Comments

LIÇÃO 3 - A NATUREZA DOS DEMÔNIOS Agentes da Maldade no Mundo Espiritual - 20 de Janeiro de 2019 - EBD - CPAD


TEXTO ÁUREO
E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele (Ap 12.9).

VERDADE PRÁTICA
Os Demônios são os anjos que se rebelaram contra Deus seguindo o seu maioral, Satanás.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Apocalipse 12.7-10
7 E houve batalha no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhavam o dragão e os seus anjos,
8 mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus.
9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
10 E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.

INTRODUÇÃO
A Demonologia é uma parte da Angelologia, a doutrina dos anjos, porque tanto demônios quanto anjos são criaturas espirituais e invisíveis. A presente lição pretende mostrar a origem, a natureza e os objetivos dos demônios e do seu maioral. [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- De início é fundamental distinguir duas formas de estudo do assunto: demonologia e demonologia cristã. Temos que distinguir dois pontos de vista sobre o assunto: o ponto de vista das religiões em geral, e o ponto de vista da religião cristã. Nas religiões em geral, o termo descreve o estudo de seres espirituais, enquanto que no ensino cristão, “o ensino de poderes pessoais, criaturas malditas por Deus por causa de sua maldade”. (WISSEN: Dämonologie). A demonologia cristã é o estudo do que a Bíblia ensina sobre os demônios. O que a Bíblia diz sobre os demônios? A Bíblia indica que os demônios são anjos caídos - anjos que juntamente com Satanás se rebelaram contra Deus. Satanás e seus demônios agora desejam enganar e destruir todos aqueles que seguem e adoram a Deus. Uma passagem importante relacionada à demonologia cristã é 2 Coríntios 11.14-15: "E não é de admirar, porquanto o próprio Satanás se disfarça em anjo de luz. Não é muito, pois, que também os seus ministros se disfarcem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras." – Dito isto, convido-o a pensar maduramente a fé cristã!


I - ORIGEM DOS DEMÔNIOS

1. Os anjos caídos e os demônios. Eles são os restantes dos anjos que seguiram Satanás após a sua rebelião contra Deus (v.9). A tradição judaica antiga descreve essa queda de maneira mais ampla na literatura apocalíptica do período interbíblico como os Oráculos Sibilinos e os livros de Enoque.” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- Não há uma informação concreta nas Escrituras quanto ao tempo em que Deus criou os anjos, mas a declaração de Gênesis é que Deus criou tudo bom porque Deus, em Sua santidade, não pode criar nada mal e pecaminoso. Pelo relato de Ezequiel 28 sabemos que houve uma espécie de rebelião no mundo angelical, sem especificar o momento, quando Lúcifer rebelou-se contra Deus e foi expulso do céu juntamente com um terço do grupo angelical (Is 14; Ez 28; Ap 12.3-4;9). Estes seres caídos são agora conhecidos como demônios. Alguns tentam dar nomes a muitos destes seres caídos, mas o único anjo caído com nome na Bíblia é Satanás, que aliás, não é um nome próprio, mas um adjetivo originado no hebraico “שטן satan” e do grego “σατανας satanas”, significando “adversário”. Os nomes do diabo na Bíblia nos ajudam a entender melhor quem ele é:
 Satanás – significa acusador – Jó 1.6; 2Co 11;14; Zc 3.1; 1Ts 2.18
● Destruidor – que em hebraico é Abadom e em grego é Apoliom – Apocalipse 9.11
● Belial – significa imprestável – 2 Coríntios 6.15
Outros nomes e suas referências:
● Diabo -- caluniador (Mt 4.1)
● Serpente -- enganador (Ap 12.9)
● Lúcifer -- portador de luz (Is 14.12)
● Maligno (1Jo 5.19)
● Dragão (Ap 12.17)
● Príncipe deste mundo (Jo 12.31)
● O deus deste século (2Co 4.4)
● Acusador dos irmãos (Ap 12.10)
● Belzebu -- príncipe dos demônios (Mt 12.24).
● Belial (2Co 6.15).
Certamente este ente espiritual desvirtuado é citado como o grande inimigo de Deus e dos homens. Interessante notar que Paulo lhe atribui um título: “príncipe deste mundo” (Ef 2.2). Mas seu fim está decretado por Deus.

