Série Dicas de como Liderar: #9 A INTERVENÇÃO DE SIMÃO, SOB A ÓTICA DO EXERCÍCIO DA LIDERANÇA

“E quando o iam levando, tomaram um certo Simão, cireneu, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus.” Lucas 23:26

No ímpeto de resolver e de ver todas as coisas resolvidas, acabamos centralizando praticamente todas as tarefas de liderança.

Os americanos têm em algumas regiões essa cultura do “faça você mesmo”. Essa mentalidade pode trazer resultados em nossas práticas pessoais, mas nas atribuições eclesiásticas, o princípio parece ser outro. 

Fazendo tudo, tudo vai ficando mais cansativo de desmotivador, por que para cada um que trabalha a mais, “alguém”no grupo está trabalhando menos.

A tarefa que Deus colocou em nossas mãos, é grandiosa, não é prudente acharmos que podemos fazer toda ela sozinhos:

Todo trabalho pesado, fica mais leve quando é compartilhado; quanto mais pessoas ajudam a carregar um determinado peso, mais leve ele fica.

Por outro lado, trabalhos centralizadores tendem a ir desaparecendo com o tempo. 

Mas não falo somente de atribuir, de delegar, de mandar alguém fazer alguma coisa, mas falo de incentivar a pessoa a desenvolver suas próprias ideias na edificação do Corpo de Cristo e o mais difícil CONFIAR nelas, acreditar na instrumentalidade de Deus na vida delas. Aceitar o óbvio: que não somos a única bolacha de chocolate do pacote. 

Na bíblia, os grandes líderes alcançaram êxito quando dividiram suas tarefas:

Moisés, à beira do stress, foi orientado pelo seu sogro a escolher 70 homens para o ajudar.

Sempre tem alguém, às vezes anônimo, que Deus coloca ao nosso lado para fortalecer a nossa liderança ante nossos liderados; os experientes discípulos no momento de necessidade se depararam com um menino, que carregava com ele cinco pães e dois peixinhos, isso bastou para que o milagre pudesse acontecer.

Como está seu grupo, você já está investindo em outras pessoas? 

Simão, o cireneu, estava fazendo outra atividade, compromissado com suas tarefas no campo. Mas ainda assim suas tarefas e compromissos pessoais foram deixados de lado, e ele foi constrangido a ajudar Jesus, a carregar a cruz”.

Se o serviço cristão está te deixando cansado, verifique se você não está sendo possessivo quando às responsabilidades, Jesus não carregou a cruz dele sozinho, em algum momento ele precisou de ajuda e a pessoa certa estava lá, ao lado dEle.

Possivelmente, em nossa grupo há alguém, bem quietinho, silencioso, cujo nome talvez você NEM saiba... 

Pode ser o “Simão, o cireneu”do seu ministério. 

Ele apareceu UMA ÚNICA VEZ em todo ministério de Jesus, mas sua aparição e trabalho foram providenciais, quando ele apareceu, ele saiu do anonimato, e entrou para a História 

por Samuel Alvino de Barros

Compartilhar no Google Plus

Sobre Hubner Braz

Criador, colunista e administrador do Pecador Confesso. Fascinado e apaixonado por DEUS!! Formado Bacharel em Teologia pela FATESP e F. Mêcanica pela FATEC-SP e Presbítero na A.D. Belem-Missão em Sorocaba, onde o Pastor Presidente é o Rev. Osmar José da Silva - CGADB, Tenho 1João 1:7-9 injetado na veia!.