, vão ver a 'glória'. Rápido, nuvem, cubra-nos!"
Você percebeu que, somente depois que os discípulos dormiram, Deus abriu o manto que cobria Sua própria glória em Jesus Cristo? Hoje, chamamos aquele monte de "Monte da Transfiguração", pois a Bíblia diz que as vestes do Senhor "resplandeceram de brancura". O termo grego original para resplandecer, EXASTRAPTO, significa "reluzir como um raio, brilhar, estar radiante"1. Enquanto os discípulos dormiam, Jesus estava sozinho e Sua glória estava sendo revelada, banhando a terra com Sua luz, a luz da glória de Deus que existe desde sempre!

ERRO: Naquele momento, era como se Deus tivesse ordenado: "Tudo bem, Miguel, Gabriel (os dois arcanjos), busquem Moisés! Já é hora de ele ver Minha glória."

CERTO: Gabriel (Anjo) Miguel (Arcanjo)


Paz do Senhor e Abraços Fraternais,

Hubner Braz
Dir. Pecador Confesso

Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.