2. A expulsão do querubim ungido. A Bíblia diz que Satanás é o maioral dos demônios (Mt 12.24; 25.41). No princípio, Deus criou o querubim ungido, perfeito em sabedoria e formosura, o qual era o selo da simetria (Ez 28.12-15). Ele se rebelou contra Deus e foi expulso do céu (Is 14.12-15). Com sua queda, saíram com ele os anjos que aderiram à rebelião, e uma parte deles continua em prisão (2 Pe 2.4; Jd 6). Apesar de a Bíblia não fornecer detalhes sobre os demônios, essas passagens bíblicas podem apontar a sua origem. [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- Este é um resumo simplório para um assunto complexo e de poucas informações claras nas Escrituras. Lúcifer é chamado também de “querubim da guarda ungido”, uma categoria angelical elevada. Pode-se deduzir dos vários textos bíblicos que Lúcifer governava e liderava anjos, guiando-os em louvor e júbilo a Deus. Estudiosos da gramática hebraica afirmam que a palavra “da guarda”, em Ezequiel 28.14-16, significa literalmente “quem conduz”, visto que, antes da queda de Lúcifer não havia inimigos e nem nada para ser guardado.
A maior catástrofe da história da criação universal foi sem dúvida, a desobediência a Deus por parte de Lúcifer, e a conseqüente queda de talvez um terço dos anjos que se juntaram a ele em sua maldade. Sua queda ocorreu quando o orgulho tomou conta do seu ser. Isso foi procedido de cinco “eis”, que demonstravam o seu espírito insubmisso e exaltado, e foram:
 “Eu subirei ao céu”.
● “Acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono”.
● “No monte da congregação me assentarei”.
● “Subirei acima das mais altas nuvens”.
● “Serei semelhante ao altíssimo”.
O orgulho tomará conta da mente e do coração dessa criatura, a qual foi criada para ser uma benção, mas que escolheu ser contrário ao Seu Criador. São fatos como esses que nos mostram a grandeza do nosso Deus. Na queda dos anjos vemos o quanto o Senhor é perfeito e maravilhoso. Ele nunca criou uma criatura robótica, que simplesmente recebe ordens, mas sim a todos concedeu o livre arbítrio (o fato de podermos escolher o nosso destino). Saber que Lúcifer caiu, que o homem seguiu o mesmo destino, nos leva a contemplar quão grandioso é o Senhor. Hoje de livre e espontânea vontade podemos escolher servir ao Senhor. Aleluia!!!” (Anjos do Mal, CACAP. Disponível em: http://www.cacp.org.br/anjos-do-mal/. Acesso em: 12 Jan, 2019)
Quando exatamente ele pecou não está registrado nas Escrituras. Pode ter ocorrido fora do tempo como nós o conhecemos, isto é, antes da criação do tempo e do espaço.

3. Os demônios na cultura pagã. Os termos gregos traduzidos por "demônio" no Novo Testamento são daimonion, "demônio, um deus, uma divindade", para designar os deuses pagãos (Dt 32.17); e daimon, "um espírito mal, demônio". Os demônios foram posteriormente concebidos como seres espirituais intermediários bons ou maus, ou seja, os anjos e os espíritos malignos. A natureza inconsequente desses espíritos os associa com o mal, com toda a maldade do mundo. [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- A palavra grega Daemon significa “espirito” e “divindade”, e é utilizada nos escritos gregos para se referir tanto a seres espirituais bons quanto maus. A outra palavra citada pelo comentarista é um plural. Com a palavra daimónion, as crenças populares gregas descrevia espíritos de falecidos que dispunham de poderes sobrenaturais e que intervinham na natureza e sobre os homens de forma sobrenatural. Contra estes ataques o homem precisava se defender através da magia. Mais tarde a filosofia grega os elevou a semi-deuses, ou seja, intermediários entre os deuses e os homens. (v. d. Born: 1987: Demônios). Daemones designa um ser mitológico grego muito semelhante a um gênio, comum na mitologia árabe. Se analisar a origem da palavra Daemon em latim ela significa nada menos que demônio.
Não faz parte deste tópico, mas, a primeira ocorrência se encontra em Levitico 17.7: “Nunca mais oferecerão os seus sacrifícios aos demônios, com os quais eles se prostituem; isso lhes será por estatuto perpétuo nas suas gerações

II - A BATALHA NO CÉU
1. O arcanjo Miguel e o dragão (v.7). Miguel é anjo, o príncipe dos filhos de Israel, na qualidade de arcanjo, e lidera uma guarnição angelical (Dn 10.13, 21; 12.1; Jd 9). O dragão é identificado com o próprio Diabo e Satanás, a antiga serpente (v.9), em uma referência à serpente do Éden (Gn 3.1-4,13-15). Miguel é mais poderoso do que o dragão, pois peleja pelo poder de Deus e, juntamente com os seus liderados, expulsa Satanás e seus anjos do céu (Ap 12.8). [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- O versículo 7 lança luz sobre a identidade da serpente em Gênesis – ela na verdade é Satanás. Esta é a primeira de doze vezes que a palavra dragão aparece no Apocalipse. Não há dúvida sobre a identidade do dragão (12.9).
Miguel é um arcanjo e aparece 5 vezes na Bíblia:
 em Daniel 10.13 – um anjo apareceu ao profeta Daniel em uma visão e lhe explicou que só não tinha chegado mais cedo porque o príncipe da Pérsia (um agente de satanás) o impediu. Mas quando o arcanjo Miguel chegou e o ajudou, ele conseguiu chegar a Daniel.
● em Daniel 10,20-21; 11:1 - Miguel ajudou a lutar contra o príncipe da Pérsia e da Grécia e tinha recebido ajuda do anjo da visão de Daniel
● em Daniel 12.1 – diz que o arcanjo Miguel virá no fim dos tempos e terá um papel importante que não é explicado
● em Judas 1.9 – está escrito que o arcanjo Miguel entrou em uma disputa com o diabo pelo corpo de Moisés quando ele morreu. Nessa disputa Miguel mostrou sabedoria ao não entrar em difamações, mas deixou a repreensão para Deus
● em Apocalipse 12.7-9 – João tem uma visão sobre uma grande batalha nos céus entre o exército dos anjos de Deus, liderado por Miguel, e o exército de Satanás.
Por essas 5 referências sabemos que Miguel é um arcanjo – um príncipe entre os anjos, ou anjo principal. Ele tem mais poder que alguns anjos e ajuda a lutar contra os elementos mais poderosos do exército de satanás. Miguel é um grande guerreiro e defende o povo de Deus.
A literatura judaica ensinava que em toda a esfera celestial havia “sete arcanjos”: (Gabriel, Miguel, Remuel, Raquel, Rafael e Saracael e Uriel). Os autores do livro de Enoque falam disso, mas as Escrituras só designam apenas um: Miguel como Arcanjo (1Ts 4.16; Jd v.9). Podemos depreender que antes de sua queda Lúcifer era também um arcanjo, igual a Miguel (cf. Ez 28.1 e ss).” (Apocalipse 12:7 Explicado. Disponível em:https://bibliotecabiblica.blogspot.com/2014/12/apocalipse-127-explicado.html. Acesso em: 12 Jan, 2019).
2. A expulsão de Satanás (v.8). Essa passagem é muito disputada pelos expositores bíblicos e há diversas interpretações. Nessa guerra escatológica, há os que acreditam que se trata da queda original de Satanás, e outros afirmam que não há ligações com essa queda. Outra interpretação é que Satanás teria acesso ao céu antes da ascensão de Jesus. O argumento usado se baseia em algumas passagens do Antigo Testamento (1 Rs 22.23; Jó 1.6-9; 2.1-6; Zc 3.1,2). De uma forma ou de outra, a derrota do Inimigo já está decretada, conforme revelou o próprio Senhor: "Eu via Satanás, como raio, cair do céu" (Lc 10.18). A expressão "eu via" diz respeito a uma ação contínua, e isso mostra que Jesus contemplava, em visão, a queda de Satanás, enquanto os setenta pregavam o evangelho.[Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
O capítulo 12 de Apocalipse mostra o poder dos servos de Deus sobre o diabo. Ele tenta de várias maneiras derrotar os fiéis, mas não consegue. Nesta batalha no mundo espiritual, mais uma vez não prevaleceram, perderam a batalha contra Miguel. O resultado desta batalha é importante, o diabo perdeu e saiu enfraquecido. O poder dele depois da vitória de Jesus na cruz é menor do que o poder que tinha anteriormente. Qualquer aspiração de Satanás de dominar os servos de Deus, ou até de vencer o próprio Cristo, foi negada pela vitória de Jesus e a vitória resultante de Miguel. Os versículos seguintes frisarão alguns aspectos importantes desta derrota do diabo.
.
3. A vitória final sobre Satanás. A derrota final de Satanás, na verdade, teve início com a morte, ressurreição e ascensão de Jesus. A partir daí, as acusações do Diabo contra nós caíram por terra, porque quem nos justifica diante de Deus é o próprio Cristo (Rm 5.1; 8.33). No Apocalipse, vemos que Miguel e seus anjos vencem o dragão e seus demônios (Ap 12.7-9). O mérito da vitória, porém, não cabe ao arcanjo, pois este sempre atuou em nome do Senhor (Jd 9). Mais adiante, o Diabo é amarrado por mil anos, para, finalmente, ser lançado no lago de fogo (Ap 20.3,10). Diante das arremetidas do adversário, sejamos valentes e confiantes na pronta intervenção divina, pois temos, nesta luta, uma gloriosa promessa (Rm 16.20). [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- A derrota dele já está decretada desde sua queda. Em João Jesus afirma que “o príncipe deste mundo já está julgado” (Jo 16.11). O autor de Hebreus diz de Jesus: “para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida” (Hb 2.14-15). Jesus triunfou dos principados e potestades na cruz (Cl 2.15). “Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo” (1Jo 3.8). Quando foi derrotado por Miguel, como resultado da vitória de Jesus, restou somente a possibilidade de afligir as pessoas na terra. Como um exército que perde e se retira do campo da batalha, atacando com raiva as pessoas desprotegidas que encontram no caminho para casa, o diabo e seus anjos são expulsos do céu e conseguem apenas afligir os que habitam na terra (versículo 12). O fato de o diabo ainda agir na terra não nega a vitória total de Jesus. Satanás foi derrotado, e jamais terá a vitória.

III - O MAIORAL DOS DEMÔNIOS
1. A Serpente. O termo "dragão" é drakon em grego e é usado na Septuaginta para traduzir algumas palavras hebraicas, como tanim e leviatan, cujo sentido é diversificado como "monstros, animais do deserto, serpentes". No Novo Testamento, só aparece em Apocalipse, e aqui é chamado de "o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo" (v.9). A serpente que enganou Eva é o próprio Satanás (Gn 3.1-4; 14,15). Ele é perito em enganar como fez com Eva e ainda hoje esta é uma de suas especialidades (2 Co 2.11; 11.3).[Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- Desde a primeira vez que Satanás aparece na Bíblia, ele é descrito como uma serpente, destacando a sua sagacidade (Gn 3.1). É o mesmo que tentou Eva e continua lutando contra e seduzindo os homens desde o princípio. Ele cresceu em astúcia e maldade e poder sobre os homens ao longo da história.

2. Satanás. Não é possível descrever todos os nomes do inimigo de Deus e do seu povo. O nome mais conhecido vem do hebraico satan, "Satanás, adversário". É no prólogo do livro de Jó que Satanás aparece pela primeira vez como ser espiritual que acusa os justos diante de Deus. As Escrituras o revelam primeiramente com nome pessoal quando induz o rei Davi a fazer o recenseamento: "Então, Satanás se levantou contra Israel e incitou Davi a numerar a Israel" (1 Cr 21.1).” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- O dragão é o inimigo que procura derrotar e destruir os homens e se opõe a Deus e a todas as coisas boas e santas. “Satanás (adversário); Diabo (difamador); Lúcifer (O filho da Alva). A)Ele é uma criatura (Ez.28:14); B) Ele é um ser espiritual (Ef.6:11-12); C) Ele pertence a ordem dos Querubins (Ez.28:14); D) Ele é homicida e mentiroso (Jo.8:44); E) Ele é um pecador obstinado (IJo.3:8); F) Ele é um adversário (IPe.5:8)”. (Bíblia Anotada). Deve ficar claro que a figura de Satanás não é uma questão de dualismo entre o bem e o mal. A despeito da clareza que a Palavra de Deus quanto à onipotência de Deus muitos evangélicos estão agindo dentro do pensamento dualista, entendendo que Deus e Satanás são forças iguais, porém opostas, e a todo o momento o Reino de Deus está ameaçado pela derrota, estando os cristão chamados a uma guerra para defender a soberania de Deus e seus territórios neste mundo.

3. O Diabo. O termo grego diábolos, “caluniador", é usado com frequência na Septuaginta para traduzir a palavra hebraica satan, "adversário". O termo vem do verbo diabállo, "acusar, difamar, enganar, provocar um desacordo". A especialidade dele é enganar e acusar (v.10). Jesus disse que a essência da natureza dele é a mentira: "Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira" (Jo 8.44). Sua habitação ainda não é o inferno; ele ainda será lançado nesse lugar, "o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos" (Mt 25.41).. [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- Do grego diabolos, significa acusador, difamador, caluniador. A palavra bem descreve o caráter e o procedimento do dragão. é o título mais comum atribuído à Lúcifer. É o inimigo, ou seja o inimigo de Deus e dos cristãos, e de todas as pessoas. Uma distinção muito importante é que, apesar de ter certo poder, não é onipotente. Não é correto falarmos de “diabos”, pois só existe um, ou seja, Satanás. (BOL dicionário Almeida: DIABO, e v. d. Born 1987: Demônios)

IV - O PODER DE JESUS SOBRE OS DEMÔNIOS
1. O contexto bíblico. Há relativamente pouco registro sobre os demônios no Antigo Testamento. A Septuaginta traduz quatro termos hebraicos por daimonion, "demônio", e um por daimon (Is 65.11). A tradição judaica considera os demônios como anjos caídos que se uniram a Satanás na sua rebelião contra Deus. Os demônios são identificados no Novo Testamento como os espíritos imundos (Lc 4.33; 8.29; Ap 18.2) e os espíritos malignos (Lc 8.2). Eles são malévolos, podem entrar nas pessoas (Lc 11.24-26) e causam todo o tipo de doença (Lc 9.39-42), embora nem todas enfermidades sejam de origem demoníaca (Lc 13.32). [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
No NT recebe vários nomes, Satanás, Satã, Diabo, Belial, Belzebu. Recebe também títulos como O príncipe deste mundo, acusador, maligno, inimigo. O conceito que o NT transmite é o seguintes aspectos: anjo caído (2Pe 2.4; Jd 6), o grande adversário de Deus e senhor deste mundo. O armado forte (Mt 12.29 par) O seu escopo é tentar os homens (Mt 4.3; 1 Ts 3.5; 1 Co 7.5) e perdê-los (Jo 8.44). pela sua própria culpa tornam-se seus escravos (Hb 2.14; 1 Jo 3.8,10). O pecado é a própria esfera em que ele vive (1 Jo 3.8) ele é sua origem (2 Co 11.3; Jo 8.44), instigador (1 Ts 3.5; Mt 4.1 ) e perpetuador (Ef 2.2). Os maus espíritos lhe são submissos (Mt 25.41; 2 Co 12.7 Ef 2.2; 6.12 Ap 10.9). Ele está atrás do paganismo com sua idolatria e magia (At 13.10), é o príncipe (Jo 12.31; 14.30; 16.11; 1 Jo 5.19) e até o deus deste mundo (2 Co 4.4). S. É chamado também serpente, como em Sab 2.24 (2 Co 11.3; Ap 12.9). (De Fraine 1987: Satanás). Sabemos que Satanás tem poder e está ativo no mundo. Citamos alguns exemplos das suas artimanhas. Sua maldade invisível (cf “poder das trevas” em Cl 1.13) está atrás da traição de Judas (Lc 22.3; Jo 6.70; 13.2, 27); ele impugna a obra dos discípulos de Jesus (Lc 22.31, a jovem comunidade cristã (At 5.3) a pregação dos apóstolos (1Ts 2.18); até certas doenças lhe são inculpadas (Lc 13.16; 1Co5.5;2Co12.7). Espreita as comunidades cristãs, mas na forço da fé podem resistir-lhe (Rm 16.20; Ef 6.16; 1Pe 5.8 etc). (De Fraine 1987” (Demonologia e Batalha Espiritual. Disponível em:http://www.ibpan.com.br/images/stories/Downloads/Estudos_Biblicos/Demonologia%20e%20Batalha%20Espiritual.pdf. Acesso em: 12 Jan, 2019)
2. O triunfo de Cristo. A vitória preliminar de Jesus sobre Satanás começa na tentação do deserto (Mt 4.11). O Diabo já está derrotado preliminarmente (Jo 12.31). Jesus disse que o príncipe desde mundo já está julgado (Jo 16.11). Mesmo assim, ele continua se opondo à obra de Deus. Satanás causou diversos infortúnios ao apóstolo Paulo, com o espinho na carne (2 Co 12.7) e o impedimento nas jornadas missionárias (1 Ts 2.18). Nós não devemos ignorar as suas astúcias (2 Co 2.11). Em breve, Deus "esmagará Satanás debaixo de nossos pés" (Rm 16.20).” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
- “Devido à vitória de Jesus na morte e ressurreição, o diabo não tem o mesmo poder de antes. Quando chegou em Jerusalém na semana da Páscoa para ser crucificado, Jesus disse: “Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso” (João 12:31) e “o príncipe deste mundo já está julgado” (João 16:11). Frustrados pelas derrotas já sofridas, ele e seus anjos tentarão derrotar os habitantes da terra. Este trecho esclarece o significado de outras passagens que falam sobre a vitória de Jesus sobre o diabo. Na sua morte e ressurreição, Jesus venceu Satanás. O autor de Hebreus diz de Jesus: “para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida” (Hebreus 2:14-15). Jesus triunfou dos principados e potestades na cruz (Colossenses 2:15). “Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo” (1 João 3:8). Jesus já venceu. O diabo já perdeu. Ele não tem mais o mesmo poder de antes. Quando foi derrotado por Miguel, como resultado da vitória de Jesus, restou somente a possibilidade de afligir as pessoas na terra. Como um exército que perde e se retira do campo da batalha, atacando com raiva as pessoas desprotegidas que encontram no caminho para casa, o diabo e seus anjos são expulsos do céu e conseguem apenas afligir os que habitam na terra (versículo 12). O fato de o diabo ainda agir na terra não nega a vitória total de Jesus. Satanás foi derrotado, e jamais terá a vitória”. (A Derrota do Dragão (Apocalipse 12:1-17). Disponível em:https://www.estudosdabiblia.net/b09_21.htm. Acesso em: 12 Jan, 2019)


CONCLUSÃO
Os demônios são reais, são espíritos maus e imundos, o oposto dos anjos. Jesus é a única garantia de que eles nada podem contra nós; antes, Jesus disse: "Eis que vos dou poder para pisar serpentes, e escorpiões, e toda a força do Inimigo, e nada vos fará dano algum" (Lc 10.19). [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
A salvação vem pela graça mediante a fé (Efésios 2:8), mostrando a obra divina e a resposta humana. A vitória sobre o diabo e seus anjos também depende da obra divina e da resposta dos servos. O sangue do Cordeiro é absolutamente fundamental à vitória. Nenhuma doutrina que omite a cruz nos leva ao galardão preparado por Deus. O único caminho é Jesus (João 14:6), o único evangelho é a mensagem de “Jesus Cristo e este crucificado” (1 Coríntios 2:2), e o único meio pelo qual obtemos a redenção é o sangue do Filho Amado (Efésios 1:6-7). “E por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida” (v. 11). A resposta dos servos, os irmãos (versículo 10), envolve uma dedicação total ao Senhor. Nesta descrição da obediência dos fiéis, encontramos as exigências básicas do discipulado dadas por Jesus em Marcos 8:34:
1. “A si mesmo se negue” – “não amaram a própria vida”.
2. “Tome a sua cruz” – “mesmo em face da morte”.
3. “E siga-me” – “por causa da palavra do testemunho que deram”.” (ESTUDOS DA BIBLIA)

Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó Senhor Deus dos Exércitos”. (Jeremias 15.16), Francisco Barbosa Campina Grande-PB Janeiro de 2019
PARA REFLETIR
A respeito de "A Natureza dos Demônios", responda:
• Quais os significados dos termos gregos daimonion e daimon?
Daimonion, "demônio, um deus, uma divindade", para designar os deuses pagãos (Dt 32.17); e daimon, "um espírito mal, demônio".
• Quando teve início a derrota final de Satanás?
A derrota final de Satanás, na verdade, teve início com a morte, ressurreição e ascensão de Jesus.
• Quais os significados nos nomes "Satanás e Diabo"?
Satanás significa "adversário"; Diabo, "caluniador".
•Qual a essência da natureza do Diabo?
Jesus disse que a essência da natureza dele é a mentira.
• Onde começou a derrota de Satanás com a vinda de Jesus?
A vitória preliminar de Jesus sobre Satanás começa na tentação do deserto (Mt 4.11). [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 1º Trimestre 2019. Lição 3, 20 Jan, 2019]
Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Milhões de Confessos:

Postar um comentário

Não deixe de participar, a sua opinião é de extrema importância!

Críticas são bem vindas quando a pessoa se identifica.